DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 10/06/2019

Paróquias de sete cidades participam do Bivaque

Secretário nacional da Pastoral Vocacional falou aos agentes

 
Dom Sergio passou à tarde pelo encontro e comentou a importância da animação vocacional Dom Sergio passou à tarde pelo encontro e comentou a importância da animação vocacional | Crédito: AssCom Diocese de Ponta Grossa

      A sexta edição do Bivaque, realizada no último sábado (8), reuniu representantes de 18 paróquias de Ponta Grossa, Carambeí, Irati, Ventania, Piraí do Sul, Irati e Teixeira Soares. Nas próximas semanas, as restantes das 28 paróquias diocesanas serão visitadas por integrantes do Serviço de Animação Vocacional (SAV), que discorrerão a respeito do conteúdo abordado pelo secretário nacional da Pastoral Vocacional, padre José Alir Moreira, assessor do encontro, e distribuirão o material preparado. Tudo com a perspectiva de se criar um trabalho conjunto de animação vocacional de toda a Igreja.

      “Cada ano estamos melhorando, amadurecendo e trazendo um  ânimo novo. A aceitação foi muito boa, em especial, das paróquias diocesanas. As de congregações tem uma caminhada diferente, que segue o carisma, tem animador vocacional, que trabalha na Província e dá esse suporte e assessoria”, justificou o coordenador diocesano do Serviço de Animação Vocacional, padre Osvaldo Pinheiro. Conforme o padre, há sempre pessoas novas integrando as equipes e o grupo, como um todo, ficou animado e impressionado com a diversidade e riqueza do material de suporte elaborado. À tarde, padre Osvaldo fez uma leitura comentada das sugestões de atividades para as equipes vocacionais, pedindo que as orações, do rosário ou de uma dezena do terço, a vocacional ou à Mãe da Divina Graça, sejam feitas em forma de mini-celebrações, entoando-se sempre o Hino à Mãe das Vocações. “Vamos dinamizar, sair do mecânico, do fazer só por fazer”, sugeriu.

      Padre José Alir Moreira está há oito anos na equipe da Pastoral Vocacional do Regional Sul 2 e, nos últimos três anos, atua como secretário nacional da Pastoral. De acordo com padre Zezinho, como é mais conhecido, é muito positivo ver a abertura das comunidades paroquiais em poder promover e, ao mesmo tempo, estruturar as equipes vocacionais. “É aquilo que sentimos hoje como necessidade. Realmente, as pessoas estão abertas, disponíveis, interessadas. É bom termos nas paróquias equipes que promovam essa cultura, esse trabalho vocacional mais qualificado, em todos os âmbitos da atividade pastoral da Igreja”, avaliou.


Congresso

      Para o secretário nacional da Pastoral Vocacional, constatou-se que, pelo momento em que se vive de Igreja, de comunidades, necessita trazer para o centro essa dimensão vocacional, acima de tudo, para despertar a consciência da vocação de cada cristão batizado. “Estamos trabalhando nos últimos dois anos a preparação para o quarto Congresso Vocacional do Brasil. Temos uma caminhada histórica e, agora, chegamos para celebrar, vivenciá-la, iluminados pelo Sínodo da Juventude: ‘Os jovens, a Fé e o Discernimento Vocacional’. O momento é de despertar a consciência de gestar uma cultura vocacional em todas as nossas comunidades. Por isso estamos focados nesse trabalho de formação das lideranças, dos sacerdotes, religiosos e seminaristas, de todos assumirem com convicção esse empenho”, comentou, lembrando o apelo do Papa Francisco de rezar pelas vocações, em primeiro lugar. “Bem sabemos disso, desde a perspectiva do Evangelho, o pedido de Jesus, mas também (pensamos em) capacitar as pessoas que levem e amadureçam a sua própria para melhor atrair outras vocações”.

       No Bivaque, padre Zezinho, pela manhã, abordou o objetivo do congresso, com iluminação bíblica, e a perspectiva especifica de aprofundar nessa dimensão o discernimento vocacional. “Como ajudar cada jovem, cada pessoa, a fazer sua escolha de fé, madura, livre, diante do chamado de Deus, que nos interpela sempre a darmos uma resposta. De quais são os instrumentais, tratando das pessoas capacitadas para ajudar no processo e da preocupação em promover e formar diretores espirituais que acompanhem o jovem, o adolescente, em sua comunidade, e os ajude a fazer um itinerário, a assumir uma caminhada de fé, para que possam discernir sua vocação”, resumiu o assessor.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
|





Publicado em: 10/06/2019

Paróquias de sete cidades participam do Bivaque

Secretário nacional da Pastoral Vocacional falou aos agentes

 

      A sexta edição do Bivaque, realizada no último sábado (8), reuniu representantes de 18 paróquias de Ponta Grossa, Carambeí, Irati, Ventania, Piraí do Sul, Irati e Teixeira Soares. Nas próximas semanas, as restantes das 28 paróquias diocesanas serão visitadas por integrantes do Serviço de Animação Vocacional (SAV), que discorrerão a respeito do conteúdo abordado pelo secretário nacional da Pastoral Vocacional, padre José Alir Moreira, assessor do encontro, e distribuirão o material preparado. Tudo com a perspectiva de se criar um trabalho conjunto de animação vocacional de toda a Igreja.

      “Cada ano estamos melhorando, amadurecendo e trazendo um  ânimo novo. A aceitação foi muito boa, em especial, das paróquias diocesanas. As de congregações tem uma caminhada diferente, que segue o carisma, tem animador vocacional, que trabalha na Província e dá esse suporte e assessoria”, justificou o coordenador diocesano do Serviço de Animação Vocacional, padre Osvaldo Pinheiro. Conforme o padre, há sempre pessoas novas integrando as equipes e o grupo, como um todo, ficou animado e impressionado com a diversidade e riqueza do material de suporte elaborado. À tarde, padre Osvaldo fez uma leitura comentada das sugestões de atividades para as equipes vocacionais, pedindo que as orações, do rosário ou de uma dezena do terço, a vocacional ou à Mãe da Divina Graça, sejam feitas em forma de mini-celebrações, entoando-se sempre o Hino à Mãe das Vocações. “Vamos dinamizar, sair do mecânico, do fazer só por fazer”, sugeriu.

      Padre José Alir Moreira está há oito anos na equipe da Pastoral Vocacional do Regional Sul 2 e, nos últimos três anos, atua como secretário nacional da Pastoral. De acordo com padre Zezinho, como é mais conhecido, é muito positivo ver a abertura das comunidades paroquiais em poder promover e, ao mesmo tempo, estruturar as equipes vocacionais. “É aquilo que sentimos hoje como necessidade. Realmente, as pessoas estão abertas, disponíveis, interessadas. É bom termos nas paróquias equipes que promovam essa cultura, esse trabalho vocacional mais qualificado, em todos os âmbitos da atividade pastoral da Igreja”, avaliou.


Congresso

      Para o secretário nacional da Pastoral Vocacional, constatou-se que, pelo momento em que se vive de Igreja, de comunidades, necessita trazer para o centro essa dimensão vocacional, acima de tudo, para despertar a consciência da vocação de cada cristão batizado. “Estamos trabalhando nos últimos dois anos a preparação para o quarto Congresso Vocacional do Brasil. Temos uma caminhada histórica e, agora, chegamos para celebrar, vivenciá-la, iluminados pelo Sínodo da Juventude: ‘Os jovens, a Fé e o Discernimento Vocacional’. O momento é de despertar a consciência de gestar uma cultura vocacional em todas as nossas comunidades. Por isso estamos focados nesse trabalho de formação das lideranças, dos sacerdotes, religiosos e seminaristas, de todos assumirem com convicção esse empenho”, comentou, lembrando o apelo do Papa Francisco de rezar pelas vocações, em primeiro lugar. “Bem sabemos disso, desde a perspectiva do Evangelho, o pedido de Jesus, mas também (pensamos em) capacitar as pessoas que levem e amadureçam a sua própria para melhor atrair outras vocações”.

       No Bivaque, padre Zezinho, pela manhã, abordou o objetivo do congresso, com iluminação bíblica, e a perspectiva especifica de aprofundar nessa dimensão o discernimento vocacional. “Como ajudar cada jovem, cada pessoa, a fazer sua escolha de fé, madura, livre, diante do chamado de Deus, que nos interpela sempre a darmos uma resposta. De quais são os instrumentais, tratando das pessoas capacitadas para ajudar no processo e da preocupação em promover e formar diretores espirituais que acompanhem o jovem, o adolescente, em sua comunidade, e os ajude a fazer um itinerário, a assumir uma caminhada de fé, para que possam discernir sua vocação”, resumiu o assessor.


Diocede Ponta Grossa
Dom Sergio passou à tarde pelo encontro e comentou a importância da animação vocacional   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
A imagem da Mãe da Divina Graça, o símbolo da Ação Evangelizadora Cada Comunidade uma Nova Vocação, camiseta-modelo das equipes e o subsídio   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
O assessor foi padre Zezinho, secretário nacional da Pastoral Vocacional   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
A animação ficou por conta de seminaristas Gabriel Freytag, Iuri Buss e Christiann Bueno   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
Padre Osvaldo aproveitou para mostrar a camiseta pensada para as equipes   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
A sexta edição do Bivaque aconteceu no sábado, no Colégio São José/unidade São José   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia