DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 03/12/2019

Cáritas Diocesana realiza formação

Domingo, 30 pessoas integraram roda de conversa

 
 A roda de conversa aconteceu no Espaço Cultural durante toda a manhã de domingo A roda de conversa aconteceu no Espaço Cultural durante toda a manhã de domingo | Crédito: AssCom Diocese de Ponta Grossa

      Pensando em mostrar o que é a Cáritas, sua atuação, missão e as ações desenvolvidas tanto no Brasil quanto no Paraná, aconteceu na manhã deste domingo (1º), uma roda de conversa com o atual secretário executivo da Cáritas Paraná, Amauri Antonio Mossmann; a secretária eleita para 2020-24, Márcia Ponce, e a diretoria da Cáritas diocesana, presidida pelo diácono Gilson Camilo da Silva.  Foram 30 participantes, desses, oito eram representantes de entidades-membros. Pela manhã, houve a formação propriamente dita e, á tarde, uma avaliação das atividades de 2019 e a discussão de algumas sugestões/pistas para planejamento 2020, voltada apenas para diretoria.

      “A intenção é aproximar, se inserir cada vez mais nessa grande rede que é a Cáritas, uma entidade internacinal, que tem sua sede dentro do Vaticano e que tem uma missão importante dentro da Igreja: de ser essa ‘carícia da Igreja para com os pobres’,  esse agir com o intuito de ser testemunho do Evangelho no meio do povo, o amor de Deus em movimento”, ressaltava Mossmann. Ele lembrou que só pode existir uma Cáritas por diocese, havendo a possibilidade de se organizar as chamadas ‘Cáritas Paroquais’. Para fazer parte da Cáritas, destacou o secretário, há necessidade de aprovação do bispo e de estar em consonância da Ação Evangelizadora. “E ter ações dentro das diretrizes preconizadas pela entidade, que atua em 12 áreas, entre elas, migração, economia solidária, trabalho com catadores de material reciclável... Sempre na perspectiva de transformação social, não só de assistência”, orientou.

      Além de o mandado do Evangelho, ‘que todos sejam um’, fazer parte da rede Cáritas traz reconhecimento internacional, dá visibilidade e ajuda muito na captação de recursos e na troca de experiências. “Por isso é muito importante participar de reuniões, das atividades nacionais, regionais e inter-regionais para ver a atuação e a organização em outras dioceses, e, ir trazendo onde pode atuar e ir avançando. Estamos a serviço da Igreja e tentamos organizar e articular a ação da Igreja, daí a relevância de formações como estas para repassar orientações para a diretoria e às pessoas que estão entrando agora”. Amauri Mossmann ficou oito anos à frente da secretaria executiva do Paraná. Deixa o cargo no final de 2019. Quem assume é Márcia Ponce, cinco anos responsável pela Cáritas diocesana de Londrina e há dois coordenando o projeto de migração no Regional Sul 2.

      Para o presidente da Cáritas Diocesana, diácono Gilson Camilo da Silva, a formação teve uma grande relevância. “Também estou ainda me inteirando do que é a entidade. Agora, que mudamos ao estatuto e colocamos todas as 46 paróquias da diocese como entidades-natas, era importante termos representantes paroquiais acompanhando essa conversa”, avaliou, lembrando que a alteração no estatuto da Cáritas aconteceu em outubro, a pedido das lideranças das comunidades, presentes na Assembléia Diocesana. “O que mantém a Cáritas é o Fundo Diocesano, que vem das paróquias. Nada mais justo que elas estejam representadas e possam buscar recursos para prestar assistência e combater a pobreza”, acrescentou.

      Em Ponta Grossa, a Cáritas foi fundada em agosto de 2007 e é integrada por 25 entidades, além das paróquias da diocese.  


