DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 02/10/2019

Batizados e enviados, a Igreja em missão

Missa abre Mês Missionário na Diocese

 
Dom Sergio explicou o teor do Manual do Missionário e o tema do Mês Missionário Extraordinário Dom Sergio explicou o teor do Manual do Missionário e o tema do Mês Missionário Extraordinário | Crédito: AssCom Diocese de Ponta Grossa

      O Mês Missionário Extraordinário precisa ser vivido plenamente, em todos os seus aspectos: o da oração, das mãos dos que rezam, e o da ajuda, que acontecerá no gesto concreto no Domingo Missionário, dia 20. A orientação é do bispo dom Sergio Arthur Braschi, que presidiu a Santa Missa realizada nesta terça-feira (1º), na Paróquia Santa Teresinha, em Ponta Grossa, para marcar a abertura do Mês Missionário na Diocese. Padres, diáconos, religiosos de congregações com carisma missionário, integrantes da Infância e Adolescência Missionária, coordenadores de Grupos de Animação Missionária (GAMs) e lideranças acompanharam a celebração.

      Os devotos de Santa Teresinha, padroeira das missões, também vieram celebrar a santa e levar para casa as rosas e o pedaço de bolo, tradicionalmente abençoados neste dia. Dom Sergio lembrou que o Mês Missionário Extraordinário foi aberto nesta terça-feira em todo o mundo, justamente no dia de Santa Teresinha, a pedido do Papa Francisco. “Como esse ano o mês é ‘extraordinário’, muito mais intenso, a celebração de abertura envolveu toda a dimensão missionária, crianças, juventude, os seminaristas...Haverá vigílias, umas mais curtas e outras de noite inteira, como essa, aberta a toda a juventude, lá na sede do Colégio Sant’Ana, dia 11”, comentou. O bispo reforçou que, no Brasil, a campanha missionária  já existe, o que representa o envio para todas as paróquias do livro das novenas, cartazes, do manual e CR code para baixar no site das Pontifícias Obras Missionárias materiais e vídeos.

      Dom Sergio explicou o teor do Manual Missionário, citando que são quatro capítulos, onde constam os documentos da Igreja que fundamentam a ação missionária, explicações a respeito do tema do Mês Missionário Extraordinário, ‘Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo’, a missão ad gentes e o Sínodo da Amazônia, testemunhos, com a biografia de Santa Teresinha, São Francisco Xavier e de missionários mártires não canonizados, a programação das 12 comissões da CNBB para este mês, além da parte celebrativa, com sugestões de orações e ações. Padre Joel Nalepa, pároco da Santa Teresinha, convidou os fieis a participarem e vivenciar realmente o ‘ser Igreja missionária’, falando da vigília para a juventude programada para dia 11, na sub-sede do Colégio Sant’Ana, onde haverá testemunhos, oração, confissões, adoração ao Santíssimo. Outra vigília está programada para o dia 7, na Paróquia Nossa Senhora do Rosário.      


Missão

      Segundo o bispo de Chapecó (SC), presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial, dom Odelir José Magri, o objetivo deste mês é despertar a consciência da missio ad gentes e retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral. Tal postura está em sintonia com a solicitude pastoral do Papa Bento XV em Maximum Illud e a vitalidade missionária expressada pelo Papa Francisco na Evangelii Gaudium. “A ideia central neste processo de preparação para o Mês Missionário Extraordinário é inserir dentro da programação ordinária e habitual das Igrejas locais, a temática e o espírito do mês missionário, visando à conversão pastoral missionária”, ressalta o bispo.

      Será uma ocasião para despertar e animar as comunidades, além de fortalecer os conselhos missionários como também dar um novo impulso aos projetos missionários das Igrejas irmãs e além-fronteiras, orienta dom Odelir. “Assumamos de forma extraordinária como nos pede a Igreja, a Novena Missionária e as demais atividades. Que cada coordenador de pastoral ou movimento, cada catequista, cada ministro, cada liderança visite no mínimo cinco famílias afastadas da comunidade ao longo do mês. É ir ao encontro, vivê-lo de forma extraordinária. E todos os dias ao se levantar, após o sinal da Cruz, rezar ‘Sou Batizado(a) e Enviado(a). Senhor fortaleça-me para que eu possa levar o teu amor hoje aos mais necessitados", detalha.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Bispo abençoa presépio dos Arautos   |   Festa faz resgate histórico   |   Diocese envia missionários à Amazônia   |   “Viver a vocação como uma constante missão”   |  





