DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 03/09/2019

Missa em Irati fecha série de ordenações

Rodrigo Ribas foi ordenado padre em Guamirim

 
Dom Sergio ladeado pelos novos presbíteros diocesanos ordenados em 2019, Alexandre Spena, Rodrigo Ribas e Rafael Moreira   Dom Sergio ladeado pelos novos presbíteros diocesanos ordenados em 2019, Alexandre Spena, Rodrigo Ribas e Rafael Moreira | Crédito: AssCom Diocese de Ponta Grossa

         A chuva que caiu durante todas as quase três horas de celebração estava mais para chuva de bênçãos do que para temporal, tamanha era a alegria de todos que lotaram o salão da Capela São Pedro, no distrito de Guamirim, em Irati, neste domingo (1º). Eram perto de mil pessoas, vindas de todo o interior do município e de outras cidades da diocese para acompanhar a ordenação presbiteral de Rodrigo Ribas, filho da terra, nascido no distrito. O bispo dom Sergio Arthur Braschi presidiu a celebração, que teve a participação de padres, diáconos e religiosos até de Assunção, no Paraguai, do Rio de Janeiro, Pará, de Curitiba e Umuarama.  

            Rodrigo era só felicidade. Riso largo no rosto, cantarolava todas as canções tocadas ao longo da celebração pelo Coral Arcanjo Miguel e pelo Ministério de Música, composto, ontem, pelos padres Fabio Sejanoski, Thiago Ingenchki, Bruna Pontes, Mylena Sejanoski e Briena Moreira Moreno. Também integraram o Ministério, nas demais ordenações, padres Wagner da Silva e Daniel Farago. “Foi um momento único, onde pude perceber a ação de Deus na minha vida, pude perceber como Deus age na vida da gente através da nossa história. Foi muito bonito ver bastante gente; o nosso povo reunido, da nossa paróquia, de outras cidades da Diocese, todos lá, reunidos, celebrando conosco. A chuva não espantou ninguém. Estou muito feliz e espero contribuir muito para a construção e edificação do Reino de Deus”, avaliava o neo-sacerdote. 

       Sua mãe, Ana Rendacki Ribas, se dizia muito feliz. “Estou agraciada, agradeço muito a Deus pelo sim, pelo seu chamado dele. Porque Deus o chamou quando estava no meu ventre ainda. Desde criança sempre falava que queria ser padre e hoje ele concretizou esse desejo: o seu sim a Deus para a nossa Igreja”, contava, citando que ela e o marido sempre apoiaram a decisão dele. “(Rodrigo) Chegou um dia e disse que estava indo para o seminário. Nós levamos um susto, mas eu só respondi que, se era isso mesmo o que ele queria, que eu ajudaria, daria tudo o que ele precisasse. Sempre vou agradecer a Deus por este dia”, enfatizou.

      Padre Luz Carlos Mirkoski, pároco da São Miguel, a quem pertence a Capela São Pedro, contou que todas as 19 comunidades da paróquia se envolveram na preparação da ordenação. Apenas quatro delas ficam na cidade, a maioria está no interior, onde aconteceram celebrações mensais e, na última semana, missas diárias, com padres originários da paróquia, e oração vocacional. “Este momento é o reconhecimento e dá certeza que Deus olha por nós, que não nos abandona, cuida da igreja e de seu rebanho, e, se chamou da paróquia mais um padre, é porque ama esse povo. Ele que dá o presente para nós hoje, atraves do padre Rodrigo, e nós retribuímos através da nossa oração, do nosso esforço, recebendo esses frutos. E que sejam de perseverança”, destacou o pároco.

      O bispo dom Sergio Arthur Braschi lembrava a ligação do neo-sacerdote com a comunicação. “A comunicação sempre fez parte da vida da Igreja. Jesus foi o grande comunicador do Pai, a plenitude da revelação, da comunicação. ‘Daquilo que ouvistes ao ouvido proclamai do alto dos telhados’. Só que nem sempre temos pessoas preparadas, e, ele, no tempo de seminário pode fazer curso de especialização nessa área e isso vai ajudar para que espalhemos o Evangelho para todos os cantos e recantos”, frisava o bispo, falando também da facilidade com que o novo padre se aproximou dos jovens. “Nesses meses que passou aqui na sua comunidade, ele conseguiu envolver muito a juventude. Muito bonito ver a juventude que vibrou com o Rodrigo”, acrescentou.

      Rodrigo Ribas foi o terceiro padre ordenado este ano na Diocese de Ponta Grossa. Desde agosto, aconteceram duas outras ordenações: padre Alexandre Spena Regueira, de Castro, e, Rafael Moreira, ordenado no último dia 18, em Piraí do Sul. “É uma grande graça, uma alegria, fruto de orações do passado e do presente. Vamos olhar agora para o futuro com mais esperança por tantas orações feitas à Mãe das Vocações, que está visitando as comunidades da Diocese. E continuamos a pedir vocações, não só para nós, mas para todas as dioceses, congregações, movimentos novas comunidades, porque Deus chama e o mundo está esperando gente que possa servir o Evangelho”, afirmou dom Sergio.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Live atinge mais de 10 mil pessoas   |   Missa do Crisma será no feriado   |   Catedral faz festa pelos seus 197 anos   |   Missa online vai ‘conectar’ jovens   |  





Publicado em: 03/09/2019

Missa em Irati fecha série de ordenações

Rodrigo Ribas foi ordenado padre em Guamirim

 

         A chuva que caiu durante todas as quase três horas de celebração estava mais para chuva de bênçãos do que para temporal, tamanha era a alegria de todos que lotaram o salão da Capela São Pedro, no distrito de Guamirim, em Irati, neste domingo (1º). Eram perto de mil pessoas, vindas de todo o interior do município e de outras cidades da diocese para acompanhar a ordenação presbiteral de Rodrigo Ribas, filho da terra, nascido no distrito. O bispo dom Sergio Arthur Braschi presidiu a celebração, que teve a participação de padres, diáconos e religiosos até de Assunção, no Paraguai, do Rio de Janeiro, Pará, de Curitiba e Umuarama.  

