Destaques:
Pesquisar:  
SEMINÁRIO MÃE DE DEUS -  DIOCESE DE PONTA GROSSA
 
 
HISTÓRICO
 
O Seminário Mãe de Deus foi fundado no dia 14 de janeiro de 1982. No dia 30 de janeiro do mesmo ano acolheu os trinta primeiros seminaristas. Na ocasião de posse assim expressava-se Dom Geraldo Micheletto Pellanda, o então Bispo Diocesano:
 
Transcrição Literal da Homilia
Dom Geraldo Micheletto Pellanda – Bispo Diocesano de Ponta Grossa
     Celebração de Inauguração do Seminário Mãe de Deus
 
Um dia de festa hoje, para a Igreja de Deus.
Um dia de festa maior ainda hoje para a Diocese de Ponta Grossa. E maior festa ainda para esta cidade de Irati que vê hoje, inaugurar este seminário. O Seminário Diocesano MÃE DE DEUS. Motivo de alegria para todos e é por isso que nos reunimos aqui, tão numerosos. A população de Irati mostra compreender o significado deste ato e aqui acorreu aos milhares para todos juntos dizermos a Deus antes de tudo o nosso muito obrigado por nos ter concedido esta graça, podermos ter construído este seminário. Tê-lo já pronto e inclusive com numerosos jovens que já estão prontos dentro de alguns dias e aqui vir para iniciar sua preparação ao sacerdócio. Vamos todos agradecer a Deus!
 
Que o Sacrifício Eucarístico, que celebramos aqui, seja um hino de ação de graças a Deus e a todos aqueles que colaboraram para este ato, para este acontecimento e todos unidos implorarmos de Deus que esta casa possa pelos anos afora cumprir a sua missão: que é de formar bons e santos sacerdotes. E neste momento meus caríssimos, eu gostaria de fazer umas breves considerações que nos digam aquilo que significa este ato. O porquê deste novo seminário, a razão desta nossa presença, o motivo desta nossa alegria incontida que vai aos nossos corações. E vós compreendereis meus irmãos o porquê de toda esta solenidade, e toda esta alegria. Lembrando as palavras do Concilio Ecumênico Vaticano II: Os Bispos reunidos em Roma, proclamam esta grande verdade: “O pastor e bispo de nossas almas Cristo Jesus, constituiu a Igreja de tal maneira que o povo por ele escolhido e comprado com o seu sangue tivesse sempre até o fim do mundo os próprios sacerdotes para que os cristãos nunca se encontrassem na condição de ovelhas sem pastor”. Aqui esta meus irmãos todo motivo e toda razão deste nosso encontro e desta nossa alegria, ao inaugurarmos o Seminário Diocesano Mãe de Deus. É que foi esta a intenção de Cristo Jesus! Ele confiou a sua igreja aos sacerdotes, a fim de continuarem como bons pastores a dirigir as almas compradas, adquiridas com o sangue de Cristo. De fato meus irmãos, o sacerdote como dizia João Paulo II, o nosso Santo Padre o Papa, é necessário na Igreja. Sem sacerdotes não há Igreja, sem sacerdotes não há filhos de Deus, sem sacerdotes não há pastor pra conduzir as ovelhas, sem sacerdotes não haveria nem mestre nem doutor da doutrina de Cristo, nem a graça, nem o carinho e o amor de um Deus, que quer acompanhar os seus filhos em peregrinação por esta terra. Por isto nós nos sentimos felizes e aqui estamos porque o pastor das nossas almas, Cristo Jesus quis assim: que houvesse sacerdotes. E se esta meus irmãos é a vontade de Deus, que a igreja até o fim do mundo tenha os seus próprios sacerdotes, para que os cristãos nunca se encontrem em condição de ovelha sem pastor, é necessário que nós tenhamos este cuidado de formar sacerdotes. É o primeiro e grande dever da igreja, é a primeira e grande obrigação de todos os filhos de Deus, de todos nós que formamos a Igreja: papas, bispos, sacerdotes, os religiosos, os leigos. É nossa obrigação! A primeira, a maior, a mais importante sem a qual não haveria igreja!!! A de formarmos padres, a de providenciarmos para a igreja pastores que conduzam as almas pela senda do evangelho até a felicidade eterna. É nosso dever, é nossa obrigação, é um empenho que não podemos descarregar dos nossos ombros, e não podemos libertar a nossa consciência. Não seriamos cristãos verdadeiros, não seriamos membros da igreja autênticos se todos nós não nos dedicássemos a esta grande obra, a este grande mistério. A de formarmos padres, sacerdotes, ministros de Cristo que continuem a sua obra redentora. E se é necessário meus irmãos formar padres, é necessário termos seminários, é necessário providenciarmos o local onde, acolher estes jovens cheios de boa vontade, e cheios de coragem, cheios de espírito de sacrifício. Chamados, dispostos a responder ao chamado mesmo à custa de renúncia e sacrifício. Nós os devemos acolher, nós os devemos preparar desde os primeiros anos começando desde logo a orientá-los e dirigi-los, dando-lhes toda aquela formação, não somente uma formação humana, cultural e científica que qualquer colégio pode dar, mas uma formação que acrescente a esta formação científica e cultural, a formação da alma, a formação do espírito, a formação do caráter para que possam assemelhar-se a Cristo, apropriar-se dos sentimentos de Cristo, do seu ardor, do seu amor e de seu espírito de sacrifício. A fim de poder depois representá-lo ao vivo em meio ao seu povo e ser o pastor das almas. É necessário que haja seminários, é necessário reunir e acolher estes jovens para poder dar-lhes o espírito de Cristo. Como fez, aliás o próprio Cristo logo no início da sua missão evangelizadora. Primeira coisa que Cristo fez, a primeira sua preocupação foi formar o seminário, foi reunir os dozes apóstolos e durante três anos acompanhá-los de perto e infundir-lhes o seu espírito, dar-lhes o seu coração formá-los a sua imagem. E é por isto se é necessário que haja seminários, foi necessário que nós providenciarmos para nossa Diocese de Ponta Grossa este Seminário. Vedes portanto a razão meus irmãos. Estais compreendendo os motivos que nos levaram a nos lançarmos nesta iniciativa e nessa empresa que custou sacrifícios. Mas aí está!!! Graças a Deus. Se é necessário e é da vontade de Cristo que haja sacerdotes, nós temos a obrigação de formá-los. Se, é necessário formá-los na ciência, na cultura e na santidade devemos ter seminários e aqui está! Graças a Deus o Seminário Diocesano Mãe de Deus, hoje inaugurado com alegria, com satisfação e com entusiasmo de todos nós. Mas meus irmãos, nós deveríamos neste instante, também considerarmos a nossa obrigação para com este seminário  e com todos os seminários, e aqui em Irati com o seminário santa Maria, uma cidade que já possui dois seminários com numerosos seminaristas. Vós talvez não podeis compreender agora tudo que de bem, de graças, de favores alcançareis de Deus com a presença deste centro de formação sacerdotal, mas é preciso que todos nós compreendamos os nossos deveres, a nossa obrigação e assumamos as nossas responsabilidades. E qual é, meus caríssimos esta nossa responsabilidade? A dos bispos, dos sacerdotes, religiosos, religiosas e de todo povo de Deus.
 
Qual é esta nossa responsabilidade?
 