Publicado em: 02/10/2019

Batizados e enviados, a Igreja em missão

Missa abre Mês Missionário na Diocese

 

      O Mês Missionário Extraordinário precisa ser vivido plenamente, em todos os seus aspectos: o da oração, das mãos dos que rezam, e o da ajuda, que acontecerá no gesto concreto no Domingo Missionário, dia 20. A orientação é do bispo dom Sergio Arthur Braschi, que presidiu a Santa Missa realizada nesta terça-feira (1º), na Paróquia Santa Teresinha, em Ponta Grossa, para marcar a abertura do Mês Missionário na Diocese. Padres, diáconos, religiosos de congregações com carisma missionário, integrantes da Infância e Adolescência Missionária, coordenadores de Grupos de Animação Missionária (GAMs) e lideranças acompanharam a celebração.

      Os devotos de Santa Teresinha, padroeira das missões, também vieram celebrar a santa e levar para casa as rosas e o pedaço de bolo, tradicionalmente abençoados neste dia. Dom Sergio lembrou que o Mês Missionário Extraordinário foi aberto nesta terça-feira em todo o mundo, justamente no dia de Santa Teresinha, a pedido do Papa Francisco. “Como esse ano o mês é ‘extraordinário’, muito mais intenso, a celebração de abertura envolveu toda a dimensão missionária, crianças, juventude, os seminaristas...Haverá vigílias, umas mais curtas e outras de noite inteira, como essa, aberta a toda a juventude, lá na sede do Colégio Sant’Ana, dia 11”, comentou. O bispo reforçou que, no Brasil, a campanha missionária  já existe, o que representa o envio para todas as paróquias do livro das novenas, cartazes, do manual e CR code para baixar no site das Pontifícias Obras Missionárias materiais e vídeos.

      Dom Sergio explicou o teor do Manual Missionário, citando que são quatro capítulos, onde constam os documentos da Igreja que fundamentam a ação missionária, explicações a respeito do tema do Mês Missionário Extraordinário, ‘Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo’, a missão ad gentes e o Sínodo da Amazônia, testemunhos, com a biografia de Santa Teresinha, São Francisco Xavier e de missionários mártires não canonizados, a programação das 12 comissões da CNBB para este mês, além da parte celebrativa, com sugestões de orações e ações. Padre Joel Nalepa, pároco da Santa Teresinha, convidou os fieis a participarem e vivenciar realmente o ‘ser Igreja missionária’, falando da vigília para a juventude programada para dia 11, na sub-sede do Colégio Sant’Ana, onde haverá testemunhos, oração, confissões, adoração ao Santíssimo. Outra vigília está programada para o dia 7, na Paróquia Nossa Senhora do Rosário.      


Missão

      Segundo o bispo de Chapecó (SC), presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial, dom Odelir José Magri, o objetivo deste mês é despertar a consciência da missio ad gentes e retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral. Tal postura está em sintonia com a solicitude pastoral do Papa Bento XV em Maximum Illud e a vitalidade missionária expressada pelo Papa Francisco na Evangelii Gaudium. “A ideia central neste processo de preparação para o Mês Missionário Extraordinário é inserir dentro da programação ordinária e habitual das Igrejas locais, a temática e o espírito do mês missionário, visando à conversão pastoral missionária”, ressalta o bispo.

      Será uma ocasião para despertar e animar as comunidades, além de fortalecer os conselhos missionários como também dar um novo impulso aos projetos missionários das Igrejas irmãs e além-fronteiras, orienta dom Odelir. “Assumamos de forma extraordinária como nos pede a Igreja, a Novena Missionária e as demais atividades. Que cada coordenador de pastoral ou movimento, cada catequista, cada ministro, cada liderança visite no mínimo cinco famílias afastadas da comunidade ao longo do mês. É ir ao encontro, vivê-lo de forma extraordinária. E todos os dias ao se levantar, após o sinal da Cruz, rezar ‘Sou Batizado(a) e Enviado(a). Senhor fortaleça-me para que eu possa levar o teu amor hoje aos mais necessitados", detalha.


Diocede Ponta Grossa
Dom Sergio explicou o teor do Manual do Missionário e o tema do Mês Missionário Extraordinário   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
A igreja de Santa Teresinha ficou lotada para a celebração   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
Bispo dom Sergio e vários padres e diáconos concelebraram a missa   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia