DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 06/01/2020

Padre Osvaldo vai servir na Amazônia

Com padre José Nilson, ele assumirá paróquia

 
O padre Osvaldo deve tomar posse, oficialmente, dia 1º de março O padre Osvaldo deve tomar posse, oficialmente, dia 1º de março | Crédito: Arquivo / AssCom Diocese de Ponta Grossa

      Padre Osvaldo Pinheiro é o terceiro padre da Diocese de Ponta Grossa a servir na Prelazia de Lábrea, na Amazônia. Ao lado do padre José Nilson Santos, o sacerdote assumirá a Paróquia São João Batista, em Canutama, cidade ao norte da sede da prelazia, também às margens do Rio Purus. Padre Osvaldo, atual coordenador da Pastoral Presbiteral e do Serviço de Animação  Vocacional, viaja para o  Amazonas já em fevereiro. A missa de envio está marcada para o dia 9, às 19 horas, na Paróquia Imaculada Conceição, em Carambeí.

      Para chegar a Canutama de ‘voadeira’ (uma espécie de lancha) se leva de quatro a cinco horas; de ‘barco recreio’ são cerca de 12 horas e, nos modelos de barcos utilizado pela Igreja, com o rio mais seco, se gasta 22 horas. Padre Osvaldo acompanhará padre José Nilson Santos, que serve na sede da prelazia desde outubro de 2016 e  é hoje coordenador do Setor 1 da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, de Lábrea. A posse dos dois sacerdotes na Paróquia São João Batista será dia 1º de março.

      Padre Osvaldo conta que esteve duas vezes na região amazônica: em Porto Velho, em 2006, e, em Lábrea, em visita ao padre José Lauro Gonçalves Gomes, que ficou na prelazia de 2012 a 2016. “Vi a região, achei o trabalho bem interessante, mas achei que não havia nada para mim ali e retornei. Afinal, tinha os trabalhos na diocese. Este ano, conversei com dom Sergio sobre fazer uma experiência em paróquia, já que estou há muito tempo na formação. O bispo disse que iria pensar no pedido. Em uma reunião dos padres diocesanos, veio o assunto do Projeto Igreja-Irmã e fomos desafiados a servir na região amazônica, para ficar com o padre José Nilson. Na hora, tive vontade de dizer ‘eu vou’, mas ponderei e vi que poderia ser algo no ímpeto e que me levasse a me arrepender. Resolvi esperar e rezar”, relembra.

      Segundo padre Osvaldo, nesse meio tempo, outro padre foi fazer a experiência. “Depois, conversando com dom Santiago (Sánchez Sebastian) quando esteve aqui, fazendo uma animação sobre a missão junto aos seminaristas, padres, paróquias; em agosto, em outra reunião dos padres diocesanos, dom Sergio fez novo desafio os sacerdotes para ir fazer a experiência. Outro padre se prontificou, apesar de eu ter pensado em dizer sim. Em setembro, participei do Congresso Vocacional do Brasil e senti forte apelo missionário. Muitos bispos falaram sobre sua vocação missionaria e escutei na voz deles Deus me chamando e aquilo me inquietou muito, rezei muito isso. No retiro do clero, conversei com dom Sergio e me coloquei à disposição. Não tenho expectativas. Quero me lançar a Deus”, afirma.

      Para o padre, a intenção é se inculturar junto ao povo. “Vou, não como colonizador, mas como irmão mais velho e alguém que tem muito a aprender com a cultura do lugar. Preciso calçar os sapatos do povo, caminhar com o mesmo ritmo que eles estão caminhando. Espero que, junto com o padre José Nilson, com  quem tenho grande amizade - fomos ordenados juntos – possa fazer um bom trabalho; estou indo para servir, dar a vida, assim como já dei na diocese”, adianta.

      O bispo dom Sergio Artrhur Braschi diz que pediu ao bispo prelado dom Santiago que os dois sacerdotes de Ponta Grossa ficassem juntos e que a diocese assumisse uma paróquia, que será essa na cidade de Canutama. “Vai chegar, se inteirar, se preparar durante quinze ou vinte dias e assumirá a paróquia. Dom Santiago vai acolher e dar posse a eles”, afirma.  Dom Santiago Sánchez Sebastian se mostra feliz com a decisão. “É um compromisso que a diocese vai dar continuidade a essa fraternidade. Até agora, eram contratos de três anos. Terminava e a prelazia ficava sem saber o que aconteceria.  Agora, sendo uma paróquia é diferente, vão ter que gerir, se envolver ainda mais”, destaca. A Arquidiocese de Vitória (ES) mandará um sacerdote para ocupar o posto de padre José Nilson.

