DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA

MENU

PASTORAL ECUMÊNICA E DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO



Encontro de Cristãos e Muçulmanos
Diálogo - Movimento do Focolares.

Comissão para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-Religioso - CNBB

     Desde 1966, a Dimensão Ecumênica começou a fazer parte do Plano de Pastoral de Conjunto da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB, com algumas variantes. Nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil de 1995 surgem as Exigências Intrínsecas da Evangelização: serviço, diálogo, anúncio e testemunho de comunhão. Na Assembléia Geral da CNBB de 2003, com o novo Estatuto, foram criadas as Comissões Episcopais de Pastoral. A Comissão para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso é uma das dez Comissões.

Objetivo geral:
    Promover o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso na Igreja Católica no Brasil, à luz das orientações do magistério eclesial, em atenção à pluralidade religiosa do país.

Objetivos específicos:     Promover o diálogo ecumênico e inter-religioso nos níveis regional e nacional.

    Estimular as “comissões bilaterais” existentes e estimular a criação de novas Comissões ou Grupos de diálogo.

     Apoiar encontros e assembléias das Comissões Bilaterais.

     Organizar o encontro anual dos Bispos referenciais para o Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso e dos Assessores dos Regionais, da CNBB.

     Organizar o encontro anual de formação de Professores e Responsáveis pelo Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso nos institutos e faculdades teológicas.

     Implementar consultorias e outros projetos em parceria com a Casa da Reconciliação, a CESE (Coordenadoria Ecumênica de Serviços) e outros organismos ecumênicos.

     Motivar os Regionais e as Dioceses para celebrar a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos.

     Colaborar com as demais Comissões da CNBB, em iniciativas que eduquem para a paz, o diálogo e a colaboração entre Confissões cristãs e demais credos, no quadro dos direitos humanos e da liberdade religiosa.

     Apoiar os Regionais e as Dioceses na organização de Comissões de Diálogo, conforme a realidade religiosa regional e local.

     Atuar em sintonia com o Setor de Ecumenismo do CELAM, o Pontifício Conselho para a Unidade dos Cristãos e o Pontifício Conselho para a Cultura e o Diálogo Inter-religioso.

     Atuar em sintonia com o CONIC (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil).

     Responder às demandas da CNBB em campo ecumênico e inter-religioso.

Documentos para o diálogo com as Confissões Cristãs
Decreto conciliar Unitatis redintegratio (1964), UR
Diretório Ecumênico da Santa Sé (1993), DE
Encíclica Ut unum sint (1995), UUS
A dimensão ecumênica na formação dos que trabalham no ministério pastoral (1998), DEF

Documentos para o diálogo com as Religiões

Declaração conciliar Nostra aetate (1965), NA
Declaração conciliar Dignitatis humanae (1965), DH
Orientações e sugestões para a Aplicação da Declaração conciliar Nostra aetate n. 4 (1974), ANA
Notas para a correta apresentação dos judeus e do Judaísmo na Pregação e na Catequese da Igreja Católica (1985), JPC
Documento Diálogo e anúncio (1991), DA
“Nós recordamos” – uma reflexão sobre a Shoah (1998), NR
O povo Judeu e suas Escrituras na Bíblia cristã (2002), JEB

CASA DA RECONCILIAÇÃO

Centro de Diálogo Ecumênico e Inter-Religioso da CNBB
A “Casa da Reconciliação” é o centro de diálogo ecumênico e inter-religioso da CNBB

Confira o programa e a agenda anual da Casa da Reconciliação
Av. Afonso de Freitas, 704 – Paraíso
CEP 04006-052 São Paulo, SP
Tel. (11) 3884-1544
Fax (11) 3885-5191
dcj@casadareconciliacao.com.br

Algumas datas importantes na história da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

1740 Na Escócia, nascimento de um movimento pentecostal com laços na América do Norte, cuja mensagem para a renovação da fé apela a orar por todas a igrejas e com elas.
1820 O Reverendo James Haldane Stewart publica “Conselhos para a união geral dos cristãos para a efusão do Espírito Santo” (Hints for the outpouring of the Spirit).
1840 O Reverendo Ignatius Spencer, um convertido ao catolicismo romano, sugere uma “União de oração pela unidade”.
1867 A primeira Assembléia dos Bispos anglicanos em Lambeth insiste sobre a oração pela unidade, na introdução às suas resoluções.
1894 O papa Leão XIII encoraja a prática da “Oitava de Oração pela Unidade” no contexto de Pentecostes.
1908 Celebração da “Oitava pela Unidade da Igreja” por iniciativa do Reverendo Pe. Paul Wattson.
1926 O Movimento Fé e Constituição inicia a publicação de “Sugestões para uma Oitava de oração pela unidade dos cristãos”.
1935 Na França, o Pe. Paul Couturier faz-se defensor da “Semana universal de oração para a unidade dos cristãos” fundamentada na oração pela unidade tal qual Cristo a deseja, com os meios que Ele deseja.
1958 O Centro Unidade Cristã de Lyon (França) começa a preparar o tema para a Semana de Oração em colaboração com a “Comissão Fé e Constituição” do Conselho Mundial de Igrejas.
1964 Em Jerusalém, o Papa Paulo VI e o Patriarca Athenágoras I recitam juntos a oração de Cristo “que todos sejam um” (Jo 17).
1964 O decreto Unitatis Redintegratio (do Concílio Vaticano II sobre o ecumenismo) sublinha que a oração é a alma do movimento ecumênico e encoraja a prática da Semana de Oração.
1966 A “Comissão Fé e Constituição” e o Secretariado para a Unidade dos Cristãos (hoje Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos) da Igreja Católica decidem preparar conjuntamente o texto para a Semana de Oração a cada ano.
1968 Pela primeira vez, a Semana de Oração é celebrada com textos elaborados em colaboração entre “Comissão Fé e Constituição” e o Secretariado para a Unidade dos Cristãos (hoje, Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos).
1969 Primeira celebração da Semana de Oração a partir de textos preparados a partir de um projeto apresentado por um grupo ecumênico local. Este novo modo de elaboração de textos é inaugurado por um grupo ecumênico da Austrália.
1970 Os textos da Semana de Oração são utilizados para a celebração inaugural da Federação Cristã da Malásia, reunindo os principais grupos cristãos deste país.
1971 O grupo internacional que preparou os textos para 1996 contava, entre outros, com representantes da YMCA e da YWCA.
1975 Primeira celebração da Semana de Oração a partir dos textos preparados a partir de um projeto proposto por um grupo ecumênico local. Este novo modo de elaboração dos textos foi inaugurado por um grupo ecumênico da Austrália.
1988 Os textos da Semana de Oração são utilizados para a celebração inaugural da Federação Cristã da Malásia, reunindo os principais grupos cristãos deste país.
1994 O grupo internacional tinha preparado os textos para 1996 contava entre outras representantes da YMCA e da YWCA.
2004 Acordo entre “Comissão Fé e Constituição” (Conselho Mundial de Igrejas) e o Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos (Igreja Católica) para que o livreto da Semana de Oração seja oficial, conjuntamente publicado e apresentado num mesmo formato.
2008 Celebração do centenário da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (a Oitava pela unidade da Igreja, sua antecessora, foi celebrada pela primeira vez em 1908).

SEMANA DE ORAÇÃO PELA UNIDADE DOS CRISTÃOS – 2009

« Serão um, em tuas mãos » (Ez 37,17).
Texto preparado e publicado conjuntamente por :
Pontifício Conselho para a Unidade dos Cristãos
Comissão « Fé e Constituição » do Conselho Mundial de Igrejas
Tradução para o português
Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso - CNBB

Links Relacionados a) Organizações confessionais
Aliança Batista Mundial (ABM ou BWA)
Aliança Evangélica Mundial (AEM ou WEA)
Aliança Mundial de Igrejas Reformadas (AMIR ou WARC)
Comunhão Anglicana
Confederação Israelita do Brasil
Conselho Metodista Mundial (CMM ou WMC)
Federação Brasileira de Umbanda e Candomblé (FBU)
Federação Internacional de Estudos das Tradições Afro-Brasileira (FIETRECA)
Federação Espírita Brasileira (FEB)
Federação Luterana Mundial (FLM ou WLF)
Federação das Seitas Budistas do Brasil
Sociedade Israelita Brasileira (SIBRA)

b) Organismos ecumênicos
Ação Ecumênica de Mulheres
Centro Ecumênico de Evangelização, Capacitação e Assessoria (CECA)
Centro Ecumênico de Ação e Reflexão (CEAR)
Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular (CESEP)
Comissão Ecumênica dos Direitos da Terra (CEDITER)
Comissão Ecumênica Nacional de Combate ao Racismo (CENACORA)
Conselho Latino-Americano de Igrejas (CLAI)
Conselho Mundial de Igrejas (CMI)
Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC)
Coordenadoria Ecumênica de Serviço (CESE)
Koinonia – Presença Ecumênica e Serviço

c) Centros de formação e estudo
Casa da Reconciliação
Centro Pro Unione
Centro de Estudos Árabes (CEAr) da USP
Centro de Estudos Bíblicos (CEBI)
Centros Islâmicos do Brasil
Curso Ecumênico de Formação e Atualização Litúrgico-Musical (CELMU)
Instituto Brasileiro de Estudos Islâmicos (IBEI)
Instituto Ecumênico de Bossey
Pontifício Instituto Oriental
Pós-graduação em Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso
Sociedade de Teologia e Ciências da Religião (SOTER)

