Destaques:
Pesquisar:  
 
PE. MARCELO MELO
 
PE. MARCELO MELO
Dados Pessoais:

Marcelo Melo nasceu à 20 de dezembro de 1966 na cidade de Capela, interior do estado de Sergipe, filho de Antonio Barreto de Melo e Maria Tereza Melo.




Dados dos Estudos:

Estudou até os 16 anos (1982), 1º Ano do 2º Grau, no “Colégio Imaculada Conceição” das Irmãs Missionárias da Imaculada Mãe de Deus (disponível na net: http://cicsmic.com.br/link.php?cod=11 ), da qual faz parte sua tia (irmã da mãe) irmã Joana Bosco, e onde fez a sua experiência vocacional em um retiro anual dos alunos do Colégio no segundo semestre do ano de 1981. Concluiu o segundo grau (como era chamado até então) em Aracaju-Sergipe, no Colégio de Ciências Pura e Aplicada (CCPA, que ainda existe: http://www.ccpa.com.br/ ).



Dados da Formação Presbiteral:

Após a conclusão do segundo grau, depois de muito tentar disfarçar o seu chamado à vida consagrada, decidiu encarar até as últimas consequências o desejo que o perturbava no fundo do seu coração, apesar de todas as oposições familiares e dificuldades. Procurou acompanhamento junto aos frades menores da província do nordeste e acabou por entrar em contato com os frades menores missionários da diocese de Ponta Grossa (Frei Irineu), onde ingressou em fevereiro de 1986 e aí permaneceu numa primeira experiência até março de 1987, quando pediu um tempo para amadurecimento vocacional junto aos seus familiares (fora esta a primeira vez que vivia distante de seus familiares).Numa constante busca de seus ideais e desejos, no final de 1988 início de 1989 conseguiu aprovação para retornar ao convento dos frades menores (com a mediação e discernimento do Frei Eduardo Gomes Césare) onde permaneceu até agosto de 1992, quando depois de uma longa e difícil reflexão concluiu com alguma segurança, que deveria deixar o convento definitivamente. Já sob orientação do Dom Abade André volltou para casa de seus pais onde permaneceu por mais de dois anos, até que em dezembro de 1994 foi recebido para experiência no Mosteiro da Ressurreição.A 21 de janeiro de 1995 entrou no postulantado e no mês de setembro do mesmo ano na festa da natividade da Virgem (08 de setembro) foi recebido no Noviciado da comunidade sob o amparo do apóstolo dos gentios (Paulo).Em outubro de 1997 fez a sua primeira profissão na solenidade de Nossa Senhora Aparecida. No ano jubilar de 2000, no dia 12 de outubro emitiu a sua profissão solene e três dias depois, a 15 de outubro recebeu das mãos do Bispo Diocesano de então (Dom João Braz) a Ordenação Diaconal. Tendo concluído o curso de teologia no mês de dezembro de 2001, a 05 de fevereiro de 2002 e celebrou a sua primeira missa no dia 06 na Capela do Mosteiro. Uma passagem da ‘Pastores dabo vobis’ o marcou profundamente e a manteve como um objetivo a perseguir durante a sua vida e ministério sacerdotal: “O padre enriquece a própria humanidade e torna-a mais autêntica e transparente num crescente amor pelo homem”. No ano de 2010 residindo na cidade de Irati, juntamente com seu vigário paroquial o então diácono Athanagildo, decidiu fazer o reconhecimento de seu curso de teologia na PUC, na cidade de Curitiba; onde a 28 de janeiro de 2011 numa cerimônia de Colação de Grau recebeu o bacharelado em teologia do reitor da mesma. Padre Marcelo tem consciência constante de sua humanidade e fragilidade mas também acreditou sempre numa espiritualidade pela qual pauta sua caminhada de vida sacerdotal: “esteve sempre à procura da vontade de Deus, que revelou-se em sua vida, tão somente, gradualmente. Esteve sempre no limiar do entendimento do passo seguinte, escolhido e disposto por Deus. Procura, encontra, segue, e depois, mais uma vez, se lança num diferente e novo percurso. Muitas vezes esse caminho foi doloroso, desconfortável, e sempre insatisfeito, continuamente procurou recomeçar. Assim ou mais ou menos desse modo tem sido o seu esforço de vida espiritual”. O padre Marcelo fez uma adaptação de sua oração de ordenação sacerdotal para esse novo momento de sua vida no exercício do múnus sacerdotal: “Eis nosso irmão, Senhor, diante de Ti, sem mais bagagem que o seu nada como terra seca aguardando tua Palavra. Escutando teu chamado, tudo deixou para tudo conseguir, e nada pode por si, mas contigo tudo pode alcançar. Fazei dele um padre de verdade, amante do Silêncio, mas, sobretudo, amante de tua Palavra. Ajudai-o a seguir os teus passos vivendo sua vida como outro Cristo, que encarne a obediência, com paciência e humildade; que tua casa torne-se o Tabor do teu descanso, e que teu coração seja tua morada. Que ame seus irmãos e irmãs com amor casto e puro, e possa assim abraçar, na oração, a toda a humanidade. Dá-lhe o DOM da perseverança e a força de uma constância que nunca degenere em instalação, e chegada a hora, leva-o ao teu lado para que te louve por todo sempre, pelos séculos sem fim. Assim seja!” Adaptação da Poesia de D. Ezequiel Bas Luna OSB. Usando algumas palavras emprestadas do Pe. John Powell, S.J. o padre Marcelo tem sempre a oportunidade de se questionar quando está se relacionando e comunicando com os outros: “É esta a pessoa que eu gostaria de ser? Sinceramente espero que isso o ajude tanto quanto me tem ajudado. Para mim é quase como tomar uma pílula do soro da verdade ou colocar um novo par de óculos com a prescrição certa para uma boa visão. Considero a simples pergunta: ‘É esta a pessoa que eu gostaria de ser?’ uma pergunta transformadora. É-me impossível fazer essa pergunta e continuar aconchegado em minha zona de conforto, ser mesquinho ou ficar amuado, exibir-me ou tentar passar por alguém que não sou. Com essa pergunta, diretamente peço a Deus para ajudar-me a me transformar em meu ideal. Peço-lhe que me permita praticar o que prego, ajudar-me a ser real. Se eu não for real, não serei nada. Minha vida será apenas uma charada. Assusta-me o pensamento de que a morte venha a mim como o pano ao fim de um espetáculo. Então removerei minha maquiagem, tirarei a fantasia, de volverei minhas falas ao autor, enquanto a plateia continua a aplaudir-me por ser alguém que nunca fui. Sei que quando eu morrer, Deus procurará cicatrizes, não medalhas. Quando eu estiver morrendo, quero me lembrar das ocasiões em que fui real e honesto, em que partilhei a mim mesmo em franca auto revelação como um ato de amor. Quero lembrar as ocasiões em que dei aos que tinha fome o alimento de meu partilhar, aos que tinham sede a bebida de meu ato de escutar e de minha compreensão, aos que estavam trancados dentro de si mesmos, as mãos estendidas que diziam: ‘Saia, você está seguro comigo’. Quero lembrar as ocasiões em que ofereci a dádiva benéfica de amor e carinho aos que estavam angustiados. Sem dúvida tudo isso é e será melhor que uma charada.” (Arrancar Máscaras! Abandonar Papéis!, Edições Loyola, São Paulo, dezembro de 2001, pp. 174-175) Com essas perspectivas em seu coração continua adiante o seu caminho com um imenso desejo de aprender a realizar na vida a vontade de Deus. Amém!



MINISTÉRIOS RECEBIDOS:

A seguir temos o roteiro de sua caminhada religiosa e para o presbiterado: Leitorato: 01 de dezembro de 1991 - Paróquia São Judas - Ponta Grossa - fazendo parte dos fmm. Entrada no Mosteiro: 17 de dezembro de 1994 Postulantado: 21 de janeiro de 1995 Noviciado: 08 de setembro de 1995 Primeira Profissão: 12 de outubro de 1997 Profissão Solene:12 de outubro de 2000 Acolitato: 21 de março de 2000 Diaconato: 15 de outubro de 2000 Sacerdócio:05 de janeiro de 2002 Saída do Mosteiro: 19 de agosto de 2002 Trabalho na diocese de Caçador: 07 de outubro de 2002 até 18 de dezembro do mesmo ano. Trabalhos na Diocese de Ponta Grossa - Santa Paula - 19 de dezembro de 2002 - 10 de junho de 2004



ATIVIDADES PASTORAIS:

Trabalho na diocese de Caçador 07 de outubro de 2002 até 18 de dezembro do mesmo ano. Trabalhos na Diocese de Ponta Grossa - Santa Paula - 19 de dezembro de 2002 - 10 de junho de 2004 Paróquia N. Sra. Perpétuo Socorro - Irati - 10 de junho, como Vigário Paroquial e Pároco:02 de fevereiro de 2005 nomeação de pároco com posse acontecida no dia 05 de fevereiro. Paróquia Imaculada Conceição - Carambeí - 03 de fevereiro de 2013 A posse aconteceu na missa do domingo às 19h na Igreja matriz sob a presidência do Bispo diocesano Dom Sérgio.

HOBBY:

Musica, leitura , canófilo e pescaria.

CONTATO:

Pe. Marcelo Melo
 
Rua:Águas Marinhas, 68 - Centro - Cx. Postal:1001 - CEP:84.145-000 - (42)3231-1342.
Copyright © 2008. Diocese Ponta Grossa. Todos os direitos reservados.
Site melhor visualizado em resolução 1024x768 ou superior. Política de Privacidade.
KMM Engenharia de Sistemas