DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA

MENU

Paróquia
Paróquia Sant`Ana - Catedral

Dados Gerais
Fundação: 15/09/1823
Paroco:    Pe. Antônio Ivan de Campos
Vigário:     Matthias J. A. Ham

Contato
Secretária:INFORMAR
Telefone: (42) 3224-0143
e-mail:     catedralpg@uol.com.br
Site:         INFORMAR
Facebook: INFORMAR

Missas
Segunda:    18h
Terça:         --------
Quarta:       17h45
Quinta:       18h
Sexta:         18h
Sábado:      18h
Domingo:    9h | 11h | 19h

Confissões
Segunda:   ---------
Terça:       ---------
Quarta:     A partir das 14 horas.
Quinta:     ---------
Sexta:       ---------
Sábado:    ---------
Domingo:  ---------


A 15 de setembro de 1823. Dom Pedro I, criou a Paróquia, dedicada a Sant’Ana, funcionando na Capela da Telha. É a 9ª. Paróquia do Paraná. Sendo mal localizada, mudaram para o local, onde se encontra a Catedral hoje.


Foi construída uma tosca Capelinha, com um altar singelo, onde ficava a pequena imagem de Sant’Ana. O primeiro Vigário encomendado foi o Pe. José Pereira da Fonseca que esteve à frente da Paróquia desde 1825, já como Vigário Permanente, até 1837.

 

Muitos anos depois, por volta de 1863, a pequena Igreja foi ampliada, ficou de bom tamanho, bem construída, e correspondia ao movimento da população.

 

Depois do Pe. José Pereira da Fonseca, chegou a Ponta Grossa o novo Vigário, Pe. Anacleto Dias Batista, que aqui permaneceu até 1880.

 

Em 1881 assumiu a Paróquia de Sant’Ana como seu Vigário, o Pe. João Evangelista Braga. Teve como coadjutor, o Pe. João Batista Scarpetti.

 

Em 1882 torna-se Vigário, o Pe. Donato Rofrano.

 

Em 1888, o Pe. Joaquim Narvásio, assume a Paróquia como Vigário Interino.

 

Em 1889 assumiu a Paróquia o Pe. Matheus Francisco Bonatto.

 

Em 1891 assumiu como Vigário, o Pe. Manoel Geraldo de Souza, sendo logo substituído pelo Pe. João Batista de Oliveira. Nesta ocasião percebemos pelos documentos antigos que nossa Paróquia passa a pertencer à Diocese de Curitiba, desvinculando-se de São Paulo.

 

Em 1903, o novo vigário foi o Pe. Cyrillo Methodio.

 

Em 1906 foi nomeado Vigário da Paróquia de Sant’Ana, o Pe. João Lux da Congregação dos Padres do Verbo Divino.

 

Até esta data os Vigários haviam sido seculares, de 1906 até 1942 foram os padres da Congregação da Sociedade do Verbo Divino que dirigiram os trabalhos da Paróquia.

 

Em 1909, o Pe. Frederico Hellembrocck, assumiu a Paróquia.

 

Em 1920, assumiu a Paróquia o Pe. Rodolfo Kugelmeier.

 

Em meados de 1923, o Pe. Martinho Weber passou a dirigir a Paróquia de Sant’Ana. Nesta época a Igreja Matriz de Sant’Ana havia sido totalmente reconstruída, pelo arquiteto italiano, Nicolau Ferigotti. Apresentava um aspecto imponente, dominando do alto toda a cidade.

 

Com a criação da Diocese em 1926, a Matriz de Sant’Ana foi elevada à categoria de Catedral.

 

Em 1933 assumiu a Paróquia de Sant’Ana – Catedral o Pe. Theodoro Matessi.

 

Em 1935 a Paróquia da Catedral foi confiada ao Pe. Sebastião Carlos.

 

Em 1942 o Pe. Humberto Frisch foi o último Vigário da Congregação do Verbo Divino que assumiu a Paróquia da Catedral. Neste mesmo ano foi nomeado o Pe. Diocesano, Francisco Salache.

 

Em 1945 o Pe. Paulo Xavier Machado assumiu os trabalhos da Paróquia da Catedral.

 

Em 1959 foi nomeado Vigário o Pe. Nicolau Nejnek.

 

Em 1961 assumiu pela segunda vez o Pe. Paulo Xavier Machado.

 

Em 1969, também pela segunda vez, assumiu a Paróquia, o Pe. Francisco Salache.

