DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 26/10/2019

Padre passa quatro dias em barco

Adevilson está conhecendo as comunidades ribeirinhas

 
O padre está conhecendo a realidade das comunidades da Paróquia de Canutama. A prelazia conta com padres missionários O padre está conhecendo a realidade das comunidades da Paróquia de Canutama. A prelazia conta com padres missionários | Crédito: Acervo pessoal

      Padre Adevilson Dias de Lara na sua missão na Paróquia de Canutama, na Prelazia de Lábrea (AM) visitou as comunidades ribeirinhas, celebrando missas, fazendo atendimentos e conhecendo a realidade da evangelização da região. “Foram quatro dias no barco. Despojamento, humildade e caridade. A nossa equipe foi muito bem acolhida. Agora, já estou de volta a cidade de Lábrea. Irei visitar algumas aldeias indígenas ao redor da cidade”, contou o sacerdote, informando que a área indígena Caititu é formada por 12 aldeias, com moradores originários da etnia Apolinã.

      “Estou bem, animado e entusiasmado. Não formos fazer a ‘desobriga’ propriamente dita, mas ver como vivem os moradores dessas comunidades. A missão do Anúncio, de levar a vida para as pessoasa é um desafio que precisa constantemente de uma lapidação do nosso coração para encarnar a realidade da cultura de cada povo. Às vezes, se chega em uma comunidade que tem uma estrutura boa, segundo a realidade daqui; outras, são precárias e que, às vezes, precisa da ajuda do próprio barco, do padre, não enquanto os sacramentos, mas até materialmente”, avaliou padre Adevilson.

      O padre da Diocese de Ponta Grossa permanece na prelazia até dia 3 de novembro. No dia 4 viaja, de ônibus a Porto Velho (RO). São 420 quilômetros e nove horas de viagem, sendo 220 quilômetros por estrada de terra. Em Rondônia permanece por dois dias e, dia 7, às 3h30, embarca de  volta a Curitiba. “O sentimento é de de alegria, gratidão e felicidade por estar presenciando tudo isso, no inicio do meu sacerdócio. Edifica e edifica aquilo que a igreja depositou para que eu pudesse anunciar, que é a pessoa de Jesus Cristo, que está presente em cada irmão, em que cada pessoa”, destacou  padre Adevilson. 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Bispo abençoa presépio dos Arautos   |   Festa faz resgate histórico   |   Diocese envia missionários à Amazônia   |   “Viver a vocação como uma constante missão”   |  





Publicado em: 26/10/2019

Padre passa quatro dias em barco

Adevilson está conhecendo as comunidades ribeirinhas

 

      Padre Adevilson Dias de Lara na sua missão na Paróquia de Canutama, na Prelazia de Lábrea (AM) visitou as comunidades ribeirinhas, celebrando missas, fazendo atendimentos e conhecendo a realidade da evangelização da região. “Foram quatro dias no barco. Despojamento, humildade e caridade. A nossa equipe foi muito bem acolhida. Agora, já estou de volta a cidade de Lábrea. Irei visitar algumas aldeias indígenas ao redor da cidade”, contou o sacerdote, informando que a área indígena Caititu é formada por 12 aldeias, com moradores originários da etnia Apolinã.

      “Estou bem, animado e entusiasmado. Não formos fazer a ‘desobriga’ propriamente dita, mas ver como vivem os moradores dessas comunidades. A missão do Anúncio, de levar a vida para as pessoasa é um desafio que precisa constantemente de uma lapidação do nosso coração para encarnar a realidade da cultura de cada povo. Às vezes, se chega em uma comunidade que tem uma estrutura boa, segundo a realidade daqui; outras, são precárias e que, às vezes, precisa da ajuda do próprio barco, do padre, não enquanto os sacramentos, mas até materialmente”, avaliou padre Adevilson.

      O padre da Diocese de Ponta Grossa permanece na prelazia até dia 3 de novembro. No dia 4 viaja, de ônibus a Porto Velho (RO). São 420 quilômetros e nove horas de viagem, sendo 220 quilômetros por estrada de terra. Em Rondônia permanece por dois dias e, dia 7, às 3h30, embarca de  volta a Curitiba. “O sentimento é de de alegria, gratidão e felicidade por estar presenciando tudo isso, no inicio do meu sacerdócio. Edifica e edifica aquilo que a igreja depositou para que eu pudesse anunciar, que é a pessoa de Jesus Cristo, que está presente em cada irmão, em que cada pessoa”, destacou  padre Adevilson. 


Diocede Ponta Grossa
O padre está conhecendo a realidade das comunidades da Paróquia de Canutama. A prelazia conta com padres missionários   |   Acervo pessoal

Diocede Ponta Grossa
O rio dá vida ao lugar. É através dele que os moradores sobrevivem   |   Acervo pessoal

Diocede Ponta Grossa
A chegada dos padres é sempre uma festa para as famílias   |   Acervo pessoal

Diocede Ponta Grossa
Nas localidades, faltam os mais básicos serviços   |   Acervo pessoal

Diocede Ponta Grossa
As famílias fazem questão de receber os padres para almoços e cafés   |   Acervo pessoal

Diocede Ponta Grossa
As comunidades vivem da pesca e da madeira   |   Acervo pessoal


Navegue até a sua Paróquia