DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 02/08/2019

Missa celebra 25 anos da oficina de oração

Celebração acontece nesta sexta, na igreja São José

 
Padre Caetano, que está hoje em Novo Horizonte (PA), recebe convite para a celebração das mãos do casal João César e Lenir Padilha Padre Caetano, que está hoje em Novo Horizonte (PA), recebe convite para a celebração das mãos do casal João César e Lenir Padilha | Crédito: Acervo Oficina de Oração e Vida

      Os 25 anos de existência das oficinas de oração e vida na Diocese de Ponta Grossa serão lembrados com uma missa em ação de graças, nesta sexta-feira (2), às 19 horas, na igreja São José. O bispo dom Sergio Arthur Braschi conduzirá a celebração que contará com representantes da coordenação nacional e estadual do movimento; primeiros guias, oficinistas, e, guias que já não estão mais atuantes mas que continuam envolvidos com as oficinas. A primeira oficina de oração aconteceu em 1994 e foi aplicada em um colégio da cidade, pelo padre Caetano Ângelo Sandrini, sacerdote Cavanis, que formou os cinco primeiros guias.

      Movimento criado por frei Ignácio Larrañaga em 1984, a Oficina de Oração e Vida  existe em dez cidades da Diocese, reunindo pessoas que querem ter um encontro pessoal com o Senhor, explica a coordenadora diocesana Sumara Troyner Scoss. “Hoje, temos em todos os segmentos, desde crianças, adolescentes, jovens, adultos, a encontros de casais e encontros bíblicos. Em algumas cidades, estamos em fase de iniciação, como em Piraí do Sul, onde a oficina começa no dia 4 agora, com três guias de Ponta Grossa. A intenção é plantar essa semente”, comenta Sumara. Como em sua edição de estreia, a oficina acontece em diferentes espaços: de paróquias, capelas a associações e escolas de balé. “Vai onde as pessoas estão querendo esse encontro, tem essa sede de Deus”, acrescenta a coordenadora.

      As oficinas ocorrem duas vezes por ano, uma iniciando em março e outra em agosto. No caso de adultos, se desenrolam em 15 reuniões. O oficinista que quiser prosseguir na caminhada, pode fazer a escola de formação, que dura um ano e serve para o aprofundamento e a formatação de novos guias, ou, participar dos encontros do círculo de oração e vida, realizado por pessoas que acabaram de passar pela oficina. Elas se reúnem duas horas por semana, ao lado de um animador, para partilhar da Palavra, fazer orações e realizar ações de ajuda aos mais necessitados, nas comunidades ou fora delas. Ainda, dentro do grupo de guias, existem os círculos de guias, que se reúnem uma vez por semana, perto de 30 minutos, para a partilha da Palavra e rezar juntos.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Live atinge mais de 10 mil pessoas   |   Missa do Crisma será no feriado   |   Catedral faz festa pelos seus 197 anos   |   Missa online vai ‘conectar’ jovens   |  





Publicado em: 02/08/2019

Missa celebra 25 anos da oficina de oração

Celebração acontece nesta sexta, na igreja São José

 

      Os 25 anos de existência das oficinas de oração e vida na Diocese de Ponta Grossa serão lembrados com uma missa em ação de graças, nesta sexta-feira (2), às 19 horas, na igreja São José. O bispo dom Sergio Arthur Braschi conduzirá a celebração que contará com representantes da coordenação nacional e estadual do movimento; primeiros guias, oficinistas, e, guias que já não estão mais atuantes mas que continuam envolvidos com as oficinas. A primeira oficina de oração aconteceu em 1994 e foi aplicada em um colégio da cidade, pelo padre Caetano Ângelo Sandrini, sacerdote Cavanis, que formou os cinco primeiros guias.

      Movimento criado por frei Ignácio Larrañaga em 1984, a Oficina de Oração e Vida  existe em dez cidades da Diocese, reunindo pessoas que querem ter um encontro pessoal com o Senhor, explica a coordenadora diocesana Sumara Troyner Scoss. “Hoje, temos em todos os segmentos, desde crianças, adolescentes, jovens, adultos, a encontros de casais e encontros bíblicos. Em algumas cidades, estamos em fase de iniciação, como em Piraí do Sul, onde a oficina começa no dia 4 agora, com três guias de Ponta Grossa. A intenção é plantar essa semente”, comenta Sumara. Como em sua edição de estreia, a oficina acontece em diferentes espaços: de paróquias, capelas a associações e escolas de balé. “Vai onde as pessoas estão querendo esse encontro, tem essa sede de Deus”, acrescenta a coordenadora.

      As oficinas ocorrem duas vezes por ano, uma iniciando em março e outra em agosto. No caso de adultos, se desenrolam em 15 reuniões. O oficinista que quiser prosseguir na caminhada, pode fazer a escola de formação, que dura um ano e serve para o aprofundamento e a formatação de novos guias, ou, participar dos encontros do círculo de oração e vida, realizado por pessoas que acabaram de passar pela oficina. Elas se reúnem duas horas por semana, ao lado de um animador, para partilhar da Palavra, fazer orações e realizar ações de ajuda aos mais necessitados, nas comunidades ou fora delas. Ainda, dentro do grupo de guias, existem os círculos de guias, que se reúnem uma vez por semana, perto de 30 minutos, para a partilha da Palavra e rezar juntos.


Diocede Ponta Grossa
Padre Caetano, que está hoje em Novo Horizonte (PA), recebe convite para a celebração das mãos do casal João César e Lenir Padilha   |   Acervo Oficina de Oração e Vida

Diocede Ponta Grossa
Entre os adultos, são 15 encontros. Aqui, grupo de Barbados, em Carambeí   |   Acervo Oficina de Oração e Vida

Diocede Ponta Grossa
São 56 guias hoje em Ponta Grossa. Outros cinco estão em formação   |   Acervo Oficina de Oração e Vida

Diocede Ponta Grossa
Crianças durante o silenciamento, na Capela Nossa Senhora do Carmo, Paróquia São Francisco   |   Acervo Oficina de Oração e Vida


Navegue até a sua Paróquia