DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 03/10/2019

Festa de Nossa Senhora Aparecida tem novidades

Além da procissão, a imagem será levada em carreata pelo centro

 
Uma multidão costuma acompanhar a procissão em honra à padroeira do Brasil Uma multidão costuma acompanhar a procissão em honra à padroeira do Brasil | Crédito: Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa

      A festa em honra a padroeira do Brasil terá três novidades este ano. Além da tradicional procissão e a missa celebrada pelo bispo dom Sergio Arthur Braschi, está sendo organizada uma carreata saindo do Santuário Diocesano Nossa Senhora Aparecida/Paróquia São Sebastião e que percorrerá as principais ruas do centro de Ponta Grossa. O início está previsto para perto das 11 horas, logo depois da Santa Missa, marcada para às 10 horas. E os devotos ainda terão um terceiro horário de celebração, às 19 horas.

      “Nesta terceira missa, as pessoas podem  ter oportunidade de prestar sua homenagem a Maria e seu louvor a Deus através desse presente que ele nos deu”, justifica o pároco e reitor do Santuário, padre Sandro Maciel Cândido Ferreira. O reitor lembra que a missa das 10 horas, por exemplo, voltou a ser celebrada há quatro anos, no dia da padroeira.  A carreata acontecerá logo depois dessa missa, percorrendo as ruas Prefeito Campos Melo, Ernesto Vilela, Travessa Santa Cruz (lateral do Cemitério São José), Balduíno Taques, Avenida Vicente Machado, Conselheiro Barradas, Tenente Hinon Silva, Catão Monclaro, Comendador Miró, Teodoro Rosas e, já retornando, a Rua João Manoel dos Santos Ribas, em direção ao Hospital Bom Jesus. Deve durar em torno de uma hora. “A ideia é chegar ao meio dia no hospital por causa da queima de fogos que os devotos costumam fazer”, comenta padre Sandro.

      Já em preparação para a festa, entre os dias 3 a 11, diferentes atividades estão acontecendo. Na capela do Hospital Bom Jesus, neste período, das 14 às 16 horas, é realizada a adoração eucarística, conduzida por fieis de várias paróquias e encerrada com missa, celebrada por um padre da comunidade. “Isso remonta os primórdios de nosso  santuário, quando as irmãs  religiosas,  ali  do hospital (Servas de Maria Imaculada), há 35 anos, iniciaram a celebração em honra à padroeira, com a realização da procissão, inclusive”, relembra o reitor.

      No santuário, desde o dia 3 até a véspera da festa da padroeira, após o almoço, são realizadas visitas às famílias da paróquia, feita pelo pelo padre e uma equipe. É levada a imagem para abençoar as residências, explica o pároco. Todos os dias há novena, 19 horas, com oferta de flores e testemunhos. No dia 12, depois da missa e da carreata com a imagem da santa pelo centro até o hospital, às 14 horas, inicia a procissão em direção à matriz da paróquia São Sebastião, onde a missa do dia será celebrada pelo bispo dom Sergio. Para acolher a multidão, a celebração será transmitida em um telão, no centro de pastoral e nas chamadas ‘asas’ da igreja, onde fica o estacionamento.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
|





Publicado em: 03/10/2019

Festa de Nossa Senhora Aparecida tem novidades

Além da procissão, a imagem será levada em carreata pelo centro

 

      A festa em honra a padroeira do Brasil terá três novidades este ano. Além da tradicional procissão e a missa celebrada pelo bispo dom Sergio Arthur Braschi, está sendo organizada uma carreata saindo do Santuário Diocesano Nossa Senhora Aparecida/Paróquia São Sebastião e que percorrerá as principais ruas do centro de Ponta Grossa. O início está previsto para perto das 11 horas, logo depois da Santa Missa, marcada para às 10 horas. E os devotos ainda terão um terceiro horário de celebração, às 19 horas.

      “Nesta terceira missa, as pessoas podem  ter oportunidade de prestar sua homenagem a Maria e seu louvor a Deus através desse presente que ele nos deu”, justifica o pároco e reitor do Santuário, padre Sandro Maciel Cândido Ferreira. O reitor lembra que a missa das 10 horas, por exemplo, voltou a ser celebrada há quatro anos, no dia da padroeira.  A carreata acontecerá logo depois dessa missa, percorrendo as ruas Prefeito Campos Melo, Ernesto Vilela, Travessa Santa Cruz (lateral do Cemitério São José), Balduíno Taques, Avenida Vicente Machado, Conselheiro Barradas, Tenente Hinon Silva, Catão Monclaro, Comendador Miró, Teodoro Rosas e, já retornando, a Rua João Manoel dos Santos Ribas, em direção ao Hospital Bom Jesus. Deve durar em torno de uma hora. “A ideia é chegar ao meio dia no hospital por causa da queima de fogos que os devotos costumam fazer”, comenta padre Sandro.

      Já em preparação para a festa, entre os dias 3 a 11, diferentes atividades estão acontecendo. Na capela do Hospital Bom Jesus, neste período, das 14 às 16 horas, é realizada a adoração eucarística, conduzida por fieis de várias paróquias e encerrada com missa, celebrada por um padre da comunidade. “Isso remonta os primórdios de nosso  santuário, quando as irmãs  religiosas,  ali  do hospital (Servas de Maria Imaculada), há 35 anos, iniciaram a celebração em honra à padroeira, com a realização da procissão, inclusive”, relembra o reitor.

      No santuário, desde o dia 3 até a véspera da festa da padroeira, após o almoço, são realizadas visitas às famílias da paróquia, feita pelo pelo padre e uma equipe. É levada a imagem para abençoar as residências, explica o pároco. Todos os dias há novena, 19 horas, com oferta de flores e testemunhos. No dia 12, depois da missa e da carreata com a imagem da santa pelo centro até o hospital, às 14 horas, inicia a procissão em direção à matriz da paróquia São Sebastião, onde a missa do dia será celebrada pelo bispo dom Sergio. Para acolher a multidão, a celebração será transmitida em um telão, no centro de pastoral e nas chamadas ‘asas’ da igreja, onde fica o estacionamento.


Diocede Ponta Grossa
Uma multidão costuma acompanhar a procissão em honra à padroeira do Brasil   |   Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
A igreja-matriz da São Sebastião, onde cabem 1.500 pessoas, fica pequena para acolher os devotos   |   Arquivo AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia