DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 00/00/0000

Bispo preside dedicação da matriz da Santa Rita

Celebração homenageou padre Wilton e seus 41 anos de vida religiosa

 
Uma cerimônia rica em simbolismo, que consagrou o templo a Deus em honra a Santa Rita   Uma cerimônia rica em simbolismo, que consagrou o templo a Deus em honra a Santa Rita | Crédito: Divulgação

     Apesar de a Paróquia Santa Rita de Cássia,do bairro da Ronda, em Ponta Grossa, ter sido fundada há 53 anos, a igreja matriz ainda não tinha sido dedicada. Para marcar o fim de quase dois anos de reforma e homenagear o padre Wilton Moraes Lopes, primeiro padre da Congregação Copiosa Redenção que veio para a paróquia, que completou neste dia 5, 41 anos de vida religiosa, aconteceu, na noite de segunda-feira, a dedicação da igreja e seu altar. A celebração marcou a consagração do templo a Deus, em honra a Santa Rita.

     O bispo dom Sergio Arthur Braschi presidiu a cerimônia ao lado do pároco Pedro Cláudio Mendes, do vigário geral da Diocese, padre Jaime Rossa, sacerdotes, religiosos e religiosas. Centenas de fiéis lotaram a nova igreja durante a celebração, rica em simbolismos. O altar e o ambão foram ungidos com óleo bento e incensados. As 12 cruzes colocadas nas laterais da igreja, lembrando os 12 apóstolos, também foram ungidas e iluminadas por três lamparinas. “Poucas igrejas têm essa distinção, apenas algumas matrizes, catedrais. É uma celebração bela, de uma riqueza simbólica muito grande para lembrar a presença de Cristo, Sua Palavra, e que as comunidades são fundadas sob o alicerce firme dos 12 apóstolos. Isso fortifica a fé do povo”, comentou dom Sergio, explicando os ritos da dedicação. “Santa Rita é uma santa de minha devoção; eu que estive lá próximo do corpo de Santa Rita, passei tempos no santuário na Itália e ali comecei a ter devoção a essa grande santa do século XIII”, confidenciou o bispo.

     Além de padre Wilton, o pároco Pedro Cláudio Mendes também foi homenageado não só pelo trabalho frente à reforma, mas por seus 18 anos como religioso. Pessoas das quatro comunidades que integram a paróquia auxiliaram na celebração, em uma menção ao Ano do Laicato. Momentos antes do descerramento da placa comemorativa, no átrio, a imagem da padroeira Santa Rita foi carregada do altar e instalada em um oratório à direita da porta de entrada. Padre Pedro explicou alguns detalhes da obra, falando das quatro colunas que lembram os quatro Evangelhos, da cruz interna central que remete a necessidade de amar e viver em função do crucificado, e, das duas pedras sobrepostas do altar, que simbolizam o abraço de Cristo.

     O padre agradeceu a confiança do bispo, a ajuda e acolhida da comunidade, em especial do tesoureiro da paróquia, Dário Inácio, e da arquiteta Joana Bertocco. “Citando o amor à Santa Rita e a competência e entrega dessas duas pessoas, homenageio a todos os paroquianos envolvidos nesta obra. Meu amor incondicional ao padre Wilton, que abriu caminhos na paróquia, representou um novo tempo e que ainda hoje evangeliza, atendendo o povo aqui na igreja. Obrigado por seu coração que nunca desanimou”, enfatizou. Padre Pedro ainda lembrou a importância na vida da comunidade das Irmâs da Sagrada Família, da Copiosa Redenção e das Servas Carmelitas.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| ECC festeja seus 50 anos   |   Missa do Crisma reúne padres da diocese   |   Live atinge mais de 10 mil pessoas   |   Missa do Crisma será no feriado   |  





Publicado em: 00/00/0000

Bispo preside dedicação da matriz da Santa Rita

Celebração homenageou padre Wilton e seus 41 anos de vida religiosa

 

     Apesar de a Paróquia Santa Rita de Cássia,do bairro da Ronda, em Ponta Grossa, ter sido fundada há 53 anos, a igreja matriz ainda não tinha sido dedicada. Para marcar o fim de quase dois anos de reforma e homenagear o padre Wilton Moraes Lopes, primeiro padre da Congregação Copiosa Redenção que veio para a paróquia, que completou neste dia 5, 41 anos de vida religiosa, aconteceu, na noite de segunda-feira, a dedicação da igreja e seu altar. A celebração marcou a consagração do templo a Deus, em honra a Santa Rita.

     O bispo dom Sergio Arthur Braschi presidiu a cerimônia ao lado do pároco Pedro Cláudio Mendes, do vigário geral da Diocese, padre Jaime Rossa, sacerdotes, religiosos e religiosas. Centenas de fiéis lotaram a nova igreja durante a celebração, rica em simbolismos. O altar e o ambão foram ungidos com óleo bento e incensados. As 12 cruzes colocadas nas laterais da igreja, lembrando os 12 apóstolos, também foram ungidas e iluminadas por três lamparinas. “Poucas igrejas têm essa distinção, apenas algumas matrizes, catedrais. É uma celebração bela, de uma riqueza simbólica muito grande para lembrar a presença de Cristo, Sua Palavra, e que as comunidades são fundadas sob o alicerce firme dos 12 apóstolos. Isso fortifica a fé do povo”, comentou dom Sergio, explicando os ritos da dedicação. “Santa Rita é uma santa de minha devoção; eu que estive lá próximo do corpo de Santa Rita, passei tempos no santuário na Itália e ali comecei a ter devoção a essa grande santa do século XIII”, confidenciou o bispo.

     Além de padre Wilton, o pároco Pedro Cláudio Mendes também foi homenageado não só pelo trabalho frente à reforma, mas por seus 18 anos como religioso. Pessoas das quatro comunidades que integram a paróquia auxiliaram na celebração, em uma menção ao Ano do Laicato. Momentos antes do descerramento da placa comemorativa, no átrio, a imagem da padroeira Santa Rita foi carregada do altar e instalada em um oratório à direita da porta de entrada. Padre Pedro explicou alguns detalhes da obra, falando das quatro colunas que lembram os quatro Evangelhos, da cruz interna central que remete a necessidade de amar e viver em função do crucificado, e, das duas pedras sobrepostas do altar, que simbolizam o abraço de Cristo.

     O padre agradeceu a confiança do bispo, a ajuda e acolhida da comunidade, em especial do tesoureiro da paróquia, Dário Inácio, e da arquiteta Joana Bertocco. “Citando o amor à Santa Rita e a competência e entrega dessas duas pessoas, homenageio a todos os paroquianos envolvidos nesta obra. Meu amor incondicional ao padre Wilton, que abriu caminhos na paróquia, representou um novo tempo e que ainda hoje evangeliza, atendendo o povo aqui na igreja. Obrigado por seu coração que nunca desanimou”, enfatizou. Padre Pedro ainda lembrou a importância na vida da comunidade das Irmâs da Sagrada Família, da Copiosa Redenção e das Servas Carmelitas.


Diocede Ponta Grossa
Uma cerimônia rica em simbolismo, que consagrou o templo a Deus em honra a Santa Rita   |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
O espaço onde cabem mais de 500 pessoas ficou totalmente tomado pelos fiéis   |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
Dom Sergio, padre Jaime e o pároco descerraram a placa comemorativa   |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
  |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
  |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
Na celebração é ungido e incensado o altar, o ambão, as paredes, cruzes e o sacrário   |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
Na celebração é ungido e incensado o altar, o ambão, as paredes, cruzes e o sacrário   |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
As cruzes receberam três lamparinas e ficaram como que incendiadas   |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
As cruzes receberam três lamparinas e ficaram como que incendiadas   |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
  |   Divulgação


Navegue até a sua Paróquia