d) Comunidades ecumênicas
Cidade Ecumênica Taddeide
Cidade Ecumênica Ottmaring
Comunidade Ecumênica de Taizé (Brasil)
Communauté de Taizé (França)
Comunidade Monástica (ecumênica) de Bose
Comunidade Monástica (ecumênica) de Chevetogne
Comunidade Monástica (ecumênica) de Grandchamp
Comunidade Monástica (ecumênica) de Sibiu
Irmandade Evangélica de Maria

e) Instâncias de diálogo
Casa da Reconciliação
Comissão Episcopal para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso CNBB
Comissão Nacional Anglicano-Católica Romana
Comissão Nacional de Diálogo Católico-Judaico
Comitê de Diálogo Islâmico-Católico: busque em (= Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso)
Comunión Renovada de Evangélicos y Católicos en el Espíritu Santo (CRECES Argentina)
Comunhão Renovada de Evangélicos e Católicos no Espírito Santo (CRECES Brasil): busque em (= Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso)
Conferência Mundial das Religiões pela Paz
Departamento de Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso ITESC
Movimento dos Focolares
Movimento de Fraternidade de Igrejas Cristãs (MOFIC)
Pontifício Conselho para a Unidade dos Cristãos
Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso
Fórum Ecumênico Brasil (FeBRASIL)
Fórum Islâmico Internacional para o Diálogo (IIFD)
Jornadas Ecumênicas do Brasil
Relações Judaico-Cristãs
Setor Ecumenismo do CELAM
Fundação de Jornalistas e Escritores da Turquia para o diálogo inter-religioso e inter-cultural
Movimento Fethullah Gülen para Educação e Diálogo (Turquia)
Fondation Hommes de Parole (Genebra), dirigido por Alain Michel
Islamic Culture and Relations Organization (Teerã), dirigida por Mahdi Mostafavi
The Centre for Inter-religious Dialogue (centro de diálogo inter-religioso do islamismo xiita, Irã)
Diálogo Inter-religioso Monástico (DIM)
Departamento de Religiões Mundiais da Universidade de Dhaka (Bangladesh), dirigido por Kazi Nurul Islam

Pastoral Ecumênica – Diálogo Inter-Religioso – Diocese de Ponta Grossa

    A Diocese de Ponta Grossa em sintonia com o Concílio Vaticano II e de acordo com as orientações da C.N.B.B. sempre procurou fomentar o Ecumenismo e do Diálogo Inter-Religioso através do incentivo da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, Celebrações Ecumênicas e atividades. Os bispos diocesanos sempre incentivaram este caminho. A Pastoral Ecumênica foi pensada pela Coordenação da Ação Evangelizadora e houve um crescimento na consciência do ecumenismo na época episcopal de Dom João Bráz de Aviz cujo lema episcopal é “Que todos sejam um”; pelo seu carisma da unidade foi incentivador e animador da Pastoral Ecumênica e do Diálogo Inter- Religioso na Diocese de Ponta Grossa, também em Celebrações Ecumênicas como em atividades sociais pelo bem da comunidade. Outro fator determinante na linha do ecumenismo foram as Campanhas da Fraternidade Ecumênicas.

    Durante alguns anos o coordenador da Pastoral Ecumênica foi o Pe. Estanislau Kapuscinski que procurou organizar, dinamizar e divulgar a linha ecumênica da ação evangelizadora na diocese, principalmente através da “Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos” com os subsídios para a paróquias, bem como organizar eventos ecumênicos com as Igrejas abertas à dimensão do ecumenismo; também foi escolhido com assessor desta dimensão da evangelização para o Regional Sul 2 – Paraná. Em 2009 assumiu a coordenação da Pastoral Ecumênica o Pe. Sandro José Brandt. A realidade da diocese de Ponta Grossa nos ensina que muitas Igrejas ligadas ao CONIC – Conselho Nacional das Igrejas Cristãs estão abertas ao ecumenismo, e desafio são as Igrejas ou Comunidades Cristãs que não se abrem para o diálogo ecumênico e para atividades em comum pelo bem da sociedade. A ação ecumênica visa mudança de paradigmas e de mentalidade neste longo processo do ecumenismo e do dialogo inter-religioso. A diocese possui em seu território inúmeras manifestações religiosas, seitas, Igrejas Pentecostais de várias denominações, filosofias de vida, Igrejas e Religiões Históricas; Há o sincretismo religioso e a chamada “migração religiosa”. O desafio é tornar crescente a consciência ecumênica no coração dos cristãos, da sociedade e da humanidade.

CONTATO
Pe. Estanislau Kapuscinski
Rua: Visconde de Porto Alegre, 1059-Madureira.
Paróquia São Jorge
Fone: (42) 3227-5599 / E-mail: ekapuscinski@yahoo.com.br
Castro – Paraná – CEP: 84.070-120


PASTORAIS          




Navegue até a sua Paróquia



Cúria
Cúria
Imprensa
Clipping
Download