DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 30/10/2019

Seminário prepara já Campanha da Fraternidade

Formação reuniu representantes de todo o Paraná

 
Ponta Grossa participou com o casal Portela e Adrianis Galdino, da Associação de Amigos da Pessoa Idosa, e, Maria Iolanda, assistente social e professora no Curso de Serviço Social da UEPG Ponta Grossa participou com o casal Portela e Adrianis Galdino, da Associação de Amigos da Pessoa Idosa, e, Maria Iolanda, assistente social e professora no Curso de Serviço Social da UEPG | Crédito: Acervo pessoal

       Os coordenadores diocesanos da Campanha da Fraternidade, Íria e Antônio Portela, ao lado do assistente social Adrianis Galdino da Silva e da professora Maria Iolanda de Oliveira, integrantes da equipe especial de coordenação criada este ano, participaram, no final de semana, em Guarapuava, de um seminário de formação para a Campanha da Fraternidade 2020, que terá o tema ‘Fraternidade e Vida: dom e compromisso’. O seminário teve a assessoria do padre Danilo Pena, responsável pela dimensão social da Arquidiocese de Curitiba, e reuniu lideranças das dioceses e arquidioceses do Regional Sul 2.

      “Foi um momento muito rico, capacitando as lideranças como multiplicadoras do texto base para a Campanha da Fraternidade de 2020: Fraternidade e Vida, dom e compromisso, inspirado pela visão samaritana de uma Igreja que olha, que cuida e se propõe a re-significar a proposta de uma Igreja em saída e vai ao encontro dos mais vulnerabilizados”, comentava padre Danilo, citando que o encontro teve um envolvimento muito efetivo dos participantes, um teor muito propositivo. “De fazer uma leitura atenta ao texto base oferecido pela CNBB (Conferência dos Bispos do Brasil) e poder levar à Ação Evangelizadora de cada diocese pistas para que esse trabalho seja desdobrado junto às estruturas pastorais, em especial, às pastorais sociais”, acrescentou.

      O assessor do Regional Sul 2, Junior Cunha Vale, professor da Diocese de Guarapuava, abordou o tema ‘vida: dom e compromisso’, tendo como lema ‘viu, sentiu compaixão e cuidou dele’. Segundo o professor, ressaltou-se bastante a integralidade do lema. “Não basta ter olhar para contemplar o viu, não basta ter compaixão, mas, essas duas coisa precisam necessariamente migrar até o cuidado, que é o fim almejado pela campanha. Que o olhar não seja de indiferença, mas sim, que gere compaixão e cuidado contínuo. A mensagem do encontro é fazer com que todas as dioceses presentes tenham essa formação adequada, conheçam texto base para que as ações concretas sejam aquelas que vão frutificar”.

      Para o padre Valdecir Badzinski, secretário executivo do Regional Sul 2, somente as quatro palavras (fraternidade e vida, dom e compromisso) já mostram a direção a seguir. “Tudo é em torno da vida, não há como pensar ser Igreja, pessoa, cidadão, sem esse termo. Dom e compromisso: é uma responsabilidade de todos, não de uma parcela da sociedade. O dom é divino, o compromisso é humano. Defender a vida e a vida em dignidade é responsabilidade de todos os católicos; não tem como nos eximir ou nos mediocrizar diante dessa urgência. E a vida em sua integralidade, humana, vegetal animal. Por isso o tema instiga, desperta, move, impulsiona a tomar ações concretas na vida das paróquias em promoção e defesa da vida, reerguimento dos caídos”, destaca padre Valdecir.

      Conforme o secretário do Regional  Sul 2, o lema está baseado em Lucas, 10, quando fala da ação do bom samaritano, que viu, agiu e cuidou. “É preciso ver as realidades, quem está caído à beira do caminho, e quantos estão... Não deitado ao chão, mas caído em sua dignidade, no sentido da vida, na falta de esperança, de fé, na desestruturação familiar, social, humana, psicológica. É preciso que, a partir de 2020, a Igreja se torne samaritana, que pára, vê e cuida, e não deixa ninguém caído”, afirmou. Padre Valdecir lembrou a importância de não julgar. “O bom samaritano mudou a cadência de sua vida, seu plano, seu ritmo; olhou e não fez pergunta. Simplesmente, teve compaixão, desceu ao nível, reergueu, redirecionou, tirou do próprio bolso para que o outro estivesse bem. Esta é a Igreja do cuidado”.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Campanha quer construir escola em Quebo   |   Feira destaca Economia Solidária   |   Finados: o grande testemunho da fé   |   Colégio doa fraldas geriátricas à Pastoral   |  





