DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 29/02/2020

Missa marca envio de padre José Nilson

Sacerdote da Diocese de Ponta Grossa será vigário em Canutama

 
Dom Santiago fez o envio de padre Nilson, que parte, agora para outra missão Dom Santiago fez o envio de padre Nilson, que parte, agora para outra missão | Crédito: Marcelo Viana/Pascom Prelazia de Lbrea

      O padre da Diocese de Ponta Grossa, José Nilson Santos, viajaria na manhã deste sábado (29) de Lábrea para Canutama, também na prelazia no Amazonas, onde no domingo, às 19h30, será empossado como vigário da Paróquia São João Batista. Na mesma celebração, o bispo prelado dom Santiago Sánchez Sebastian dá posse ao padre Osvaldo Pinheiro – o terceiro cedido pela diocese - como pároco da São João Batista. O envio de padre Nilson aconteceu na noite de quinta-feira, na Comunidade São Francisco, na Vila Falcão, em Lábrea, e foi marcado por grande comoção.

      Padre Nilson recebeu presentes e foi alvo de muitas homenagens. Maria Borrosa falou pelas comunidades do Setor 3 da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, de Lábrea. “Durante três anos e quatro meses tivemos a graça de sua presença em nosso meio e somos profundamente agradecidos. Dotado de um grande carisma espiritual, sua maneira de ser e agir nos cativou com sua dedicação, seu cuidado, sua fala mansa, sua calma que aquieta nosso coração e, acima de tudo, seu exemplo de fé. Tenha a certeza da missão cumprida e que aqui realizou um brilhante trabalho”, dizia emocionada.

      Falando pelo Setor 2, comunidades São José, Santa Mônica, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e Nossa Senhora de Nazaré, Marcelo Viana citou o Papa Francisco que repetiu por diversas vezes desejar sacerdotes que tenham cheiro de ovelha. “ E para nós é importante reconhecer que o senhor tem esse perfil de pastor que cheira o cheiro das ovelhas, porque ousou em sua missão. Sabemos que chegou para ser vigário paroquial, para atender as necessidades do Setor 1 da paróquia, mas que não se prendeu apenas a isso, não se prendeu a parte administrativa, mas pastoreou e pastoreou indo além. Indo a outros setores, as comunidades ribeirinhas, aos ramais e aldeias. E é este desafio que o Papa lança para a Igreja com o olhar carinhos para a Amazônia”.

      Já Francisca das Chagas, a Leidynha, antes de se pronunciar pelo Setor 1, chamou ao seu lado as coordenadoras das comunidades São Francisco, São Lázaro, São Raimundo Nonato, Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora de Fátima. “Só temos gratidão em nossos corações pelo ensinamentos e força que nos deu. Saiba que sua marca já está registrada em cada detalhe da vida pastoral de muitos fiéis. Saiba que seus cuidados e esmeros para proporcionar a todos um lugar aconchegante e de oração na igreja foram muito além do esperado. Os desígnios de Deus não chegam até nós para serem desvendados mas para serem cumpridos e vividos com toda a dedicação e fidelidade”, emocionava-se.

      O bispo dom Santiago, citando as leituras do dia e o tema da Campanha da Fraternidade, ‘Fraternidade e Vida: dom e compromisso’, ressaltou a obediência a Deus. “Quem obedece a Deus terá a vida, será como a árvore perto do rio, estará sempre verde. ‘Escolhe, pois a vida’, termina a primeira leitura e, como dizia o Evangelho, escolher a vida é morrer a nós mesmos. Entregar a vida para ganhar a vida é, como nos diz a Igreja, o sacerdócio. A presença de todos vocês aqui é por reconhecer a vida do padre Nilson. Ele ganhou a vida por se doar. Ganhou a comunidade que luta, que trabalha, que caminha, ganhou um grupo de cristãos vivos na fé. O momento de envio não de tristeza, choradeira, de saudade, é um momento de dar graças a Deus por esse passo que ele está dando: deixar uma missão e ir a outra: obedecer ao mandato de Jesus Cristo”, destacou o bispo.

      Muito emocionado, padre José Nilson lembrou o padre José Lauro Gonçalves Gomes, que o convidou para servir em Lábrea. “Ele foi lá na Paróquia Sant’Ana de Castro falar da missão em Lábrea, fazer a proposta, perguntar se eu queria conhecer. Eu que estava me preparando para ir para a África vi tudo mudar de figura. De repente, estava aqui para a posse de dom Santiago, conversando, dom Jesus (Moraza, bispo emérito de Lábrea) e levando o fruto dessa visita dessa conversa a dom Sergio (Arthur Braschi). Esses três bispos, juntamente com o padre José Lauro, foram o sinal, a voz de Deus para mim”, relembrou, contando que chegou no dia 6 de outubro e foi apresentado no dia 12. O sacerdote ainda agradeceu muito o padre Henrique Giera, com que morou todos esses anos no Centro Vocacional Frei Jesus Pardo. “Ele cuidou muito de mim. Obrigado, frei Henrique!”.

