DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 25/06/2018

Bispos de sete estados acompanham ordenação

Monsenhor Mário Spaki é instituído bispo de Paranavaí

Dom Sergio e Dom Mário antes da celebração Dom Sergio e Dom Mário antes da celebração | Crédito:

     36 bispos, 175 padres, mais de 50 diáconos e uma multidão de fiéis. Era essa a cena na última sexta-feira (22), na Catedral Sant’Ana, em Ponta Grossa, durante a ordenação episcopal de monsenhor Mário Spaki. A celebração, sempre sediada pela diocese de origem do novo bispo, foi acompanhada à distância ainda por milhares de pessoas que sintonizavam 112 canais de televisão, via TV Evangelizar, que transmitiu ao vivo ao lado das rádios Sant’Ana, da Diocese de Ponta Grossa; Cultura FM,da Diocese de Paranavaí; Paranavaí FM; Castelo FM, de Santa Cruz do Monte Castelo, e Guadalupe FM, de Loanda. Todos os 14 bispos do Paraná vieram para a celebração, ao lado de arcebispos, bispos eméritos e representantes de dioceses de Minas Gerais, São Paulo – entre eles dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida - Santa Catarina, Tocantins, Pernambuco, Sergipe e Paraná e da metropolia católica ucraniana.

     A celebração foi presidida pelo bispo de Ponta Grossa, dom Sergio Arthur Braschi, e teve como co-ordenantes dom João Bosco Barbosa de Sousa, bispo diocesano de Osasco (SP), e dom Anuar Battisti, arcebispo metropolitano de Maringá. A cerimônia durou cerca de três horas e foi pura emoção, como no momento da entrega das insígnias, feita por sobrinhos do novo bispo; da mitra, recebida por ele das mãos dos irmãos, e, do báculo, trazido com dificuldade pelo pai, Izidoro Spaki. E, em sua fala, o novo bispo fez questão de destacar a importância da família em sua trajetória, família que deixou para trás em 1994, quando ainda seminarista e foi para Itália estudar. “Foi lá, em 1995, que tive uma profunda experiência com Deus e quando me coloquei em disponibilidade total”, lembrou, citando Marcos 10, 29: “Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo”.  

     Dom Mário Spaki enumerou as ações desenvolvidas por ele na Diocese de Ponta Grossa e no Regional Sul 2, onde era secretário executivo, destacando a campanha para angariar fundos para o término da Catedral Sant’Ana, e da Ação Evangelizadora em Cada Comunidade Uma Nova Vocação. Spaki renovou sua consagração ao Cristo crucificado, prometendo não se afastar das feridas de Jesus e dos irmãos. Dom Sergio lembrou ao novo bispo que o episcopado é um serviço e não uma honra. “É preciso pregar a Palavra com paciência, cuidar da Igreja que lhe foi confiada, amar a todos e ser reconhecido não pelas honrarias”, enfatizou o bispo.

     O arcebispo presidente do Regional Sul 2, Mauro Aparecido dos Santos, agradeceu a dom Mário pelos serviços prestados. “Todos te admiram e têm você no coração. Você que já demonstrou sua capacidade, espiritualidade  e comunhão”,  elogiou o pastor de Cascavel. Padre Joel Nalepa falou em nome dos presbíteros, diáconos e da comunidade católica de Ponta Grossa, dizendo-se grato a Deus pelo chamado e o aceite generoso por parte de dom Mário. “Que você continue simples, humilde, amigo, sereno e próximo, firme na busca da verdade e na correção fraterna, por amor. Que a alegria e a criatividade fecundem sua nova missão”, desejou o responsável diocesano pela Ação Evangelizadora.

     O presidente Ismael José Vilela, presidente do Instituto Católico de Psicologia e Pesquisa, do qual dom Mário Spaki é diretor espiritual, afirmou que a nomeação como bispo representa uma alegria. “Entendemos o chamado que dom Mário está respondendo como um apelo a nós. Um apelo ao serviço da Igreja. Mais uma vez somos chamados a nos colocar a serviço daqueles que sofrem e assim nos dispomos a colaborar com a Igreja naquilo que formos solicitados na nossa área, que é a área médica e de psicologia e psicoterapia”, comentou, exemplificando com o Projeto Mãe Amável, que trabalha a relação mãe e filho ainda durante a gestação.

     “O povo de Paranavaí clamava muito por um novo bispo e, graças a Deus, fomos atendidos com essa benção. Já sentimos uma emoção muito grande dele e acreditamos que vai fazer um grande trabalho”, dizia Jesus Pereira da Silva. “Me emocionei por algumas vezes na celebração. E ele (dom Mário) estava tão tranquilo que parecia aquela pessoa que sabe exatamente o que está acontecendo com ele. Essa energia, essa juventude dele, com certeza vai atender as necessidades da Diocese”, completou Lucélia de Lucena Penha. A Diocese de Paranavaí, que completa 50 anos em julho, estava há um ano e meio sem bispo.  A posse acontece dia 8 de julho, às 16 horas, no Parque Internacional de Exposições Presidente Arthur Costa e Silva.


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Cartilha de Orientação Política deve ser estudada, diz bispo | Escola de Fé e Política da Diocese lança cartilha | Jovem de Ponta Grossa integra Projeto Amazônia | Nossa Senhora do Perpétuo Socorro |





Publicado em: 25/06/2018

Bispos de sete estados acompanham ordenação

Monsenhor Mário Spaki é instituído bispo de Paranavaí

     36 bispos, 175 padres, mais de 50 diáconos e uma multidão de fiéis. Era essa a cena na última sexta-feira (22), na Catedral Sant’Ana, em Ponta Grossa, durante a ordenação episcopal de monsenhor Mário Spaki. A celebração, sempre sediada pela diocese de origem do novo bispo, foi acompanhada à distância ainda por milhares de pessoas que sintonizavam 112 canais de televisão, via TV Evangelizar, que transmitiu ao vivo ao lado das rádios Sant’Ana, da Diocese de Ponta Grossa; Cultura FM,da Diocese de Paranavaí; Paranavaí FM; Castelo FM, de Santa Cruz do Monte Castelo, e Guadalupe FM, de Loanda. Todos os 14 bispos do Paraná vieram para a celebração, ao lado de arcebispos, bispos eméritos e representantes de dioceses de Minas Gerais, São Paulo – entre eles dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida - Santa Catarina, Tocantins, Pernambuco, Sergipe e Paraná e da metropolia católica ucraniana.

     A celebração foi presidida pelo bispo de Ponta Grossa, dom Sergio Arthur Braschi, e teve como co-ordenantes dom João Bosco Barbosa de Sousa, bispo diocesano de Osasco (SP), e dom Anuar Battisti, arcebispo metropolitano de Maringá. A cerimônia durou cerca de três horas e foi pura emoção, como no momento da entrega das insígnias, feita por sobrinhos do novo bispo; da mitra, recebida por ele das mãos dos irmãos, e, do báculo, trazido com dificuldade pelo pai, Izidoro Spaki. E, em sua fala, o novo bispo fez questão de destacar a importância da família em sua trajetória, família que deixou para trás em 1994, quando ainda seminarista e foi para Itália estudar. “Foi lá, em 1995, que tive uma profunda experiência com Deus e quando me coloquei em disponibilidade total”, lembrou, citando Marcos 10, 29: “Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo”.  

     Dom Mário Spaki enumerou as ações desenvolvidas por ele na Diocese de Ponta Grossa e no Regional Sul 2, onde era secretário executivo, destacando a campanha para angariar fundos para o término da Catedral Sant’Ana, e da Ação Evangelizadora em Cada Comunidade Uma Nova Vocação. Spaki renovou sua consagração ao Cristo crucificado, prometendo não se afastar das feridas de Jesus e dos irmãos. Dom Sergio lembrou ao novo bispo que o episcopado é um serviço e não uma honra. “É preciso pregar a Palavra com paciência, cuidar da Igreja que lhe foi confiada, amar a todos e ser reconhecido não pelas honrarias”, enfatizou o bispo.

     O arcebispo presidente do Regional Sul 2, Mauro Aparecido dos Santos, agradeceu a dom Mário pelos serviços prestados. “Todos te admiram e têm você no coração. Você que já demonstrou sua capacidade, espiritualidade  e comunhão”,  elogiou o pastor de Cascavel. Padre Joel Nalepa falou em nome dos presbíteros, diáconos e da comunidade católica de Ponta Grossa, dizendo-se grato a Deus pelo chamado e o aceite generoso por parte de dom Mário. “Que você continue simples, humilde, amigo, sereno e próximo, firme na busca da verdade e na correção fraterna, por amor. Que a alegria e a criatividade fecundem sua nova missão”, desejou o responsável diocesano pela Ação Evangelizadora.

     O presidente Ismael José Vilela, presidente do Instituto Católico de Psicologia e Pesquisa, do qual dom Mário Spaki é diretor espiritual, afirmou que a nomeação como bispo representa uma alegria. “Entendemos o chamado que dom Mário está respondendo como um apelo a nós. Um apelo ao serviço da Igreja. Mais uma vez somos chamados a nos colocar a serviço daqueles que sofrem e assim nos dispomos a colaborar com a Igreja naquilo que formos solicitados na nossa área, que é a área médica e de psicologia e psicoterapia”, comentou, exemplificando com o Projeto Mãe Amável, que trabalha a relação mãe e filho ainda durante a gestação.

     “O povo de Paranavaí clamava muito por um novo bispo e, graças a Deus, fomos atendidos com essa benção. Já sentimos uma emoção muito grande dele e acreditamos que vai fazer um grande trabalho”, dizia Jesus Pereira da Silva. “Me emocionei por algumas vezes na celebração. E ele (dom Mário) estava tão tranquilo que parecia aquela pessoa que sabe exatamente o que está acontecendo com ele. Essa energia, essa juventude dele, com certeza vai atender as necessidades da Diocese”, completou Lucélia de Lucena Penha. A Diocese de Paranavaí, que completa 50 anos em julho, estava há um ano e meio sem bispo.  A posse acontece dia 8 de julho, às 16 horas, no Parque Internacional de Exposições Presidente Arthur Costa e Silva.


Diocede Ponta Grossa
Dom Sergio e Dom Mário antes da celebração   |  

Diocede Ponta Grossa
O bispos dom Sergio (esquerda) e João Bosco de Sousa (direita) foram co-ordenantes da celebração de sexta-feira   |   Ass. Com. Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
A cerimônia de ordenação de monsenhor Mário Spaki durou mais de três horas, com a participação de fiéis de todo o Paraná   |   Jeferson André/AssCom Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
Todos os 14 bispos do Paraná e de outros sete estados prestigiaram a ordenação   |   Jeferson André/AssCom Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
A Catedral Sant’Ana esteve lotada para a celebração que foi transmitida ao vivo por 112 canais de televisão e emissoras de rádio   |   AssCom Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
O bispos dom Sergio e João Bosco de Sousa foram co-ordenantes da celebração de sexta-feira   |   AssCom Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
Dom Sergio coloca o anel episcopal a Dom Mário   |   AssCom Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
Momento de homenagem à Virgem Maria, Dom Mário pediu para que todos acendessem as lanternas dos celulares   |   AssCom Diocese de PG

Diocede Ponta Grossa
Dom Mário Spaki   |  

Diocede Ponta Grossa
Mais de 100 católicos vieram de Paranavaí para prestigiar a ordenação de seu novo bispo   |  



Navegue até a sua Paróquia



Cúria
Cúria
Imprensa
Clipping
Download