DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 00/00/0000

Padre da Diocese de Ponta Grossa é nomeado bispo

Mário Spaki é de Irati e vai responder pela Diocese de Paranavaí

Padre Mário Spaki ficou por sete anos a frente do Regional Sul 2 da CNBB Padre Mário Spaki ficou por sete anos a frente do Regional Sul 2 da CNBB | Crédito: Arquivo Assessoria de Comunicação Diocese de Ponta Grossa

     A  Nunciatura Apostólica no Brasil anunciou, nesta quarta-feira (25), que o Papa Francisco nomeou o padre Mário Spaki, pertencente ao clero secular da Diocese de Ponta Grossa, atual secretário executivo do Regional Sul 2 da CNBB, para bispo diocesano de Paranavaí. A ordenação episcopal está marcada para 22 de junho, às 18 horas, na Catedral Sant’Ana, de Ponta Grossa. E a posse canônica na Catedral Maria, Mãe da Igreja, de Paranavaí, será dia 8 de julho, às 16 horas, dia da celebração do Jubileu de Ouro da Diocese.

     Vacante desde a posse canônica de dom Geremias Steinmetz na Arquidiocese de Londrina, em 12 de agosto de 2017, a Diocese de Paranavaí terá com padre Mário seu quinto bispo. O presidente do Regional Sul 2, dom Mauro Aparecido dos Santos, Arcebispo de Cascavel, agradeceu ao monselhor Mário Spaki pelos relevantes serviços prestados à CNBB Sul 2 nestes últimos sete anos. “Parabéns! Deus te abençoe! Conte conosco”, enfatizou o bispo.

     O bispo de Ponta Grossa, dom Sergio Arthur Braschi, mostrando-se extremamente feliz, comemorou a ‘alvissareira’ notícia, que avaliou como sinal da maturidade da fé cristã da Igreja diocesana, prestes a completar 92 anos de fundação. “Cristo Ressuscitado, a Virgem Mãe da Divina Graça e São Marcos evangelista – cuja festa litúrgica se celebra hoje – abençoem o futuro bispo, Monsenhor Mário Spaki, com as melhores graças no seu serviço como bom pastor da Diocese de Paranavaí”.

     Assim que foi comunicado oficialmente da nomeação, padre Mário gravou um vídeo se apresentando aos fiéis da Diocese de Paranavaí. “Sinto-me feliz, honrado e agradecido embora temeroso, pois sei quanto é grande a missão e a responsabilidade que se abre diante de mim. Sei que não estou sozinho. Já estou e estarei com vocês. Como meu primeiro gesto quero abraçar com o coração, mesmo à distancia, a cada um. Aos padres peço oração e peço que me queiram bem, me amem, pois se houver amor, Deus estará conosco e Ele estando tudo é possível”, diz na mensagem. O lema episcopal do novo bispo é ‘Fitando-o, o amou!’ (Mc 10,21)


Vida

     Mário Spaki nasceu em Irati , aos 14 de dezembro de 1971. É o quinto filho do casal Izidoro e Therezinha Spaki (in memoriam). Foi batizado em 19 de dezembro de 1971. Fez seus estudos primários na Escola Municipal do Cerro da Ponte Alta e no Colégio Municipal Olavo Anselmo Santini do Rio do Couro, ambos no interior de Irati, de 1979 a 1987. O Ensino Médio cursou no Colégio São Vicente de Paulo, em Irati, de 1988 a 1990.

     Em 1987, durante as Missões Saletinas, sentiu o chamado de Deus, entrando para o Seminário Propedêutico Diocesano, no início de 1991. De 1992 a 1994 estudou filosofia no Instituto de Filosofia e Teologia Mater Ecclesiae (IFITEME), da Diocese de Ponta Grossa. Em 1995 recebeu permissão de Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, Bispo Diocesano, para fazer um ano de espiritualidade, na Escola Sacerdotal Vinea Mea, de Loppiano, Florença – Itália. Tendo tido ótimo aproveitamento no curso de espiritualidade, terminando aquele ano, foi convidado para prosseguir seus estudos em Roma e, obtendo autorização de Dom Murilo, cursou Teologia e Mestrado em Dogmática na Pontifícia Universidade Gregoriana, de Roma, anos 1995 a 2001.

     Em outubro de 2001 retornou ao Brasil e Dom João Braz de Aviz, Bispo de então da Diocese de Ponta Grossa, o enviou para a Paróquia São José da mesma cidade, a fim de ajudar o Pe. Agostinho Antônio Rutkoski. Ali permaneceu por dois anos e dois meses. Nesse período, ainda como seminarista, começou a lecionar disciplinas dogmáticas no IFITEME, permanecendo como professor por dez anos. Em 2 de fevereiro de 2003 foi ordenado Diácono por Dom João Braz de Aviz e, em 3 de agosto de 2003, Presbítero, por Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger.

     Dom Sergio Arthur Braschi, que assumiu a Diocese de Ponta Grossa em agosto de 2003, o nomeou reitor do Seminário Diocesano São José, função que exerceu de 2004 a 2011. Nesse tempo, Padre Mário atuou na Pastoral da Diocese, coordenando por um quadriênio a prioridade diocesana dos Pequenos Grupos e, na sequência, um quadriênio coordenando a prioridade das Santas Missões Populares. Ainda nesse período desenvolveu a Ação Evangelizadora Nossa Igreja Mãe, em 2006, que, em poucos meses, envolveu a população da Diocese e arrecadou fundos para o término da Catedral Sant’Ana de Ponta Grossa. Naqueles anos fez três pós-graduações: Counseling, no Instituto de Aconselhamento e Terapia do Sentido de Ser (IATES), em Curitiba; Formação de Presbíteros Diocesanos no Instituto Santo Tomás de Aquino de Belo Horizonte e o curso Cultura e Meios de Comunicação no Serviço à Pastoral da Comunicação (SEPAC), em São Paulo.

     De 2008 a 2011 foi Presidente da Comissão dos Presbíteros do Paraná e Secretário da Comissão Nacional dos Presbíteros.

     Em setembro de 2011 foi eleito pelos Bispos do Paraná Secretário Executivo do Regional Sul 2 da CNBB, com sede em Curitiba, onde se encontra até o presente momento.

     De 2012 a 2015 fez o curso de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Curitiba. Atualmente é diretor espiritual do Instituto Católico de Psicologia e Pesquisa (ICaPP), com sede em Curitiba.

     Participou ativamente de todo o processo de abertura e desenvolvimento da Missão Beato Paulo VI da Guiné-Bissau, missão ad gentes da Igreja do Regional Sul 2. Além disso, protagonizou a Ação Evangelizadora Missão, Palavra e Pão que, em 2016, envolveu a Igreja do Paraná na arrecadação de recursos para a aquisição de 20 mil Bíblias para a África. Enfim, em 2017, teve a inspiração da Ação Evangelizadora Cada comunidade uma nova vocação, que se espalhou pelo Brasil.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Festa do Divino reuniu fiéis de toda a região | Pascom da Diocese ganha logomarca | Com novos atrativos, Festa das Nações abre sábado | Coroação de Maria marcou dia de Senhora de Fátima |





Publicado em: 00/00/0000

Padre da Diocese de Ponta Grossa é nomeado bispo

Mário Spaki é de Irati e vai responder pela Diocese de Paranavaí

     A  Nunciatura Apostólica no Brasil anunciou, nesta quarta-feira (25), que o Papa Francisco nomeou o padre Mário Spaki, pertencente ao clero secular da Diocese de Ponta Grossa, atual secretário executivo do Regional Sul 2 da CNBB, para bispo diocesano de Paranavaí. A ordenação episcopal está marcada para 22 de junho, às 18 horas, na Catedral Sant’Ana, de Ponta Grossa. E a posse canônica na Catedral Maria, Mãe da Igreja, de Paranavaí, será dia 8 de julho, às 16 horas, dia da celebração do Jubileu de Ouro da Diocese.

     Vacante desde a posse canônica de dom Geremias Steinmetz na Arquidiocese de Londrina, em 12 de agosto de 2017, a Diocese de Paranavaí terá com padre Mário seu quinto bispo. O presidente do Regional Sul 2, dom Mauro Aparecido dos Santos, Arcebispo de Cascavel, agradeceu ao monselhor Mário Spaki pelos relevantes serviços prestados à CNBB Sul 2 nestes últimos sete anos. “Parabéns! Deus te abençoe! Conte conosco”, enfatizou o bispo.

     O bispo de Ponta Grossa, dom Sergio Arthur Braschi, mostrando-se extremamente feliz, comemorou a ‘alvissareira’ notícia, que avaliou como sinal da maturidade da fé cristã da Igreja diocesana, prestes a completar 92 anos de fundação. “Cristo Ressuscitado, a Virgem Mãe da Divina Graça e São Marcos evangelista – cuja festa litúrgica se celebra hoje – abençoem o futuro bispo, Monsenhor Mário Spaki, com as melhores graças no seu serviço como bom pastor da Diocese de Paranavaí”.