      “Não posso deixar de agradecer a vocês, de conselhos de comunidade, pastorais e movimentos onde vivemos momentos muito fortes na fé. Não fiz nada, fizemos juntos. Meu único desejo quando vim era servir. Se pude ajudar em alguma coisa, louvado seja Deus! Outro desejo era ser instrumento de aproximar o povo de Deus. Se, nesses três anos e quatro meses, cresceu o amor de vocês a Deus, à Igreja, à missão, louvado seja Deus!”, enumerou, lembrando  que o padre que chega precisa ser acolhido com um olhar de fé. “Ele está sendo enviado por Deus, pela Igreja. Se você se aproxima de um padre com o olhar de fé você recebe graças de Deus, se se aproxima só com o olhar humano vai receber s coisas humanas. Olhem ele com carinho, com amor e acolham com fé!”, pediu.

      Padre José Nilson ganhou presentes das 13 comunidades da paróquia, na maioria camisetas com a estampa dos padroeiros. O embarque para Canutama acontece neste sábado, às 7 horas. Ele viaja de voadeira, em companhia do bispo dom Santiago, freis, religiosas e alguns leigos. Ao todo, oito pessoas. Seu substituto, padre Paulo Sérgio Vaillant, é da Diocese de Vitória (ES) e veio acompanhado de dois diáconos, que ficarão por três meses na Prelazia de Lábrea. Os três já estão na prelazia.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Live atinge mais de 10 mil pessoas   |   Missa do Crisma será no feriado   |   Catedral faz festa pelos seus 197 anos   |   Missa online vai ‘conectar’ jovens   |  





Publicado em: 29/02/2020

Missa marca envio de padre José Nilson

Sacerdote da Diocese de Ponta Grossa será vigário em Canutama

 

      O padre da Diocese de Ponta Grossa, José Nilson Santos, viajaria na manhã deste sábado (29) de Lábrea para Canutama, também na prelazia no Amazonas, onde no domingo, às 19h30, será empossado como vigário da Paróquia São João Batista. Na mesma celebração, o bispo prelado dom Santiago Sánchez Sebastian dá posse ao padre Osvaldo Pinheiro – o terceiro cedido pela diocese - como pároco da São João Batista. O envio de padre Nilson aconteceu na noite de quinta-feira, na Comunidade São Francisco, na Vila Falcão, em Lábrea, e foi marcado por grande comoção.

      Padre Nilson recebeu presentes e foi alvo de muitas homenagens. Maria Borrosa falou pelas comunidades do Setor 3 da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, de Lábrea. “Durante três anos e quatro meses tivemos a graça de sua presença em nosso meio e somos profundamente agradecidos. Dotado de um grande carisma espiritual, sua maneira de ser e agir nos cativou com sua dedicação, seu cuidado, sua fala mansa, sua calma que aquieta nosso coração e, acima de tudo, seu exemplo de fé. Tenha a certeza da missão cumprida e que aqui realizou um brilhante trabalho”, dizia emocionada.

      Falando pelo Setor 2, comunidades São José, Santa Mônica, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e Nossa Senhora de Nazaré, Marcelo Viana citou o Papa Francisco que repetiu por diversas vezes desejar sacerdotes que tenham cheiro de ovelha. “ E para nós é importante reconhecer que o senhor tem esse perfil de pastor que cheira o cheiro das ovelhas, porque ousou em sua missão. Sabemos que chegou para ser vigário paroquial, para atender as necessidades do Setor 1 da paróquia, mas que não se prendeu apenas a isso, não se prendeu a parte administrativa, mas pastoreou e pastoreou indo além. Indo a outros setores, as comunidades ribeirinhas, aos ramais e aldeias. E é este desafio que o Papa lança para a Igreja com o olhar carinhos para a Amazônia”.

      Já Francisca das Chagas, a Leidynha, antes de se pronunciar pelo Setor 1, chamou ao seu lado as coordenadoras das comunidades São Francisco, São Lázaro, São Raimundo Nonato, Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora de Fátima. “Só temos gratidão em nossos corações pelo ensinamentos e força que nos deu. Saiba que sua marca já está registrada em cada detalhe da vida pastoral de muitos fiéis. Saiba que seus cuidados e esmeros para proporcionar a todos um lugar aconchegante e de oração na igreja foram muito além do esperado. Os desígnios de Deus não chegam até nós para serem desvendados mas para serem cumpridos e vividos com toda a dedicação e fidelidade”, emocionava-se.

