DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 12/02/2019

Padre Mário morre na Bolívia

Sacerdote iniciou em Castro 1ª comunidade Cavanis no país

 
Chegada dos primeiros religiosos Cavanis no Brasil: da esquerda para direita, padre Francisco Giusti, dom Geraldo Pellanda, o prefeito de Castro, Libaneo Cardoso, e padres Livio Donati e Mario Merotto Chegada dos primeiros religiosos Cavanis no Brasil: da esquerda para direita, padre Francisco Giusti, dom Geraldo Pellanda, o prefeito de Castro, Libaneo Cardoso, e padres Livio Donati e Mario Merotto | Crédito: Acervo Religiosos Cavanis

Morreu na manhã desta segunda-feira (11), padre Mário Merotto, aos 91 anos, em um hospital de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, onde se encontrava internado. Era o único sacerdote ainda vivo e que fez parte da comitiva dos três primeiros padres italianos que vieram ao Brasil em 28 de janeiro de 1968, pertencentes a Congregação Cavanis. Castro foi escolhida para ter iniciada a primeira comunidade dos religiosos no país. Uma missa em sufrágio da alma do primeiro pároco da paróquia de São Judas Tadeu foi celebrada pelo padre Edmar de Souza, superior provincial dos Cavanis no Brasil, ainda nesta segunda-feira.

Há 50 anos, padre Mário Merotto chegou ao Brasil junto com outros dois sacerdotes –padres Francisco Giusti e Lívio Donati . Em Castro, foram recebidos em frente à igreja matriz de Sant’Ana pelo prefeito Libaneo Estanislau Cardoso e ainda pelo bispo da Diocese de Ponta Grossa, dom Geraldo Michelotto Pellanda.

Jovens da época, movidos pelo espírito da congregação, passaram a sentir-se impelidos em fazer parte deste ideal de vida, que era até então desconhecido. Mesmo com espaço limitado, mas notando o desejo destes jovens em querer fazer parte da experiência que o carisma possibilita junto a Divina Providência, os primeiros padres que aqui chegaram - entre eles, padre Mário Merotto - reorganizaram as estruturas que dispunham e, em 1971, adaptando um edifício para acolher o primeiro grupo de seminaristas (19 jovens), três anos depois (1974), criaram o primeiro Seminário Cavanis, hoje transformado em sede da Província Cavanis no Brasil.

Com isso, alargou-se a integração e expansão missionária dos religiosos Cavanis, iniciada em Castro, que em poucos anos se expandiria para outros estados do Brasil e, atualmente, em diversos países, entre eles, Colômbia, Equador, Bolívia, Romênia, República Democrática do Congo, Moçambique e Filipinas.


Expectativa de vinda

Ainda no início do ano passado, havia uma grande expectativa em contar com a presença do único representante dos primeiros padres italianos que chegaram no Brasil, em Castro. Ele viria para participar da solenidade alusiva ao cinquentenário da presença Cavanis no país, celebrada no último dia 20 de janeiro, na igreja matriz de Sant`Ana. Entretanto, o agravamento de seu estado de saúde, aliado a sua idade - 91 anos – impossibilitaram a viagem. O corpo de padre Mário Merotto foi sepultado em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.

Ao tomar conhecimento do falecimento de padre Mario, o bispo de Ponta Grossa, dom Sergio Arthur Braschi, celebrou missa pela alma do sacerdote e expressou suas condolências ao Superior Provincial e a toda a Congregação Cavanis. "Deus o recompense na glória eterna!", ressaltou dom Sergio.


Pesquisa e Informações: Renato de Oliveira/Pascom Paróquia São Judas Tadeu/ Castro


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Live atinge mais de 10 mil pessoas   |   Missa do Crisma será no feriado   |   Catedral faz festa pelos seus 197 anos   |   Missa online vai ‘conectar’ jovens   |  





Publicado em: 12/02/2019

Padre Mário morre na Bolívia

Sacerdote iniciou em Castro 1ª comunidade Cavanis no país

 

Morreu na manhã desta segunda-feira (11), padre Mário Merotto, aos 91 anos, em um hospital de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, onde se encontrava internado. Era o único sacerdote ainda vivo e que fez parte da comitiva dos três primeiros padres italianos que vieram ao Brasil em 28 de janeiro de 1968, pertencentes a Congregação Cavanis. Castro foi escolhida para ter iniciada a primeira comunidade dos religiosos no país. Uma missa em sufrágio da alma do primeiro pároco da paróquia de São Judas Tadeu foi celebrada pelo padre Edmar de Souza, superior provincial dos Cavanis no Brasil, ainda nesta segunda-feira.

Há 50 anos, padre Mário Merotto chegou ao Brasil junto com outros dois sacerdotes –padres Francisco Giusti e Lívio Donati . Em Castro, foram recebidos em frente à igreja matriz de Sant’Ana pelo prefeito Libaneo Estanislau Cardoso e ainda pelo bispo da Diocese de Ponta Grossa, dom Geraldo Michelotto Pellanda.

Jovens da época, movidos pelo espírito da congregação, passaram a sentir-se impelidos em fazer parte deste ideal de vida, que era até então desconhecido. Mesmo com espaço limitado, mas notando o desejo destes jovens em querer fazer parte da experiência que o carisma possibilita junto a Divina Providência, os primeiros padres que aqui chegaram - entre eles, padre Mário Merotto - reorganizaram as estruturas que dispunham e, em 1971, adaptando um edifício para acolher o primeiro grupo de seminaristas (19 jovens), três anos depois (1974), criaram o primeiro Seminário Cavanis, hoje transformado em sede da Província Cavanis no Brasil.

Com isso, alargou-se a integração e expansão missionária dos religiosos Cavanis, iniciada em Castro, que em poucos anos se expandiria para outros estados do Brasil e, atualmente, em diversos países, entre eles, Colômbia, Equador, Bolívia, Romênia, República Democrática do Congo, Moçambique e Filipinas.


Expectativa de vinda

Ainda no início do ano passado, havia uma grande expectativa em contar com a presença do único representante dos primeiros padres italianos que chegaram no Brasil, em Castro. Ele viria para participar da solenidade alusiva ao cinquentenário da presença Cavanis no país, celebrada no último dia 20 de janeiro, na igreja matriz de Sant`Ana. Entretanto, o agravamento de seu estado de saúde, aliado a sua idade - 91 anos – impossibilitaram a viagem. O corpo de padre Mário Merotto foi sepultado em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.

Ao tomar conhecimento do falecimento de padre Mario, o bispo de Ponta Grossa, dom Sergio Arthur Braschi, celebrou missa pela alma do sacerdote e expressou suas condolências ao Superior Provincial e a toda a Congregação Cavanis. "Deus o recompense na glória eterna!", ressaltou dom Sergio.


Pesquisa e Informações: Renato de Oliveira/Pascom Paróquia São Judas Tadeu/ Castro


Diocede Ponta Grossa
Chegada dos primeiros religiosos Cavanis no Brasil: da esquerda para direita, padre Francisco Giusti, dom Geraldo Pellanda, o prefeito de Castro, Libaneo Cardoso, e padres Livio Donati e Mario Merotto   |   Acervo Religiosos Cavanis

Diocede Ponta Grossa
Padre Mário Merotto faleceu aos 91 anos, em um hospital de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia   |   Acervo Religiosos Cavanis


Navegue até a sua Paróquia