 

Em 1970, o jovem sacerdote, Pe. Agostinho Rutkoski assumiu como Vigário.

 

Em 1972, o Pe. Afonso Wosny.

 

Em 1975, o Pe. Silvio Mocelin.

 

Em 1981, assumiu o Pe. Amadeu Fracaro.

 

Em 1983, foi nomeado pela segunda vez, o Pe. Agostinho Rutkoski.

 

Em 1989, foi nomeado o Pe. José Sniegovski.

 

Em 1991, foi nomeado o Pe. Ivan Campos.

 

Em 1996, assumiu como Pároco, o Pe. Estanislau Kapuscinski.

 

Em 1999, assumiu como Pároco, o Pe. Wilson Aurélio Pianaro.

 

Em 2000, assumiu como Pároco, o Pe. Casemiro Oliszeski, que está Pároco até hoje.

 

A Igreja Catedral após Capela foi transformando-se gradualmente em Paróquia e assumindo as dimensões de uma Catedral.

 

No período de governo do Bispo Diocesano Dom Geraldo M. Pellanda após analise de projetos e consultas, resolveu-se demolir a Catedral Antiga e construir uma nova Catedral devido as dimensões do crescimento populacional e para responder às necessidades pastorais da evangelização dos tempos atuais. Desta forma, chegamos após um longo período de Campanhas até a "Ação Evangelizadora Nossa Igreja Mãe" aos términos das Reformas das Obras da Catedral Sant`Ana.

 

Síntese Histórica da Igreja da Catedral 

A 15 de setembro de 1823. Dom Pedro I, criou a Paróquia, dedicada a Sant’Ana, funcionando na Capela da Telha. É a 9ª. Paróquia do Paraná. Sendo mal localizada, mudaram para o local, onde se encontra a Catedral hoje.

            

Foi construída uma tosca Capelinha, com um altar singelo, onde ficava a pequena imagem de Sant’Ana. O primeiro Vigário encomendado foi o Pe. José Pereira da Fonseca que esteve à frente da Paróquia desde 1825, já como Vigário Permanente, até 1837.

 

Em meados de 1923, o Pe. Martinho Weber passou a dirigir a Paróquia de Sant’Ana. Nesta época a Igreja Matriz de Sant’Ana havia sido totalmente reconstruída, pelo arquiteto italiano, Nicolau Ferigotti. Apresentava um aspecto imponente, dominando do alto toda a cidade.

          

Com a criação da Diocese em 10 de Maio de 1926, a Matriz de Sant’Ana foi elevada à categoria de Catedral.

 

Pelos idos de 1979 começou-se a Construção da Nova Igreja da Catedral Sant`Ana que esta em via de acabamento.

 

Núncio Apostólico Consagra a Nova Igreja Catedral


No dia 23 de Julho de 2009 - 19 horas, foi oficialmente terminada as obras da Catedral Sant`Ana com Celebração Eucarística Solene da Benção e Dedicação da Nova Igreja Catedral, com a presença do Núncio Apostólico Dom Lorenzo Baldisseri, do Bispo Diocesano Dom Sérgio Arthur Braschi, do Clero, dos religiosos, seminaristas, autoridades civis, militares e religiosas. Marcaram presença o Arcebispo de Florianópolis Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, O Arcebispos de Cascavel Dom Mauro Aparecido dos Santos , o Arcebispo Emérito de Curitiba Dom Pedro M. Fedalto, o Bispo de Toledo Dom Francisco Carlos Bach, o Bispo de Guarapuava Dom Wagner, o bispo de Campo Mourão Dom Francisco Javier Delvalle Paredes, o Eparca Dom Valodêmer Koubetch e os bispos da Eparquia Ucraniana de Curitiba .  Também contou com a grandiosa presença de lideranças leigas da Paróquia da Catedral e da Diocese de Ponta Grossa. Foram vários anos de construção e reformas. A parte externa é de responsabilidade da Mitra da Diocese e a parte interna é de responsabilidade da Paróquia Sant`Ana. Foram várias campanhas e inúmeras pessoas que colaboraram. Nos últimos anos a Ação Evangelizadora Nossa Igreja Mãe, através de uma campanha para o término das obras da Catedral movimentou toda a Diocese de Ponta Grossa e todas as Comunidades arrecadando os recursos necessários para o término das obras da Catedral.  