      O bispo dom Santiago, citando as leituras do dia e o tema da Campanha da Fraternidade, ‘Fraternidade e Vida: dom e compromisso’, ressaltou a obediência a Deus. “Quem obedece a Deus terá a vida, será como a árvore perto do rio, estará sempre verde. ‘Escolhe, pois a vida’, termina a primeira leitura e, como dizia o Evangelho, escolher a vida é morrer a nós mesmos. Entregar a vida para ganhar a vida é, como nos diz a Igreja, o sacerdócio. A presença de todos vocês aqui é por reconhecer a vida do padre Nilson. Ele ganhou a vida por se doar. Ganhou a comunidade que luta, que trabalha, que caminha, ganhou um grupo de cristãos vivos na fé. O momento de envio não de tristeza, choradeira, de saudade, é um momento de dar graças a Deus por esse passo que ele está dando: deixar uma missão e ir a outra: obedecer ao mandato de Jesus Cristo”, destacou o bispo.

      Muito emocionado, padre José Nilson lembrou o padre José Lauro Gonçalves Gomes, que o convidou para servir em Lábrea. “Ele foi lá na Paróquia Sant’Ana de Castro falar da missão em Lábrea, fazer a proposta, perguntar se eu queria conhecer. Eu que estava me preparando para ir para a África vi tudo mudar de figura. De repente, estava aqui para a posse de dom Santiago, conversando, dom Jesus (Moraza, bispo emérito de Lábrea) e levando o fruto dessa visita dessa conversa a dom Sergio (Arthur Braschi). Esses três bispos, juntamente com o padre José Lauro, foram o sinal, a voz de Deus para mim”, relembrou, contando que chegou no dia 6 de outubro e foi apresentado no dia 12. O sacerdote ainda agradeceu muito o padre Henrique Giera, com que morou todos esses anos no Centro Vocacional Frei Jesus Pardo. “Ele cuidou muito de mim. Obrigado, frei Henrique!”.

      “Não posso deixar de agradecer a vocês, de conselhos de comunidade, pastorais e movimentos onde vivemos momentos muito fortes na fé. Não fiz nada, fizemos juntos. Meu único desejo quando vim era servir. Se pude ajudar em alguma coisa, louvado seja Deus! Outro desejo era ser instrumento de aproximar o povo de Deus. Se, nesses três anos e quatro meses, cresceu o amor de vocês a Deus, à Igreja, à missão, louvado seja Deus!”, enumerou, lembrando  que o padre que chega precisa ser acolhido com um olhar de fé. “Ele está sendo enviado por Deus, pela Igreja. Se você se aproxima de um padre com o olhar de fé você recebe graças de Deus, se se aproxima só com o olhar humano vai receber s coisas humanas. Olhem ele com carinho, com amor e acolham com fé!”, pediu.

      Padre José Nilson ganhou presentes das 13 comunidades da paróquia, na maioria camisetas com a estampa dos padroeiros. O embarque para Canutama acontece neste sábado, às 7 horas. Ele viaja de voadeira, em companhia do bispo dom Santiago, freis, religiosas e alguns leigos. Ao todo, oito pessoas. Seu substituto, padre Paulo Sérgio Vaillant, é da Diocese de Vitória (ES) e veio acompanhado de dois diáconos, que ficarão por três meses na Prelazia de Lábrea. Os três já estão na prelazia.


Diocede Ponta Grossa
Dom Santiago fez o envio de padre Nilson, que parte, agora para outra missão   |   Marcelo Viana/Pascom Prelazia de Lbrea

Diocede Ponta Grossa
Padre José Nilson se emocionou ao agradecer a acolhida pelo ‘bom povo de Lábrea’   |   Marcelo Viana/Pascom Prelazia de Lbrea

Diocede Ponta Grossa
Bispo dom Santiago agradeceu a vida de padre José Nilson, a vida da igreja-irmã e de toda a prelazia   |   Marcelo Viana/Pascom Prelazia de Lbrea

Diocede Ponta Grossa
Leidynha homenageou o padre, cantando a música ‘Quem é esse homem’, que foi feita por José Nilson   |   Marcelo Viana/Pascom Prelazia de Lbrea

Diocede Ponta Grossa
Padre recebeu o carinho dos fiéis, em flores e camisetas   |   Marcelo Viana/Pascom Prelazia de Lbrea


Navegue até a sua Paróquia