            Rodrigo era só felicidade. Riso largo no rosto, cantarolava todas as canções tocadas ao longo da celebração pelo Coral Arcanjo Miguel e pelo Ministério de Música, composto, ontem, pelos padres Fabio Sejanoski, Thiago Ingenchki, Bruna Pontes, Mylena Sejanoski e Briena Moreira Moreno. Também integraram o Ministério, nas demais ordenações, padres Wagner da Silva e Daniel Farago. “Foi um momento único, onde pude perceber a ação de Deus na minha vida, pude perceber como Deus age na vida da gente através da nossa história. Foi muito bonito ver bastante gente; o nosso povo reunido, da nossa paróquia, de outras cidades da Diocese, todos lá, reunidos, celebrando conosco. A chuva não espantou ninguém. Estou muito feliz e espero contribuir muito para a construção e edificação do Reino de Deus”, avaliava o neo-sacerdote. 

       Sua mãe, Ana Rendacki Ribas, se dizia muito feliz. “Estou agraciada, agradeço muito a Deus pelo sim, pelo seu chamado dele. Porque Deus o chamou quando estava no meu ventre ainda. Desde criança sempre falava que queria ser padre e hoje ele concretizou esse desejo: o seu sim a Deus para a nossa Igreja”, contava, citando que ela e o marido sempre apoiaram a decisão dele. “(Rodrigo) Chegou um dia e disse que estava indo para o seminário. Nós levamos um susto, mas eu só respondi que, se era isso mesmo o que ele queria, que eu ajudaria, daria tudo o que ele precisasse. Sempre vou agradecer a Deus por este dia”, enfatizou.

      Padre Luz Carlos Mirkoski, pároco da São Miguel, a quem pertence a Capela São Pedro, contou que todas as 19 comunidades da paróquia se envolveram na preparação da ordenação. Apenas quatro delas ficam na cidade, a maioria está no interior, onde aconteceram celebrações mensais e, na última semana, missas diárias, com padres originários da paróquia, e oração vocacional. “Este momento é o reconhecimento e dá certeza que Deus olha por nós, que não nos abandona, cuida da igreja e de seu rebanho, e, se chamou da paróquia mais um padre, é porque ama esse povo. Ele que dá o presente para nós hoje, atraves do padre Rodrigo, e nós retribuímos através da nossa oração, do nosso esforço, recebendo esses frutos. E que sejam de perseverança”, destacou o pároco.

      O bispo dom Sergio Arthur Braschi lembrava a ligação do neo-sacerdote com a comunicação. “A comunicação sempre fez parte da vida da Igreja. Jesus foi o grande comunicador do Pai, a plenitude da revelação, da comunicação. ‘Daquilo que ouvistes ao ouvido proclamai do alto dos telhados’. Só que nem sempre temos pessoas preparadas, e, ele, no tempo de seminário pode fazer curso de especialização nessa área e isso vai ajudar para que espalhemos o Evangelho para todos os cantos e recantos”, frisava o bispo, falando também da facilidade com que o novo padre se aproximou dos jovens. “Nesses meses que passou aqui na sua comunidade, ele conseguiu envolver muito a juventude. Muito bonito ver a juventude que vibrou com o Rodrigo”, acrescentou.

      Rodrigo Ribas foi o terceiro padre ordenado este ano na Diocese de Ponta Grossa. Desde agosto, aconteceram duas outras ordenações: padre Alexandre Spena Regueira, de Castro, e, Rafael Moreira, ordenado no último dia 18, em Piraí do Sul. “É uma grande graça, uma alegria, fruto de orações do passado e do presente. Vamos olhar agora para o futuro com mais esperança por tantas orações feitas à Mãe das Vocações, que está visitando as comunidades da Diocese. E continuamos a pedir vocações, não só para nós, mas para todas as dioceses, congregações, movimentos novas comunidades, porque Deus chama e o mundo está esperando gente que possa servir o Evangelho”, afirmou dom Sergio.


Diocede Ponta Grossa
Dom Sergio ladeado pelos novos presbíteros diocesanos ordenados em 2019, Alexandre Spena, Rodrigo Ribas e Rafael Moreira   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
O neo-sacerdote tem especialização em Cultura e Meios de Comunicação no Serviço a Pastoral da Comunicação, pela PUC-SP   |   Jeferson André

Diocede Ponta Grossa
O novo padre foi homenageado por jovens de todas as comunidades da paróquia   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
O beijo nas mãos do neo-sacerdote simboliza a unidade da Igreja   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
É prostrado diante do altar que o Rodrigo ouve a Prece Litânica   |   Jeferson André

Diocede Ponta Grossa
Já ordenado presbítero, Rodrigo recebe as vestes das mãos dos padrinhos   |   Jeferson André

Diocede Ponta Grossa
A emoção no momento da imposição de mãos pelo bispo:símbolo da identificação com Cristo   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
Rodrigo é nascido no interior de Irati e filho único de Ana e João Ribas   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia