DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA

MENU

CAMINHO NEO CATECUMENAL


     Em 1993, D. Murilo Krieger, então bispo diocesano, solicita a abertura do Caminho Neocatecumenal na Diocese de Ponta Grossa. Ainda neste ano, nascem as primeiras comunidades na Paróquia São Sebastião e Nossa Senhora da Saúde. Em 1994, nasce a primeira comunidade Neocatecumenal na Paróquia São Pedro Apóstolo.

O Caminho está presente hoje, nas seguintes paróquias:
- PARÓQUIA SÃO PEDRO APÓSTOLO – SABARÁ
- PARÓQUIA N. SRA. DA SAÚDE – JARDIM AMÉRICA
- PARÓQUIA IMACULADA CONCEIÇÃO - CARAMBEÍ

Objetivo das Comunidades Neocatecumenais
     O Caminho Neocatecumenal está a serviço do bispo diocesano como um instrumento de redescoberta do batismo, e do significado profundo de ser cristão. Por meio de uma experiência particular, vivida em comunidade, o cristão é chamado por meio de etapas a conhecer e viver a sua fé e aprender a abandonar-se totalmente à vontade de Deus. O Papa João Paulo II reconheceu o Neocatecumenato como “um itinerário de formação cristã, válido para os tempos modernos”.

A HISTÓRIA DO CAMINHO NEOCATECUMENAL     O Caminho Neocatecumenal surge no ano de 1964, quando Francisco Arguello (Kiko) um pintor nascido na cidade espanhola de León e Carmen Hernández, licenciada em Química e formada no Instituto Missionárias de Cristo Jesus, decidem viver entre os pobres na favela de Palomeras Altas, subúrbio de Madrid. Em um ambiente composto sobre tudo de pobres, forma-se uma síntese querigmático-catequética, sustentada pela Palavra de Deus, pela Liturgia e pela experiência em comunidade, à luz do Concílio Vaticano II. Esta é a base do que o Caminho Neocatecumenal mais tarde levou para todo o mundo.

     Das favelas, a experiência parte logo para algumas paróquias de Madrid e Zamora. O Batismo, pouco a pouco foi sendo descoberto como caminho a ser percorrido, levando todos ao encontro de uma fé adulta e capaz de responder às mudanças sociais. Em 1970, os iniciadores do Caminho Neocatecumenal juntamente com os responsáveis e presbíteros das primeiras comunidades existentes, realizaram uma primeira reflexão sobre o que o Espírito Santo estava fazendo por meio das comunidades.

Com base nesta reflexão, é possível conhecer e saber o que é o Caminho Neocatecumenal:

O que é a Comunidade
- A comunidade é a Igreja: que é o Corpo visível de Cristo ressuscitado. Nasce do anúncio da “Boa Nova” que é Cristo, vencedor em nós de tudo aquilo que nos mata e destrói;
- Este anúncio é apostólico: unidade e dependência do Bispo, garantia da verdade e da universalidade;
- Somos chamados por Deus a ser sacramento de salvação no seio da atual estrutura paroquial;
- Início de um caminho em direção à fé adulta, através de um Catecumenato vivido mediante o tripé: Palavra de Deus, Liturgia e Comunidade. Missão destas comunidades na atual estrutura das Igrejas
- Tornar visível o novo modo de viver o Evangelho, tendo presente as profundas exigências do homem e o momento histórico da Igreja.
- Abrir um caminho. Chamar à conversão.
- Não se impõem. Sentem o dever de não destruir nada, de respeitar tudo, apresentando o fruto de uma Igreja que se renova e que diz aos seus Pais que foram fecundos, porque deles nascera.

Como se realiza esta missão
- Estas comunidades nasceram e desejam permanecer dentro da Paróquia, com o Pároco, para dar os sinais da fé: o amor e a unidade.

     Alguns anos mais tarde, quando o Caminho já se tinha difundido em muitas paróquias de Roma e em várias dioceses da Itália, os iniciadores foram chamados pela Congregação do Culto Divino, porque esta queria saber em que consistia aquele itinerário de redescoberta do Batismo e os ritos que eram feitos.

     O então Secretário da Congregação, Dom Annibale Bugnini, e o grupo de experts que estava com ele, ficaram enormemente impressionados ao ver que aquilo que estava elaborando há alguns anos sobre o Catecumenato para os adultos - e que logo seria publicado como “Ordo Initiationis Christianae Adultorum” (OICA) - , o Espírito Santo, partindo dos pobres, já o estava colocando em prática. Depois de dois anos de estudo daquilo que faziam as comunidades, publicaram na revista oficial da Congregação (Notitiae), em latim, para toda a Igreja, uma nota laudatória: “Praeclarum exemplar” da obra que estava desenvolvendo o Caminho Neocatecumenal. Com eles se concordou o nome que deveria ser dado ao Caminho: “Neocatecumenato”, como itinerário de formação cristão pós-batismal que segue as indicações propostas no Capítulo IV do mesmo Ordo. Neste se diz, de fato, que alguns ritos para os não batizados, propostos pelo OICA podem ser adaptados, também para aquelas pessoas já batizadas, mas não suficientemente catequizadas.

Papa Bento XVI em celebração com as Comunidades Neocatecumenais de Roma, em Janeiro de 2009.

     Junto a estes momentos salientes da história do Caminho, é importante recordar a característica de fundo que o constitui e que o Estatuto reconhece: a possibilidade de viver a vida cristã em comunidade, recuperando o modelo eclesial dos primeiros séculos.

     O Caminho Neocatecumenal se propôs, desde sua origem, como um caminho de iniciação à fé, assim, não é uma espiritualidade particular, mas um caminho de gestação, “um itinerário de formação católica válida para a sociedade e para os tempos hodiernos”. (João Paulo II, Carta “Ogniqualvolta”).

     É um processo de amadurecimento da fé que reconstrói a comunidade cristã: e esta se torna sinal para o mundo, resiste ao processo de secularização. Neste caminho de fé rumo à radicalidade do próprio batismo, faz-se central a comunidade cristã e, como núcleo fundamental desta, a família.

     É no seio de uma comunidade cristã concreta que se faz, em primeira pessoa, uma experiência concreta e direta da vida cristã. Recebe-se uma palavra, que se faz liturgia, que cresce, pouco a pouco, em koinonia, em comunidade. Deus mesmo é comunidade de pessoas.

RESPONSÁVEIS PELA EVANGELIZAÇÃO NA DIOCESE DE PONTA GROSSA:
Pe. Carlos Néri – Presbítero da Diocese de Jundiaí-SP;
Lourdes Boa – Catequista itinerante de Jundiaí-SP;
Manuel – Seminarista do Seminário Redemptoris Mater de Brasília.

RESPONSÁVEIS DAS COMUNIDADES MAIS ANTIGAS:
Dorvalino e Dorotéia Domann – 1° Comunidade Paróquia São Pedro Apóstolo
Norton e Beatriz Batista Rosas - 1º Comunidade Paróquia N. Sra. Saúde

Maiores informações e contato:
pastorais@pascompss.com
Site: http://www.caminhoneocatecumenal.org.br

MOVIMENTOS          






























Navegue até a sua Paróquia



Pastorais e Movimentos
Pastorais
Organismos
Movimnetos
Cúria
Cúria
Imprensa
Cliping
Download