     Assim que foi comunicado oficialmente da nomeação, padre Mário gravou um vídeo se apresentando aos fiéis da Diocese de Paranavaí. “Sinto-me feliz, honrado e agradecido embora temeroso, pois sei quanto é grande a missão e a responsabilidade que se abre diante de mim. Sei que não estou sozinho. Já estou e estarei com vocês. Como meu primeiro gesto quero abraçar com o coração, mesmo à distancia, a cada um. Aos padres peço oração e peço que me queiram bem, me amem, pois se houver amor, Deus estará conosco e Ele estando tudo é possível”, diz na mensagem. O lema episcopal do novo bispo é ‘Fitando-o, o amou!’ (Mc 10,21)


Vida

     Mário Spaki nasceu em Irati , aos 14 de dezembro de 1971. É o quinto filho do casal Izidoro e Therezinha Spaki (in memoriam). Foi batizado em 19 de dezembro de 1971. Fez seus estudos primários na Escola Municipal do Cerro da Ponte Alta e no Colégio Municipal Olavo Anselmo Santini do Rio do Couro, ambos no interior de Irati, de 1979 a 1987. O Ensino Médio cursou no Colégio São Vicente de Paulo, em Irati, de 1988 a 1990.

     Em 1987, durante as Missões Saletinas, sentiu o chamado de Deus, entrando para o Seminário Propedêutico Diocesano, no início de 1991. De 1992 a 1994 estudou filosofia no Instituto de Filosofia e Teologia Mater Ecclesiae (IFITEME), da Diocese de Ponta Grossa. Em 1995 recebeu permissão de Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, Bispo Diocesano, para fazer um ano de espiritualidade, na Escola Sacerdotal Vinea Mea, de Loppiano, Florença – Itália. Tendo tido ótimo aproveitamento no curso de espiritualidade, terminando aquele ano, foi convidado para prosseguir seus estudos em Roma e, obtendo autorização de Dom Murilo, cursou Teologia e Mestrado em Dogmática na Pontifícia Universidade Gregoriana, de Roma, anos 1995 a 2001.

     Em outubro de 2001 retornou ao Brasil e Dom João Braz de Aviz, Bispo de então da Diocese de Ponta Grossa, o enviou para a Paróquia São José da mesma cidade, a fim de ajudar o Pe. Agostinho Antônio Rutkoski. Ali permaneceu por dois anos e dois meses. Nesse período, ainda como seminarista, começou a lecionar disciplinas dogmáticas no IFITEME, permanecendo como professor por dez anos. Em 2 de fevereiro de 2003 foi ordenado Diácono por Dom João Braz de Aviz e, em 3 de agosto de 2003, Presbítero, por Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger.

     Dom Sergio Arthur Braschi, que assumiu a Diocese de Ponta Grossa em agosto de 2003, o nomeou reitor do Seminário Diocesano São José, função que exerceu de 2004 a 2011. Nesse tempo, Padre Mário atuou na Pastoral da Diocese, coordenando por um quadriênio a prioridade diocesana dos Pequenos Grupos e, na sequência, um quadriênio coordenando a prioridade das Santas Missões Populares. Ainda nesse período desenvolveu a Ação Evangelizadora Nossa Igreja Mãe, em 2006, que, em poucos meses, envolveu a população da Diocese e arrecadou fundos para o término da Catedral Sant’Ana de Ponta Grossa. Naqueles anos fez três pós-graduações: Counseling, no Instituto de Aconselhamento e Terapia do Sentido de Ser (IATES), em Curitiba; Formação de Presbíteros Diocesanos no Instituto Santo Tomás de Aquino de Belo Horizonte e o curso Cultura e Meios de Comunicação no Serviço à Pastoral da Comunicação (SEPAC), em São Paulo.

     De 2008 a 2011 foi Presidente da Comissão dos Presbíteros do Paraná e Secretário da Comissão Nacional dos Presbíteros.

     Em setembro de 2011 foi eleito pelos Bispos do Paraná Secretário Executivo do Regional Sul 2 da CNBB, com sede em Curitiba, onde se encontra até o presente momento.

     De 2012 a 2015 fez o curso de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Curitiba. Atualmente é diretor espiritual do Instituto Católico de Psicologia e Pesquisa (ICaPP), com sede em Curitiba.

     Participou ativamente de todo o processo de abertura e desenvolvimento da Missão Beato Paulo VI da Guiné-Bissau, missão ad gentes da Igreja do Regional Sul 2. Além disso, protagonizou a Ação Evangelizadora Missão, Palavra e Pão que, em 2016, envolveu a Igreja do Paraná na arrecadação de recursos para a aquisição de 20 mil Bíblias para a África. Enfim, em 2017, teve a inspiração da Ação Evangelizadora Cada comunidade uma nova vocação, que se espalhou pelo Brasil.


Diocede Ponta Grossa
Padre Mário Spaki ficou por sete anos a frente do Regional Sul 2 da CNBB   |   Arquivo Assessoria de Comunicação Diocese de Ponta Grossa

Diocede Ponta Grossa
O padre é nascido em Irati, município da Diocese de Ponta Grossa   |   Arquivo Assessoria de Comunicação Diocese de Ponta Grossa



Navegue até a sua Paróquia



Cúria
Cúria
Imprensa
Clipping
Download