      Padre Severino Albino da Silva, atual pároco da São João Batista, comenta que passou quatro anos em Canutama e há comunidades que não conhece e não vai conhecer. “É um desafio enorme nas distâncias. Mas, estou feliz, concluindo a missão. Lembro um pensamento do Papa Bento XVI  ‘o verdadeiro missionário não é aquele que se eterniza no lugar, mas aquele que está pronto, aberto para ir e para voltar’”.


 Currículo

      Padre Osvaldo Pinheiro tem 44 anos e 13 anos de vida sacerdotal.  Passou seis anos no trabalho de animação vocacional, dez anos na formação, quatro anos como reitor do Seminário Propedêutico Mãe da Divina Graça, em Carambeí; três anos como reitor do Seminário de Filosofia São José. “Todo esse tempo à frente do Serviço de Animação Vocacional da diocese pude ver como funciona toda a engrenagem que uma pastoral diocesana precisa movimentar dentro das comunidades, da paróquia”, argumenta.

      “Posso dizer que sou um fruto maduro da Ação Evangelizadora Cada Comunidade uma Nova Vocação e, justamente, no trabalho com o testemunhos dos padres, religiosos e consagrados também fui contagiado por todo esse testemunho. Me coloco nas mãos de Deus com muita humildade. Sei da minha pequenez, mas sei também que quem confia em Deus, quem coloca sua vida nas mãos de Deus, Ele acompanha e vai dando as graças . Vou feliz, estou feliz. É o que eu quero porque estou fazendo a vontade Deus”, resume.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| ‘Dia da Família’ é realizado todo mês   |   “Para vivenciar um jeito diferente de ser Igreja”   |   Abandono social impactou o casal   |   Folia de Reis é realizada em Ponta Grossa   |  





Publicado em: 06/01/2020

Padre Osvaldo vai servir na Amazônia

Com padre José Nilson, ele assumirá paróquia

 

      Padre Osvaldo Pinheiro é o terceiro padre da Diocese de Ponta Grossa a servir na Prelazia de Lábrea, na Amazônia. Ao lado do padre José Nilson Santos, o sacerdote assumirá a Paróquia São João Batista, em Canutama, cidade ao norte da sede da prelazia, também às margens do Rio Purus. Padre Osvaldo, atual coordenador da Pastoral Presbiteral e do Serviço de Animação  Vocacional, viaja para o  Amazonas já em fevereiro. A missa de envio está marcada para o dia 9, às 19 horas, na Paróquia Imaculada Conceição, em Carambeí.

      Para chegar a Canutama de ‘voadeira’ (uma espécie de lancha) se leva de quatro a cinco horas; de ‘barco recreio’ são cerca de 12 horas e, nos modelos de barcos utilizado pela Igreja, com o rio mais seco, se gasta 22 horas. Padre Osvaldo acompanhará padre José Nilson Santos, que serve na sede da prelazia desde outubro de 2016 e  é hoje coordenador do Setor 1 da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, de Lábrea. A posse dos dois sacerdotes na Paróquia São João Batista será dia 1º de março.

      Padre Osvaldo conta que esteve duas vezes na região amazônica: em Porto Velho, em 2006, e, em Lábrea, em visita ao padre José Lauro Gonçalves Gomes, que ficou na prelazia de 2012 a 2016. “Vi a região, achei o trabalho bem interessante, mas achei que não havia nada para mim ali e retornei. Afinal, tinha os trabalhos na diocese. Este ano, conversei com dom Sergio sobre fazer uma experiência em paróquia, já que estou há muito tempo na formação. O bispo disse que iria pensar no pedido. Em uma reunião dos padres diocesanos, veio o assunto do Projeto Igreja-Irmã e fomos desafiados a servir na região amazônica, para ficar com o padre José Nilson. Na hora, tive vontade de dizer ‘eu vou’, mas ponderei e vi que poderia ser algo no ímpeto e que me levasse a me arrepender. Resolvi esperar e rezar”, relembra.

