DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 22/08/2019

Assembleia define futuro da Igreja

Prioridade para os próximos anos será decidida por padres e leigos

 
O bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, dom Amilton José da Silva, vai assessorar a Assembleia O bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, dom Amilton José da Silva, vai assessorar a Assembleia | Crédito: Divulgação

     Pensar a Igreja como um todo. Essa é a tarefa das mais de 400 pessoas, entre padres, diáconos e leigos, inscritas na Assembleia Diocesana que acontece neste sábado (24), das 8h30 às 17 horas, no Colégio Sagrada Família/Sede Auxiliadora, no Bairro Neves, em Ponta Grossa. O bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, dom Amilton José da Silva, vai assessorar a Assembleia, composta por representantes de todas as 46 paróquias da Diocese. O bispo dom Sergio Arthur Braschi acompanhará todo o encontro, que definirá as linhas de ação para os próximos quatro anos, à luz do  Documento 109, aprovado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

      As Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora 2019-2023, propostas pela CNBB, segundo dom Amilton, precisam permear todo o processo, que envolve escuta, iluminação, reflexão e tomada de decisão. “É de suma importância a participação de todos - bispo, padres, diáconos, lideranças das comunidades, religiosos – para que se alcance a sinodalidade, o caminhar juntos, como orienta o Papa Francisco”, orienta. Para o bispo dom Sergio,  a assembleia será o momento participativo de representantes de todos movimentos, paróquias e pastorais, para decidir a prioridade para os próximos quatro anos. Precisamos ouvir toda a Igreja Diocesana”.

      A assembleia começará às 8h30, com a acolhida, credenciamento, momento de espiritualidade e as colocações sobre a cultura urbana, o ser discípulo missionário, explica o coordenador diocesano da Ação Evangelizadora, padre Joel Nalepa. O padre lembra que será preciso definir a ação para os próximos quatro anos na proposta de uma Igreja em saída, Igreja missionária, Igreja aberta para evangelizar a partir da cultura urbana. “Terá de ser um caminho sinodal, para encontrarmos juntos pistas de ação que façam com que nós tenhamos presentes que estamos assumindo juntos a Igreja Diocesana. Que não fiquemos com o olhar reduzido só ao nosso Setor, paróquia, movimento, nossa pastoral, organismo ou associação, mas que este encontro com outras realidades da nossa diocese nos dê uma visão ampla daquilo que é a nossa Igreja”, avalia, referindo-se à dinâmica de distribuição dos participantes por grupos”.  


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Diocese ganhará relíquias de São João Paulo II   |   ECC festeja seus 50 anos   |   Missa do Crisma reúne padres da diocese   |   Live atinge mais de 10 mil pessoas   |  





Publicado em: 22/08/2019

Assembleia define futuro da Igreja

Prioridade para os próximos anos será decidida por padres e leigos

 

     Pensar a Igreja como um todo. Essa é a tarefa das mais de 400 pessoas, entre padres, diáconos e leigos, inscritas na Assembleia Diocesana que acontece neste sábado (24), das 8h30 às 17 horas, no Colégio Sagrada Família/Sede Auxiliadora, no Bairro Neves, em Ponta Grossa. O bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, dom Amilton José da Silva, vai assessorar a Assembleia, composta por representantes de todas as 46 paróquias da Diocese. O bispo dom Sergio Arthur Braschi acompanhará todo o encontro, que definirá as linhas de ação para os próximos quatro anos, à luz do  Documento 109, aprovado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

      As Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora 2019-2023, propostas pela CNBB, segundo dom Amilton, precisam permear todo o processo, que envolve escuta, iluminação, reflexão e tomada de decisão. “É de suma importância a participação de todos - bispo, padres, diáconos, lideranças das comunidades, religiosos – para que se alcance a sinodalidade, o caminhar juntos, como orienta o Papa Francisco”, orienta. Para o bispo dom Sergio,  a assembleia será o momento participativo de representantes de todos movimentos, paróquias e pastorais, para decidir a prioridade para os próximos quatro anos. Precisamos ouvir toda a Igreja Diocesana”.

      A assembleia começará às 8h30, com a acolhida, credenciamento, momento de espiritualidade e as colocações sobre a cultura urbana, o ser discípulo missionário, explica o coordenador diocesano da Ação Evangelizadora, padre Joel Nalepa. O padre lembra que será preciso definir a ação para os próximos quatro anos na proposta de uma Igreja em saída, Igreja missionária, Igreja aberta para evangelizar a partir da cultura urbana. “Terá de ser um caminho sinodal, para encontrarmos juntos pistas de ação que façam com que nós tenhamos presentes que estamos assumindo juntos a Igreja Diocesana. Que não fiquemos com o olhar reduzido só ao nosso Setor, paróquia, movimento, nossa pastoral, organismo ou associação, mas que este encontro com outras realidades da nossa diocese nos dê uma visão ampla daquilo que é a nossa Igreja”, avalia, referindo-se à dinâmica de distribuição dos participantes por grupos”.  


Diocede Ponta Grossa
O bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, dom Amilton José da Silva, vai assessorar a Assembleia   |   Divulgação

Diocede Ponta Grossa
O bispo auxiliar da Arquidiocese de Curitiba, dom Amilton José da Silva, vai assessorar a Assembleia   |   Divulgação


Navegue até a sua Paróquia