Publicado em: 30/10/2019

Seminário prepara já Campanha da Fraternidade

Formação reuniu representantes de todo o Paraná

 

       Os coordenadores diocesanos da Campanha da Fraternidade, Íria e Antônio Portela, ao lado do assistente social Adrianis Galdino da Silva e da professora Maria Iolanda de Oliveira, integrantes da equipe especial de coordenação criada este ano, participaram, no final de semana, em Guarapuava, de um seminário de formação para a Campanha da Fraternidade 2020, que terá o tema ‘Fraternidade e Vida: dom e compromisso’. O seminário teve a assessoria do padre Danilo Pena, responsável pela dimensão social da Arquidiocese de Curitiba, e reuniu lideranças das dioceses e arquidioceses do Regional Sul 2.

      “Foi um momento muito rico, capacitando as lideranças como multiplicadoras do texto base para a Campanha da Fraternidade de 2020: Fraternidade e Vida, dom e compromisso, inspirado pela visão samaritana de uma Igreja que olha, que cuida e se propõe a re-significar a proposta de uma Igreja em saída e vai ao encontro dos mais vulnerabilizados”, comentava padre Danilo, citando que o encontro teve um envolvimento muito efetivo dos participantes, um teor muito propositivo. “De fazer uma leitura atenta ao texto base oferecido pela CNBB (Conferência dos Bispos do Brasil) e poder levar à Ação Evangelizadora de cada diocese pistas para que esse trabalho seja desdobrado junto às estruturas pastorais, em especial, às pastorais sociais”, acrescentou.

      O assessor do Regional Sul 2, Junior Cunha Vale, professor da Diocese de Guarapuava, abordou o tema ‘vida: dom e compromisso’, tendo como lema ‘viu, sentiu compaixão e cuidou dele’. Segundo o professor, ressaltou-se bastante a integralidade do lema. “Não basta ter olhar para contemplar o viu, não basta ter compaixão, mas, essas duas coisa precisam necessariamente migrar até o cuidado, que é o fim almejado pela campanha. Que o olhar não seja de indiferença, mas sim, que gere compaixão e cuidado contínuo. A mensagem do encontro é fazer com que todas as dioceses presentes tenham essa formação adequada, conheçam texto base para que as ações concretas sejam aquelas que vão frutificar”.

      Para o padre Valdecir Badzinski, secretário executivo do Regional Sul 2, somente as quatro palavras (fraternidade e vida, dom e compromisso) já mostram a direção a seguir. “Tudo é em torno da vida, não há como pensar ser Igreja, pessoa, cidadão, sem esse termo. Dom e compromisso: é uma responsabilidade de todos, não de uma parcela da sociedade. O dom é divino, o compromisso é humano. Defender a vida e a vida em dignidade é responsabilidade de todos os católicos; não tem como nos eximir ou nos mediocrizar diante dessa urgência. E a vida em sua integralidade, humana, vegetal animal. Por isso o tema instiga, desperta, move, impulsiona a tomar ações concretas na vida das paróquias em promoção e defesa da vida, reerguimento dos caídos”, destaca padre Valdecir.

      Conforme o secretário do Regional  Sul 2, o lema está baseado em Lucas, 10, quando fala da ação do bom samaritano, que viu, agiu e cuidou. “É preciso ver as realidades, quem está caído à beira do caminho, e quantos estão... Não deitado ao chão, mas caído em sua dignidade, no sentido da vida, na falta de esperança, de fé, na desestruturação familiar, social, humana, psicológica. É preciso que, a partir de 2020, a Igreja se torne samaritana, que pára, vê e cuida, e não deixa ninguém caído”, afirmou. Padre Valdecir lembrou a importância de não julgar. “O bom samaritano mudou a cadência de sua vida, seu plano, seu ritmo; olhou e não fez pergunta. Simplesmente, teve compaixão, desceu ao nível, reergueu, redirecionou, tirou do próprio bolso para que o outro estivesse bem. Esta é a Igreja do cuidado”.


Diocede Ponta Grossa
Ponta Grossa participou com o casal Portela e Adrianis Galdino, da Associação de Amigos da Pessoa Idosa, e, Maria Iolanda, assistente social e professora no Curso de Serviço Social da UEPG   |   Acervo pessoal

Diocede Ponta Grossa
O seminário aconteceu em Guarapuava e contou com representantes de todo o Estado   |   cervo pessoal

Diocede Ponta Grossa
Depois da exposição, o tema é discutido em grupos   |   cervo pessoal


Navegue até a sua Paróquia