Antes de tudo meus irmãos é o grande aviso, é o grande alerta de Cristo Jesus. Rogai ao Senhor da messe, para que mande operários para sua messe. Pedi a Deus, que vos mande bons e santos sacerdotes. Esta é a nossa primeira e substancial, essencial obrigação. Todos nós devemos rezar pelos nossos seminaristas, pelas vocações, pelos padres. É condição imposta por Deus meus irmãos; e eu não sei se o mundo e o Brasil não tem tantos padres, não seja esta razão: por que muitos não rezam. Todos os dias, devemos elevar até Deus as nossas preces pessoalmente e individualmente, em nossas famílias, em nossas comunidades e em nossas paróquias a oração pelos sacerdotes, a oração pelas vocações, a oração pela perseverança destas vocações, e sua formação deve ser a oração constante de todos os momentos em todos os lares, em todas as comunidades. Que se reze. Nós nos sentimos felizes e fizemos feliz o santo padre, o papa PAULO VI, quando em uma audiência nós podemos dizer a ele que tínhamos aproximadamente mais de 30 mil famílias na diocese que rezam o terço toda noite pelas vocações sacerdotais. O santo padre derramou lágrimas e respondeu: “aí esta o segredo das vocações e da perseverança destas vocações e da santificação do clero. Meus irmãos vamos rezar!. Rezemos todos os dias, e obteremos com certeza muitas vocações e bons sacerdotes. Mas é necessário também que compreendamos meus irmãos que o trabalho de formação de um padre é longo, cheio de sacrifícios e muito custoso!” Custa formar um padre! São necessário estudos, é necessária a manutenção do Seminário. Ele esta aqui pronto e construído, mas virão aqui os seminaristas logo mais daqui alguns dias, talvez uns 30 seminaristas, virão outros no futuro e eles precisam de tantas coisas humanas, terrenas pois estamos neste mundo e é preciso formá-los. E aí esta a nossa outra obrigação de olhar para o seminário como se fosse a nossa casa, olhar para o seminário como se fosse a nossa família. Ver os jovens que aqui estão como se fossem nossos filhos e os nossos futuros ministros e pastores. Àqueles que irão educar irão levar para o céu...
 
Dom Geraldo M. Pellanda - Bispo Diocesano.
 
 
  • ESTUDOS
I. Desde 1982 até 1991 o Seminário acolheu os seminaristas que cursavam o primeiro grau ou ainda as séries iniciais.
 
II. A partir de 1992, os seminaristas que cursavam o segundo grau (ensino médio), no Seminário São José em Ponta Grossa, foram transferidos para o Seminário Mãe de Deus em Irati.
 
III. Apenas alguns seminaristas em “casos especiais” ainda permaneceram no Seminário Mãe de Deus cursando o primeiro grau.
 
IV. Os Seminaristas fazem o 2º. Grau nas Instituições de Ensino da Cidade de Irati e também recebem a formação sacerdotal no Seminário Mãe de Deus.
 
 
REITORES 
 
Desde 1982 vários reitores estiveram na direção do Seminário Mãe de Deus.
 
Nesta ordem:
 
Pe. Abrão Becher (1982 – 1988)
Pe. Pedro Gavlak (1988 - 1990)
Pe. José Lauro Gomes (1991)
Pe. Silvio Breginski (1991)
Pe. Jaime Rossa (1992 -1993)
Pe. Ademir da Guia (1994)
Pe. Abrão Becher (1995)
Pe. Glauco Camargo (1996 – 1997)
Pe. Celso Speke (1998 – 2003)
Pe. Abrão Becher (2003)
Pe. Luiz Carlos Mirkoski (2004 – 2005)
Pe. Leonel Stanski (2005 – 2009)
Pe. José Nilson Santos (2010 até os dias atuais).
 
 
OBS.:  Em 2011 o Seminário Diocesano Mãe de Deus foi desativado pela falta de vocações ao clero diocesano secular.
 
O Pe. José Nilson Santos foi residir no Seminário Diocesano Propedêutico junto com o Pe. Osvaldo Pinheiro e dar acompanhamento para a
 
Pastoral Vocacional Diocesana.
 
