DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 17/03/2020

Paróquia Sant’Ana ganhou dois novos diáconos

Bispo dom Sergio presidiu a celebração sábado

 
Durante a ladainha, os dois neo-diáconos ficam prostrados diante do altar Durante a ladainha, os dois neo-diáconos ficam prostrados diante do altar | Crédito: Renato de Oliveira

      “A esperança não decepciona”. Citando este trecho da Carta de São Paulo aos Romanos, o bispo dom Sergio Arthur Braschi iniciou sua homilia no sábado (14), na celebração que ordenou dois novos diáconos permanentes na matriz Sant’Ana, de Castro. Antônio Geraldo Kluczkowski e Ricardo Aparecido dos Santos, conforme o bispo, representam o renovar da esperança na mais antiga paróquia da diocese, ao atender o chamado a servir como diáconos. “Jesus demonstra as atitudes que vocês terão de ter nessa missão: acolhida, respeito ao jeito do outro, tudo para preparar o coração para o anúncio da Boa Nova”, afirmou dom Sergio, lembrando que a Paróquia Sant’Ana em seus 246 anos de história, muito antes de Ponta Grossa, já “pulsava e evangelizava. Deus caminha conosco e não decepciona”.

      Diácono Antônio Geraldo Kluczkowski é produtor rural, morador do Bairro Aparição. Estava com a esposa, Zélia, e os cinco filhos. O diácono Ricardo Santos tem 42 anos, é administrador de empresas, casado há 20 anos com Ederly e é pai de um casal. Moram no quilômetro 1 da estrada Castro a Tibagi, em Castro. Familiares e amigos foram cumprimentados pelo bispo e pelo pároco, padre Martinho Hartmann, pároco da Paróquia Sant’Ana, que acolheu a todos, explicando as funções de um diácono, a quem se referiu como sendo ‘o fermento que faz crescer o corpo eclesial’, termo usado pelo Papa Francisco em setembro de 2019.

     Logo depois da leitura do Evangelho, os dois, então, candidatos foram chamados à frente do altar, e, ao se perfilarem diante de dom Sergio, responderam ‘eis-me aqui’. Padre Mário Dwulatka, coordenador da Escola Diaconal Santo Estevâo, respondeu positivamente à indagação do bispo se ambos eram dignos da missão. Dom Sergio descreve o serviço diaconal na Igreja, ressaltando que eles serão ministros de Cristo, a serviço, com alegria, a Deus e aos seres humanos. Antes de serem admitidos à Ordem dos Diáconos, os dois manifestam ao povo o propósito de receber o ministério, ao que, a cada pergunta, Geraldo e Ricardo afirmam ‘sim, quero’. Também prometem reverência e obediência ao bispo, de joelhos, e com as mãos entre as mãos de dom Sergio, em ato que simboliza igualmente a unidade da Igreja.

      Depois das promessas, os dois tocaram o Evangelho e receberam a vestes dos padrinhos de ordenação. Foi entoada a ladainha, com ambos os diáconos deitados, e imposta as mãos, pelo bispo sobre a cabeça dos dois neo-diáconos. Em seguida, todos os padres e diáconos presentes fazem o mesmo, orando. Já paramentados com a estola diaconal e a dalmática, ambos receberam de dom Sergio o evangeliário. “Recebe o Evangelho de Cristo, que tens missão de proclamar. Crê o que lês, ensina o que crês e vive o que ensinas”, orienta o bispo. Geraldo e Ricardo foram abraçados por todos os demais concelebrantes e por seus familiares.

      O diácono Pompílio Ferreira Filho falou em nome do Conselho Nacional dos Diáconos, dando as boas-vindas aos colegas.  O casal Joaquim Ferreira e Joana Lima Ferreira, representando o Conselho Pastoral também prestaram homenagem aos neo-diáconos, agradecendo pelo ‘sim’ dado e destacando que a vocação é um precioso dom de Deus e um encontro pessoal com Jesus. A comunidade presenteou o dois com quadros de Senhora Sant’Ana. Padre Martinho afirmou que a Igreja estava em festa pela ordenação, que começou, segundo ele, muito antes da celebração, com visitas a doentes, pobres e famílias para levar a Palavra de Deus e conforto espiritual. ”Para esses dias de ação missionária foram convidados todos os diáconos da diocese, com o intuito de propagar a vocação”, agradecendo Ademir Lazarini, Ernesto Cesar Solek, Luiz Afonso Freytag e Vítor José Witsmiszyn, que ajudaram na missão.

      O diácono Ricardo falou em nome dos ordenandos. “Agradeço a Deus por confiar tamanha riqueza a nós que somos tão frágeis. Que Ele possa nos guiar para que a nossa missão seja profícua”, enfatizou. O neo-diácono agradeceu a amizade e o apoio recebido dos padres Martinho e Álvaro Nortok – vigário na Paróquia Sant’Ana – o esmero da Escola Santo Estevâo e seus formadores e a presença de diáconos e padres, com quem disse esperar contar em oração. “E também agradeço a todos os católicos que rezaram por nós nesses seis anos e, claro, a todos das nossas famílias, pelo incentivo e apoio”, acrescentou.      

