DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA

       
SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 00/00/0000

Bispo visita aldeia indígena em Ortigueira

Integrantes do Comidi, padres e seminaristas passam o dia em missão

 
Na aldeia Mococa do Natingüi, também em Ortigueira, visitada em julho, moram 30 famílias Na aldeia Mococa do Natingüi, também em Ortigueira, visitada em julho, moram 30 famílias | Crédito: Acervo Comidi

      Dom Sergio Arthur Braschi, bispo referencial da Dimensão Missionária no Paraná, se une a integrantes do Conselho Missionário Diocesano (Comidi), da coordenação da Juventude e Infância Missionária, e a sacerdotes, religiosas, seminaristas em uma visita a reserva indígena de Queimadas, em Ortigueira, neste domingo (29). Cerca de 500 famílias moram na reserva. Ao todo, a comitiva deve ser composta por 30 pessoas, que saem de Ponta Grossa às 6 horas e retornam no final do dia.

      O missionário responsável pela aldeia, Vandilin Rodrigues, o Vando, conta que o desafio é enorme. “Em Queimadas, são 110 famílias católicas e nem 20% participam da igreja. Em Mococa, são menos famílias, cerca de 30, e a capela servia de depósito de material de construção devido a obra da barragem da usina. Com a graça de Deus, a comunidade acordou: os membros chamaram o cacique, que era evangélico, pediram para reativar a igreja, mas houve resistência. Foi trocado o cacique, que, agora, é católico, e foi reassumida a comunidade, a igreja foi reaberta”, detalhou, citando que, agora, intenção é continuar o trabalho vem sendo feito. “O que diferencia e vai melhorar é o apoio e participação do bispo dom Sergio, responsável pelas nas reservas indígenas de Mococa e Queimados, junto com o padre Mário (Valcamonica) e Nelson (Luís Martins), que trabalha nas comunidades”.

      Estão programadas visitas às casas, benção às famílias e a celebração da Santa Eucaristia. A equipe missionária local, com o apoio dos padres Mário e Nelson, da Paróquia São Sebastião, de Ortigueira, promete algumas surpresas, com apresentações culturais e de canto, preparadas pelo grupo de dança do grupo de jovens e pelas crianças da infância missionária indígena. O bispo dom Sergio lembra que, em julho de 2017, visitou a comunidade de Mococa do Natingüi, também no município. Ele passou pelas residências e celebrou missa, em um dia que se transformou em uma verdadeira festa para toda a comunidade indígena.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Catequistas avaliam caminhada e planejam 2019 | Diocese assume gestão de monumento em Irati | A dependência química vista sob novo olhar | Femuc terá show da Colo de Deus |





Publicado em: 00/00/0000

Bispo visita aldeia indígena em Ortigueira

Integrantes do Comidi, padres e seminaristas passam o dia em missão

 

      Dom Sergio Arthur Braschi, bispo referencial da Dimensão Missionária no Paraná, se une a integrantes do Conselho Missionário Diocesano (Comidi), da coordenação da Juventude e Infância Missionária, e a sacerdotes, religiosas, seminaristas em uma visita a reserva indígena de Queimadas, em Ortigueira, neste domingo (29). Cerca de 500 famílias moram na reserva. Ao todo, a comitiva deve ser composta por 30 pessoas, que saem de Ponta Grossa às 6 horas e retornam no final do dia.

      O missionário responsável pela aldeia, Vandilin Rodrigues, o Vando, conta que o desafio é enorme. “Em Queimadas, são 110 famílias católicas e nem 20% participam da igreja. Em Mococa, são menos famílias, cerca de 30, e a capela servia de depósito de material de construção devido a obra da barragem da usina. Com a graça de Deus, a comunidade acordou: os membros chamaram o cacique, que era evangélico, pediram para reativar a igreja, mas houve resistência. Foi trocado o cacique, que, agora, é católico, e foi reassumida a comunidade, a igreja foi reaberta”, detalhou, citando que, agora, intenção é continuar o trabalho vem sendo feito. “O que diferencia e vai melhorar é o apoio e participação do bispo dom Sergio, responsável pelas nas reservas indígenas de Mococa e Queimados, junto com o padre Mário (Valcamonica) e Nelson (Luís Martins), que trabalha nas comunidades”.

      Estão programadas visitas às casas, benção às famílias e a celebração da Santa Eucaristia. A equipe missionária local, com o apoio dos padres Mário e Nelson, da Paróquia São Sebastião, de Ortigueira, promete algumas surpresas, com apresentações culturais e de canto, preparadas pelo grupo de dança do grupo de jovens e pelas crianças da infância missionária indígena. O bispo dom Sergio lembra que, em julho de 2017, visitou a comunidade de Mococa do Natingüi, também no município. Ele passou pelas residências e celebrou missa, em um dia que se transformou em uma verdadeira festa para toda a comunidade indígena.


Diocede Ponta Grossa
Na aldeia Mococa do Natingüi, também em Ortigueira, visitada em julho, moram 30 famílias   |   Acervo Comidi

Diocede Ponta Grossa
A aldeia de Mococa fica a 50 quilômetros da de Queimadas   |   Acervo Comidi

Diocede Ponta Grossa
Na aldeia Mococa do Natingüi, também em Ortigueira, visitada em julho, moram 30 famílias   |   Acervo Comidi

Diocede Ponta Grossa
O bispo celebrou a Santa Eucaristia, que teve a participação dos integrantes da comunidade   |   Acervo Comidi

Diocede Ponta Grossa
Na aldeia Mococa do Natingüi, também em Ortigueira, visitada em julho, moram 30 famílias   |   Acervo Comidi

Diocede Ponta Grossa
O bispo, em julho, abençoou as casas e os moradores   |   Acervo Comidi

Diocede Ponta Grossa
O bispo celebrou a Santa Eucaristia, que teve a participação dos integrantes da comunidade   |   Acervo Comidi

Diocede Ponta Grossa
Na aldeia Mococa do Natingüi, também em Ortigueira, visitada em julho, moram 30 famílias   |   Acervo Comidi


Navegue até a sua Paróquia



Cúria
Cúria
Imprensa
Clipping
Download