DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 16/11/2018

Cáritas financia projeto de horta comunitária

Em Irati, parceria envolve Secretaria de Assistência Social

 
A comunidade do Bairro Pedreira está sendo integrada na implantação das hortas A comunidade do Bairro Pedreira está sendo integrada na implantação das hortas | Crédito:

      A Cáritas é parceira do Projeto Quintais Urbanos – Segurança Alimentar e Aspectos Socioambientais, desenvolvido pela Secretaria de Assistência Social de Irati. Iniciado há um mês, a iniciativa envolve mulheres do Bairro Pedreira e se baseia na implantação de hortas comunitárias tanto para a produção de alimentos quanto de plantas medicinais. Via Cáritas, o projeto recebeu R$  3.971,44, oriundos do Fundo Diocesano de Solidariedade, cuja principal fonte é a coleta realizada no Domingo de Ramos. Ao todo, a Cáritas Ponta Grossa assessora sete projetos, beneficiando 337 pessoas.

      Segundo a idealizadora da iniciativa, a engenheira florestal Fernanda Rocha Reda, o projeto consiste na construção de um quintal comunitário para o plantio de verduras, legumes e temperos. “Queremos garantir alimentação saudável aos moradores e, futuramente, usar esse espaço como fonte geradora de renda através da comercialização de produtos advindos do quintal”, argumenta, citando que a intenção é criar um grupo de reflexão e aprendizado, acerca de temas como correta destinação dos resíduos, qualidade do meio ambiente, formas de cultivo de hortaliças, urgência na proteção dos polinizadores, organização comunitária, entre outros.

      “Cinco mulheres participam assiduamente. Mais crianças e adolescentes, trazidos por elas, ao todo, participam do projeto aproximadamente 15 pessoas. Estamos no início por isso a participação é pequena, mas precisamos que mais integrantes da comunidade se integrem às atividades”, comenta Fernanda. A start do projeto começou já em novembro, explica, com a realização de oficinas de desenvolvimento comunitário em novembro, que mobilizou as mulheres da comunidade, já beneficiada com o Projeto Ecotroca, onde se trocava material reciclável por verduras e legumes. “Já estavam trabalhando a temática”, acrescenta. Dos recursos vindos da Cáritas, informa a engenheira florestal, foram usado R$ 470 na compra de terra, mudas e equipamentos como pá, enxada, e, na montagem dos canteiros.  

      Em uma segunda frente, está sendo estruturada horta com plantas medicinais - tanchagem, artimijo, manjerina, boldo, hortelã, melissa, erva-cidreira, batata yacon, cebolinha, salsinha, novalgina, alecrim, arruda, marcela, insulina, anador, poejo, alcachofra, canfora, cavalinha e figatil – para consumo da comunidade e, em um segundo momento, comercialização de produtos e subprodutos advindos dos canteiros, como pomadas e extratos medicinais, compotas e mudas de hortaliças.


Caritas

      “Estamos levando esse projeto com toda a seriedade para que essa parceria com a Cáritas se solidifique para que possamos sonhar com uma agroindústria pequena para que possamos manipular esses medicinais ou até mesmo produzir compotas, doces, molho de tomate, em novas parcerias. A ideia é reunir diferentes interesses nesse projeto”, avalia Fernanda

      O Projeto Quintas Urbanos – Segurança Alimentar e Aspectos Socioambientais é um dos oito projetos assessorados pela Cáritas Diocesana em 2018. Além dos sete desenvolvidos no Brasil, a Diocese apóia o Projeto Articulado de Alimentos na região de Fondwa, no Haiti, que visa promover a estratégia de desenvolvimento rural com base na organização da produção de alimentos orgânicos destinados as escolas rurais e hospitais da região de Fondwa e a capacitação do professores da Universidade Rural de Fondwa. São atendidas 175 comunidades. Só entre os projetos brasileiros, são beneficiadas 337 pessoas. Os recursos investidos totalizam R$ 27.127,44.

      A Cáritas - organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - é uma entidade de assessoramento, de promoção e atuação social, que trabalha na defesa de direitos e do desenvolvimento sustentável solidário. A Cáritas Diocesana, de Ponta Grossa foi oficialmente no dia 5 de agosto de 2007.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Live atinge mais de 10 mil pessoas   |   Missa do Crisma será no feriado   |   Catedral faz festa pelos seus 197 anos   |   Missa online vai ‘conectar’ jovens   |  





Publicado em: 16/11/2018

Cáritas financia projeto de horta comunitária

Em Irati, parceria envolve Secretaria de Assistência Social

 

      A Cáritas é parceira do Projeto Quintais Urbanos – Segurança Alimentar e Aspectos Socioambientais, desenvolvido pela Secretaria de Assistência Social de Irati. Iniciado há um mês, a iniciativa envolve mulheres do Bairro Pedreira e se baseia na implantação de hortas comunitárias tanto para a produção de alimentos quanto de plantas medicinais. Via Cáritas, o projeto recebeu R$  3.971,44, oriundos do Fundo Diocesano de Solidariedade, cuja principal fonte é a coleta realizada no Domingo de Ramos. Ao todo, a Cáritas Ponta Grossa assessora sete projetos, beneficiando 337 pessoas.

      Segundo a idealizadora da iniciativa, a engenheira florestal Fernanda Rocha Reda, o projeto consiste na construção de um quintal comunitário para o plantio de verduras, legumes e temperos. “Queremos garantir alimentação saudável aos moradores e, futuramente, usar esse espaço como fonte geradora de renda através da comercialização de produtos advindos do quintal”, argumenta, citando que a intenção é criar um grupo de reflexão e aprendizado, acerca de temas como correta destinação dos resíduos, qualidade do meio ambiente, formas de cultivo de hortaliças, urgência na proteção dos polinizadores, organização comunitária, entre outros.

      “Cinco mulheres participam assiduamente. Mais crianças e adolescentes, trazidos por elas, ao todo, participam do projeto aproximadamente 15 pessoas. Estamos no início por isso a participação é pequena, mas precisamos que mais integrantes da comunidade se integrem às atividades”, comenta Fernanda. A start do projeto começou já em novembro, explica, com a realização de oficinas de desenvolvimento comunitário em novembro, que mobilizou as mulheres da comunidade, já beneficiada com o Projeto Ecotroca, onde se trocava material reciclável por verduras e legumes. “Já estavam trabalhando a temática”, acrescenta. Dos recursos vindos da Cáritas, informa a engenheira florestal, foram usado R$ 470 na compra de terra, mudas e equipamentos como pá, enxada, e, na montagem dos canteiros.  

      Em uma segunda frente, está sendo estruturada horta com plantas medicinais - tanchagem, artimijo, manjerina, boldo, hortelã, melissa, erva-cidreira, batata yacon, cebolinha, salsinha, novalgina, alecrim, arruda, marcela, insulina, anador, poejo, alcachofra, canfora, cavalinha e figatil – para consumo da comunidade e, em um segundo momento, comercialização de produtos e subprodutos advindos dos canteiros, como pomadas e extratos medicinais, compotas e mudas de hortaliças.


Caritas

      “Estamos levando esse projeto com toda a seriedade para que essa parceria com a Cáritas se solidifique para que possamos sonhar com uma agroindústria pequena para que possamos manipular esses medicinais ou até mesmo produzir compotas, doces, molho de tomate, em novas parcerias. A ideia é reunir diferentes interesses nesse projeto”, avalia Fernanda

      O Projeto Quintas Urbanos – Segurança Alimentar e Aspectos Socioambientais é um dos oito projetos assessorados pela Cáritas Diocesana em 2018. Além dos sete desenvolvidos no Brasil, a Diocese apóia o Projeto Articulado de Alimentos na região de Fondwa, no Haiti, que visa promover a estratégia de desenvolvimento rural com base na organização da produção de alimentos orgânicos destinados as escolas rurais e hospitais da região de Fondwa e a capacitação do professores da Universidade Rural de Fondwa. São atendidas 175 comunidades. Só entre os projetos brasileiros, são beneficiadas 337 pessoas. Os recursos investidos totalizam R$ 27.127,44.

      A Cáritas - organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - é uma entidade de assessoramento, de promoção e atuação social, que trabalha na defesa de direitos e do desenvolvimento sustentável solidário. A Cáritas Diocesana, de Ponta Grossa foi oficialmente no dia 5 de agosto de 2007.


Diocede Ponta Grossa
A comunidade do Bairro Pedreira está sendo integrada na implantação das hortas   |  

Diocede Ponta Grossa
Os canteiros das plantas medicinais têm formato de relógio   |  


Navegue até a sua Paróquia