      A celebração foi a segunda das 17 cerimônias programadas para acontecer até outubro deste ano. A próxima celebração, será na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Telêmaco Borba, no sábado (22), às 15 horas, quando dom Sergio vai ordenar nove novos diáconos permanentes.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Rádio Sant’Ana vai sediar Santa Missa   |   Igreja vai celebrar a Eucaristia à distância   |   Bispo retoma visitas pastorais   |   Via Sacra tem obras de pintor premiado   |  





Publicado em: 17/03/2020

Paróquia Sant’Ana ganhou dois novos diáconos

Bispo dom Sergio presidiu a celebração sábado

 

      “A esperança não decepciona”. Citando este trecho da Carta de São Paulo aos Romanos, o bispo dom Sergio Arthur Braschi iniciou sua homilia no sábado (14), na celebração que ordenou dois novos diáconos permanentes na matriz Sant’Ana, de Castro. Antônio Geraldo Kluczkowski e Ricardo Aparecido dos Santos, conforme o bispo, representam o renovar da esperança na mais antiga paróquia da diocese, ao atender o chamado a servir como diáconos. “Jesus demonstra as atitudes que vocês terão de ter nessa missão: acolhida, respeito ao jeito do outro, tudo para preparar o coração para o anúncio da Boa Nova”, afirmou dom Sergio, lembrando que a Paróquia Sant’Ana em seus 246 anos de história, muito antes de Ponta Grossa, já “pulsava e evangelizava. Deus caminha conosco e não decepciona”.

      Diácono Antônio Geraldo Kluczkowski é produtor rural, morador do Bairro Aparição. Estava com a esposa, Zélia, e os cinco filhos. O diácono Ricardo Santos tem 42 anos, é administrador de empresas, casado há 20 anos com Ederly e é pai de um casal. Moram no quilômetro 1 da estrada Castro a Tibagi, em Castro. Familiares e amigos foram cumprimentados pelo bispo e pelo pároco, padre Martinho Hartmann, pároco da Paróquia Sant’Ana, que acolheu a todos, explicando as funções de um diácono, a quem se referiu como sendo ‘o fermento que faz crescer o corpo eclesial’, termo usado pelo Papa Francisco em setembro de 2019.

     Logo depois da leitura do Evangelho, os dois, então, candidatos foram chamados à frente do altar, e, ao se perfilarem diante de dom Sergio, responderam ‘eis-me aqui’. Padre Mário Dwulatka, coordenador da Escola Diaconal Santo Estevâo, respondeu positivamente à indagação do bispo se ambos eram dignos da missão. Dom Sergio descreve o serviço diaconal na Igreja, ressaltando que eles serão ministros de Cristo, a serviço, com alegria, a Deus e aos seres humanos. Antes de serem admitidos à Ordem dos Diáconos, os dois manifestam ao povo o propósito de receber o ministério, ao que, a cada pergunta, Geraldo e Ricardo afirmam ‘sim, quero’. Também prometem reverência e obediência ao bispo, de joelhos, e com as mãos entre as mãos de dom Sergio, em ato que simboliza igualmente a unidade da Igreja.

      Depois das promessas, os dois tocaram o Evangelho e receberam a vestes dos padrinhos de ordenação. Foi entoada a ladainha, com ambos os diáconos deitados, e imposta as mãos, pelo bispo sobre a cabeça dos dois neo-diáconos. Em seguida, todos os padres e diáconos presentes fazem o mesmo, orando. Já paramentados com a estola diaconal e a dalmática, ambos receberam de dom Sergio o evangeliário. “Recebe o Evangelho de Cristo, que tens missão de proclamar. Crê o que lês, ensina o que crês e vive o que ensinas”, orienta o bispo. Geraldo e Ricardo foram abraçados por todos os demais concelebrantes e por seus familiares.

      O diácono Pompílio Ferreira Filho falou em nome do Conselho Nacional dos Diáconos, dando as boas-vindas aos colegas.  O casal Joaquim Ferreira e Joana Lima Ferreira, representando o Conselho Pastoral também prestaram homenagem aos neo-diáconos, agradecendo pelo ‘sim’ dado e destacando que a vocação é um precioso dom de Deus e um encontro pessoal com Jesus. A comunidade presenteou o dois com quadros de Senhora Sant’Ana. Padre Martinho afirmou que a Igreja estava em festa pela ordenação, que começou, segundo ele, muito antes da celebração, com visitas a doentes, pobres e famílias para levar a Palavra de Deus e conforto espiritual. ”Para esses dias de ação missionária foram convidados todos os diáconos da diocese, com o intuito de propagar a vocação”, agradecendo Ademir Lazarini, Ernesto Cesar Solek, Luiz Afonso Freytag e Vítor José Witsmiszyn, que ajudaram na missão.

      O diácono Ricardo falou em nome dos ordenandos. “Agradeço a Deus por confiar tamanha riqueza a nós que somos tão frágeis. Que Ele possa nos guiar para que a nossa missão seja profícua”, enfatizou. O neo-diácono agradeceu a amizade e o apoio recebido dos padres Martinho e Álvaro Nortok – vigário na Paróquia Sant’Ana – o esmero da Escola Santo Estevâo e seus formadores e a presença de diáconos e padres, com quem disse esperar contar em oração. “E também agradeço a todos os católicos que rezaram por nós nesses seis anos e, claro, a todos das nossas famílias, pelo incentivo e apoio”, acrescentou.      

      A celebração foi a segunda das 17 cerimônias programadas para acontecer até outubro deste ano. A próxima celebração, será na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Telêmaco Borba, no sábado (22), às 15 horas, quando dom Sergio vai ordenar nove novos diáconos permanentes.


Diocede Ponta Grossa
Durante a ladainha, os dois neo-diáconos ficam prostrados diante do altar   |   Renato de Oliveira

Diocede Ponta Grossa
Os dois novos diáconos recebem o abraço de acolhida das esposas   |   Renato de Oliveira

Diocede Ponta Grossa
Os celebrantes se preparando para entrar na matriz Sant’Ana   |   Renato de Oliveira

Diocede Ponta Grossa
Os dois novos diáconos recebem o abraço de acolhida das esposas   |   Renato de Oliveira

Diocede Ponta Grossa
Já paramentados, os novos diáconos viviam com emoção todos os momentos   |   Renato de Oliveira


Navegue até a sua Paróquia