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| ECC festeja seus 50 anos   |   Missa do Crisma reúne padres da diocese   |   Live atinge mais de 10 mil pessoas   |   Missa do Crisma será no feriado   |  





Publicado em: 03/12/2019

Cáritas Diocesana realiza formação

Domingo, 30 pessoas integraram roda de conversa

 

      Pensando em mostrar o que é a Cáritas, sua atuação, missão e as ações desenvolvidas tanto no Brasil quanto no Paraná, aconteceu na manhã deste domingo (1º), uma roda de conversa com o atual secretário executivo da Cáritas Paraná, Amauri Antonio Mossmann; a secretária eleita para 2020-24, Márcia Ponce, e a diretoria da Cáritas diocesana, presidida pelo diácono Gilson Camilo da Silva.  Foram 30 participantes, desses, oito eram representantes de entidades-membros. Pela manhã, houve a formação propriamente dita e, á tarde, uma avaliação das atividades de 2019 e a discussão de algumas sugestões/pistas para planejamento 2020, voltada apenas para diretoria.

      “A intenção é aproximar, se inserir cada vez mais nessa grande rede que é a Cáritas, uma entidade internacinal, que tem sua sede dentro do Vaticano e que tem uma missão importante dentro da Igreja: de ser essa ‘carícia da Igreja para com os pobres’,  esse agir com o intuito de ser testemunho do Evangelho no meio do povo, o amor de Deus em movimento”, ressaltava Mossmann. Ele lembrou que só pode existir uma Cáritas por diocese, havendo a possibilidade de se organizar as chamadas ‘Cáritas Paroquais’. Para fazer parte da Cáritas, destacou o secretário, há necessidade de aprovação do bispo e de estar em consonância da Ação Evangelizadora. “E ter ações dentro das diretrizes preconizadas pela entidade, que atua em 12 áreas, entre elas, migração, economia solidária, trabalho com catadores de material reciclável... Sempre na perspectiva de transformação social, não só de assistência”, orientou.

      Além de o mandado do Evangelho, ‘que todos sejam um’, fazer parte da rede Cáritas traz reconhecimento internacional, dá visibilidade e ajuda muito na captação de recursos e na troca de experiências. “Por isso é muito importante participar de reuniões, das atividades nacionais, regionais e inter-regionais para ver a atuação e a organização em outras dioceses, e, ir trazendo onde pode atuar e ir avançando. Estamos a serviço da Igreja e tentamos organizar e articular a ação da Igreja, daí a relevância de formações como estas para repassar orientações para a diretoria e às pessoas que estão entrando agora”. Amauri Mossmann ficou oito anos à frente da secretaria executiva do Paraná. Deixa o cargo no final de 2019. Quem assume é Márcia Ponce, cinco anos responsável pela Cáritas diocesana de Londrina e há dois coordenando o projeto de migração no Regional Sul 2.

      Para o presidente da Cáritas Diocesana, diácono Gilson Camilo da Silva, a formação teve uma grande relevância. “Também estou ainda me inteirando do que é a entidade. Agora, que mudamos ao estatuto e colocamos todas as 46 paróquias da diocese como entidades-natas, era importante termos representantes paroquiais acompanhando essa conversa”, avaliou, lembrando que a alteração no estatuto da Cáritas aconteceu em outubro, a pedido das lideranças das comunidades, presentes na Assembléia Diocesana. “O que mantém a Cáritas é o Fundo Diocesano, que vem das paróquias. Nada mais justo que elas estejam representadas e possam buscar recursos para prestar assistência e combater a pobreza”, acrescentou.

      Em Ponta Grossa, a Cáritas foi fundada em agosto de 2007 e é integrada por 25 entidades, além das paróquias da diocese.  


Diocede Ponta Grossa
A roda de conversa aconteceu no Espaço Cultural durante toda a manhã de domingo   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
A roda de conversa aconteceu no Espaço Cultural durante toda a manhã de domingo   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
Amauri Mossmann, que conduziu a formação, deixa o cargo este ano   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
O diácono Gilson destacou a importância da inclusão das paróquias na Cáritas   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia