DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros
COLÉGIO DOS CONSULTORES


Estatuto
Membros
Colégio

Estatuto


1. Dentre os membros do Conselho Presbiteral, o Bispo Diocesano escolherá ao menos seis (6) sacerdotes para constituir o Colégio dos Consultores -(cf. CDC, c. 502 § 1).

2. O colégio dos consultores é presidido pelo Bispo Diocesano pessoalmente. (cf. CDC, c. 502 § 2).
Parágrafo único: “Sede impedita aut vacante”; preside-o quem fizer as vezes do Bispo Diocesano, nos termos dos Cânones 413 e 419.

3. “Sede impedita aut vacante”; cabe ao Colégio de Consultoreseleger o sacerdote que, com poderes e encargos de Administrador Diocesano, governará a Diocese (cf. CDC, c.413 § 2, 419 e 421 § 1).

4. A convocação do Colégio de Consultores é necessária nos seguintes casos:
Tomar conhecimento dos documentos apostólicos do Bispo Diocesano, para que este tome posse canônica da Diocese (cf. CDC, c. 382 § 3);
Tomar conhecimento dos documentos apostólicos de nomeação do Bispo Coadjutor, para que este tome posse de seu ofício (cf. CDC, c. 404);
Eleger o Administrador Diocesano nos casos prescritos pelo Direito, a não ser que a Santa Sé determine diversamente (cf. CDC, c. 413 § 2 e 421);
Dar parecer ao Bispo Diocesano, na nomeação do Ecônomo e nos atos econômicos de maior importância para a Diocese (cf. CDC, c.494 e 1277);
Dar consentimento ao Bispo Diocesano, para atos de administração ordinária (cf. CDC. c. 1277);
Dar consentimento ao Bispo Diocesano, para casos de alienação entre a quantidade mínima e a máxima estabelecida pela Conferência Episcopal, de pessoas jurídicas subordinadas ao Bispo Diocesano (cf. CDC, c. 1292);
Dar consentimento ao Bispo Diocesano, para alienar bens da própria Diocese (cf. CDC. c. 1292);
Dar consentimento ao Administrador Diocesano, para a concessão de excardinação, incardinação, ou transferência para outra Igreja Particular (cf. CDC, c. 272);
Dar consentimento ao Administrador Diocesano, para a remoção do Chanceler ou dos outros notários (cf. CDC, c. 1018 § 1, n. 2).

5. O Colégio de Consultores, à norma do Direito, jamaispode inexistir, inclusive “sede vacante”, “sede impedita” ou dissolvido o Conselho Presbiteral.

6.Terminado o mandato para o qual foi constituído, tem o Colégio de Consultores seu mandato prorrogado pelo Direito, até a legítima constituição do novo Colégio (cf. CDC, c. 502 § 1).

7. Os membros do Colégio que não puderem continuar no desempenho do cargo serão substituídos, ressalvado sempre o total mínimo de seus (6) membros (cf. CDC, c.502 § 1).

8. A duração do mandato do Colégio de Consultores é de cinco (5) anos (cf. CDC, c. 502 § 1).

9. O Colégio de Consultores só delibera por maioria absoluta dos membros presentes.

10.Para cada período de mandato, o Bispo Diocesano designará um Secretário, que lavrará o relato das reuniões em livro próprio.
Parágrafo único: As atas das reuniões serão assinadas pelo Bispo Diocesano e por todos os presentes à respectiva reunião.

Disposições Gerais

Cabe ao Bispo Diocesano propor ou acolher propostas dos Conselheiros para as modificações do Estatuto.

Revogam-se as disposições em contrário.
Fonte: Estatutos, Diretórios e Subsídios.
Diocese de Ponta Grossa.
1º. de Março de 1997.



Navegue até a sua Paróquia



Cúria
Cúria
Imprensa
Clipping
Download