      Segundo padre Osvaldo, nesse meio tempo, outro padre foi fazer a experiência. “Depois, conversando com dom Santiago (Sánchez Sebastian) quando esteve aqui, fazendo uma animação sobre a missão junto aos seminaristas, padres, paróquias; em agosto, em outra reunião dos padres diocesanos, dom Sergio fez novo desafio os sacerdotes para ir fazer a experiência. Outro padre se prontificou, apesar de eu ter pensado em dizer sim. Em setembro, participei do Congresso Vocacional do Brasil e senti forte apelo missionário. Muitos bispos falaram sobre sua vocação missionaria e escutei na voz deles Deus me chamando e aquilo me inquietou muito, rezei muito isso. No retiro do clero, conversei com dom Sergio e me coloquei à disposição. Não tenho expectativas. Quero me lançar a Deus”, afirma.

      Para o padre, a intenção é se inculturar junto ao povo. “Vou, não como colonizador, mas como irmão mais velho e alguém que tem muito a aprender com a cultura do lugar. Preciso calçar os sapatos do povo, caminhar com o mesmo ritmo que eles estão caminhando. Espero que, junto com o padre José Nilson, com  quem tenho grande amizade - fomos ordenados juntos – possa fazer um bom trabalho; estou indo para servir, dar a vida, assim como já dei na diocese”, adianta.

      O bispo dom Sergio Artrhur Braschi diz que pediu ao bispo prelado dom Santiago que os dois sacerdotes de Ponta Grossa ficassem juntos e que a diocese assumisse uma paróquia, que será essa na cidade de Canutama. “Vai chegar, se inteirar, se preparar durante quinze ou vinte dias e assumirá a paróquia. Dom Santiago vai acolher e dar posse a eles”, afirma.  Dom Santiago Sánchez Sebastian se mostra feliz com a decisão. “É um compromisso que a diocese vai dar continuidade a essa fraternidade. Até agora, eram contratos de três anos. Terminava e a prelazia ficava sem saber o que aconteceria.  Agora, sendo uma paróquia é diferente, vão ter que gerir, se envolver ainda mais”, destaca. A Arquidiocese de Vitória (ES) mandará um sacerdote para ocupar o posto de padre José Nilson.

      Padre Severino Albino da Silva, atual pároco da São João Batista, comenta que passou quatro anos em Canutama e há comunidades que não conhece e não vai conhecer. “É um desafio enorme nas distâncias. Mas, estou feliz, concluindo a missão. Lembro um pensamento do Papa Bento XVI  ‘o verdadeiro missionário não é aquele que se eterniza no lugar, mas aquele que está pronto, aberto para ir e para voltar’”.


 Currículo

      Padre Osvaldo Pinheiro tem 44 anos e 13 anos de vida sacerdotal.  Passou seis anos no trabalho de animação vocacional, dez anos na formação, quatro anos como reitor do Seminário Propedêutico Mãe da Divina Graça, em Carambeí; três anos como reitor do Seminário de Filosofia São José. “Todo esse tempo à frente do Serviço de Animação Vocacional da diocese pude ver como funciona toda a engrenagem que uma pastoral diocesana precisa movimentar dentro das comunidades, da paróquia”, argumenta.

      “Posso dizer que sou um fruto maduro da Ação Evangelizadora Cada Comunidade uma Nova Vocação e, justamente, no trabalho com o testemunhos dos padres, religiosos e consagrados também fui contagiado por todo esse testemunho. Me coloco nas mãos de Deus com muita humildade. Sei da minha pequenez, mas sei também que quem confia em Deus, quem coloca sua vida nas mãos de Deus, Ele acompanha e vai dando as graças . Vou feliz, estou feliz. É o que eu quero porque estou fazendo a vontade Deus”, resume.


Diocede Ponta Grossa
O padre Osvaldo deve tomar posse, oficialmente, dia 1º de março   |   Arquivo / AssCom Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
A matriz fica na parte chamada pelos moradores de ‘terra firme’   |   AssCom Diocese de Ponta Grossa


Navegue até a sua Paróquia