 
  • SÍNTESE DO ESPÍRITO QUE REGE O SEMINÁRIO
  • OBJETIVO GERAL
"Preparar-se para seguir Cristo Redentor com ânimo generoso e puro: é este o objetivo do Seminário Menor indicado pelo Concílio, no Decreto Optatam Totius.
 
  • CANDIDATOS E OBJETIVO ESPECÍFICO
O Seminário Menor Diocesano Mãe de Deus, em Irati, é uma casa de formação destinada a acolher os candidatos que sentirem sinais de vocação ao sacerdócio. “É uma comunidade voltada ao aprofundamento da vocação cristã e, especificamente, ao discernimento da vocação presbiteral, à formação inicial e aos estudos preparatórios ao Seminário Maior" (Diretrizes Básicas - Documento CNBB, 55,).
 
  •  PERFIL EDUCATIVO
Perfil educativo: os alunos, 'sob a orientação paterna dos superiores, com a colaboração oportuna dos pais, levem uma vida plenamente conforme à idade, espírito e evolução dos adolescentes, segundo as normas da sã psicologia, sem omitir a conveniente experiência das coisas humanas e o contato com a própria família'." (PDV, 63 - citacão interna da OT, 3)
 
 
  •  CANDIDATOS – REQUISITOS PRÉVIOS
Serão acolhidos no Seminário Menor somente os candidatos que sentirem em si algum germe de vocação ao sacerdócio e estiverem dispostos a submeter-se a um solícito discernimento e acompanhamento, realizado pelos responsáveis do Seminário. Além, obviamente, de reunirem alguns requisitos básicos, tais como: idade e formação escolar suficiente, engajamento na vida comunitária, apreciação por parte do seu respectivo pároco, vontade explícita e própria de iniciar uma vida comunitária, espírito de fé e obediência e ter sido selecionado através dos estágios e encontros da pastoral vocacional diocesana.
 
Nesse sentido, a proposta educativa do Seminário "tende a favorecer, de modo tempestivo e gradual, aquela formação humana, cultural e espiritual que conduzirá o jovem a empreender o caminho para o Seminário Maior com uma base adequada e sólida" (PDV, 63).
 
  • VONTADE PESSOAL DE FAZER UMA CAMINHADA DE DISCERNIMENTO VOCACIONAL PARA O PRESBITERADO.
  • TER IDADE, SAÚDE, FORMAÇÃO ESCOLAR , VIDA COMUNITÁRIA, ESPÍRITO DE FÉ E DE OBEDIÊNCIA.
  • APROVAÇÃO E CONHECIMENTO DO SEU PÁROCO.
  • DEVE TER SIDO SELECIONADO ATRAVÉS DOS ESTÁGIOS E ENCONTROS DA PASTORAL VOCACIONAL DIOCESANA.
 
AS DIVERSAS DIMENSÕES DA FORMAÇÃO
 
 
I - Formação Humana e Afetiva.
 
A Forma humana é básica para o amadurecimento cristão. "Portanto, não só para uma justa e indispensável maturação e realização de si mesmo, mas também com vista ao ministério, os candidatos ao sacerdócio deverão cultivar uma série" de qualidades humanas necessárias à construção de personalidades equilibradas, fortes e livres, capazes de suportar o peso das responsabilidades pastorais. “É necessária, pois, a educação para o amor à verdade, à lealdade, o respeito por cada pessoa, o sentido da justiça, a fidelidade à palavra dada, a verdadeira compaixão, a coerência, e, particularmente, para o equilíbrio de juízos e comportamentos.” (PDV, 43)
 
II - Dimensão Comunitária.
 
"É essencial assegurar a formadores e seminaristas as condições efetivas de uma vida comunitária inspirada pelo Evangelho, qualquer que seja a solução institucional adotada, grande seminário ou comunidades menores." (Diretrizes Básicas - Documento da CNBB, n.o 55, 101). "De particular importância se afigura a capacidade de relacionamento com os outros, elemento verdadeiramente essencial para quem é chamado a ser responsável por uma comunidade e ser 'homem de comunhão'." (PDV, 43) Isso exige que os candidatos ao sacerdócio não sejam nem arrogantes nem briguentos, mas afáveis, hospitaleiros, sinceros nas palavras e no coração, prudentes e discretos, generosos e disponíveis para o serviço, capazes de oferecer pessoalmente e de suscitar em todos relacionamentos francos e fraternos, prontos a compreender, perdoar e consolar (cf. PDV, 43). É necessário, por isso, "renovar continuamente as motivações da vida comunitária" (Diretrizes Básicas - Documento CNBB, n.o 55, 103).
 
 
III. Dimensão Espiritual
 
"A formação espiritual (dos seminaristas) seja ministrada de tal modo que os alunos aprendam a viver em íntima comunhão e familiaridade com o Pai, por meio do seu Filho Jesus Cristo, no Espírito Santo. (...) Habituem-se também a viver intimamente unidos a Cristo como amigos, em toda a sua vida." (Concílio Vaticano 11, Optatam Totius, 8 - citado na PDV, 45). Essa formação "procede por etapas, que começam pela iniciação e levam, gradativamente, ao amadurecimento e ao aperfeiçoamento" (Diretrizes Básicas ­Documento CNBB, n.O 55, 125). A formação espiritual no Seminário Menor visa, pois, a aperfeiçoar os valores humanos de cada um, de forma que os seminaristas apresentem condições reais para um normal crescimento vocacional.
 
 IV. Dimensão Intelectual
A formação intelectual "configura-se efetivamente como uma exigência irreprimível da inteligência pela qual o homem 'participa da luz da inteligência de Deus' e procura adquirir uma sabedoria que, por sua vez, se abre e orienta para o conhecimento e a adesão a Deus. (...) A obrigação do estudo, que preenche uma grande parte da vida de quem se prepara para o sacerdócio, não constitui de modo algum uma componente exterior e secundária do crescimento humano, cristão, espiritual e vocacional..." (PDV, 51).
 
 
 
 
ORAÇÃO VOCACIONAL do 39º Dia Mundial de Oração pelas Vocações
  
Lado A: Pai Santo olha para esta nossa humanidade, que dá os primeiros passos no caminho do terceiro milênio.
                                 
Lado B: A sua vida ainda é fortemente marcada pelo ódio, pela violência, pela opressão,
 
Lado A: Mas a fome de justiça, verdade e graça ainda acha espaço no coração de muitos, que esperam que tragas a salvação realizada por ti, por meio de teu Filho Jesus.
 
Lado B: Precisamos de arautos corajosos do evangelho, de servos generosos da humanidade sofredora.
 
Lado A: Manda à tua Igreja, nós te suplicamos, presbíteros santos, que santifiquem o teu povo com os instrumentos da tua graça.
 
Lado B: Manda numerosos consagrados e consagradas que mostrem a tua santidade no meio do mundo.
 
Lado A: Manda para tua vinha operários santos que ajam com o ardor da caridade.
 
Lado B: Impelidos por teu Santo Espírito, levem a salvação de Cristo até os últimos confins da terra.
 
T.: Amém!
 
 
CONTATO
Seminário Diocesano Mãe de Deus.
Reitor: Pe. José Nilson Santos.
Rua: Camacuã, 381 - Bairro Rio Bonito - Cx. Postal: 280.
CEP: 84.500-000 – IRATI – PARANÁ.
FONE: (42) 3422-3057
 
Visite o seminário! Colabore com as vocações! Reze pelas vocações!
 
VOCÊ JÁ PENSOU EM SER PADRE ?
 

Fotos/ Imagens do Seminário

 

Copyright © 2008. Diocese Ponta Grossa. Todos os direitos reservados.
Site melhor visualizado em resolução 1024x768 ou superior. Política de Privacidade.
KMM Engenharia de Sistemas