 

Foram aproximadamente 30 anos de construção e reformas. Contou com a ajuda de milhares de pessoas e também de entidades. Todos os bispos diocesanos: Dom Antonio Mazarotto; Dom Geraldo M. Pellanda; Dom Murilo S. Ramos Krieger; Dom João Braz de Aviz;  o Administrador Diocesano, hoje bispo de Toledo Dom Francisco Carlos Bach e o atual bispo diocesano Dom Sergio Arthur Braschi, foram protagonistas desta história com todo o Clero e os diocesanos.

 

A atual Catedral tem: 2.250 metros quadrados no espaço interno; comporta 1.200 pessoas sentadas; A altura da igreja entre o nível da Pça. Mal. Floriano Peixoto até o ponto alto da cruz é de 61,9 metros. O subsolo tem 3.650 metros quadrados e abriga o ossário, os banheiros, o museu e o estacionamento.

 

Foram gastos aproximadamente 4 milhões de reais durante todo o processo de construção da nova catedral. A ação Evangelizadora "Nossa Igreja Mãe" teve como objetivo mostrar a Catedral como nossa igreja mãe aberta à todos e à todas as Comunidades Paroquiais, e com o apoio de milhares de famílias, empresas e até pessoas de boa vontade de outros credos arrecadar na campanha durante 1 ano, mais de 1 milhão de reais, necessários para os términos das obras da Catedral. O Clero aprovou de forma unânime o projeto elaborado pelos padres diocesanos: Pe. Mario Spaki, Pe. Agostinho Rutkoski, Pe. Ademir da Guia e Pe. Pedro Gavlak. O Conselho da Ação Evangelizadora e o Conselho Presbiteral também colaboraram na organização e implantação da Ação Evangelizadora Nossa Igreja Mãe. Foram criadas Comissões Paroquiais para administrar os recursos e enviar os recursos à Curia Diocesana para prestação de contas e aplicação dos recursos nas obras da Catedral. Todo mês durante 1 ano praticamente, todo mês era feita a prestação de contas para toda a Diocese via Jornal Diocesano Boa Nova. Era a campanha onde todos podiam participar, pois o mínino pedido era 1 real (hum real) e poderia se oferecer mais de acordo com o coração de cada pessoa e família. Nesta Ação para o término das obras da Catedral aproximadamente 120 mil famílias colaboraram. 

 

A Diocese atinge 17 Municipios, tem 45 Paróquias, 1 Reitoria. Ao total são 640 Comunidades Católicas.

 

Nesta trabalho pela Catedral Sant`Ana, a imprensa - Televisiva, Radiofônica e Jornalística escrita, foi parceira. No inicio da Ação Nossa Igreja Mãe fizemos um "Café da Manhã" com a imprensa onde o Bispo Diocesano explicou através da Imprensa - TVS, Rádios, Jornais e Sites, a razão da Ação Evangelizadora. Toda a Imprensa marcou presença e colaborou com a ação na divulgação através do M.C.S.   

 

Havia uma coordenação Diocesana da Ação Evangelizadora Nossa Igreja Mãe - Pe. Mario Spaki, que juntamente com o C.D.A.E. – Conselho Diocesano da Ação Evangelizadora – coordenação do Pe. Mario Duwulatka, com o clero e uma comissão paroquial para dar  os encaminhamentos e chegar a todas as Comunidades e famílias. Havia os visitadores, que  mensalmente faziam um trabalho maravilhoso de visitas às famílias. Fazia o cadastro das famílias, o repasse  das Comunidades para a Paróquia e da Paróquia para a Diocese. Havia material de divulgação e um kit entregue às famílias que aderiram à Ação Nossa Igreja Mãe em prol do término das Obras da Catedral.    

 

Por isso, é significativo para nós o término das obras da Catedral, foi o esforço, dedicação e amor de milhares de pessoas, bispos, padres, diáconos permanentes, religiosos, religiosas, seminaristas, leigos, empresários, autoridades políticas e civis e irmãos de outros credos que colaboraram.  Foram 30 anos!  A alegria foi imensa!

 

A presença do Núncio Apostólico Dom Lorenzo Baldisseri, representante do Papa Bento XVI no Brasil, veio coroar uma conquista de todos nós. Ele foi o Celebrante da Santa Missa e fez os ritos de consagração da Nova Catedral. Foi a demonstração da Comunhão com o Papa e entre nós.     

 

O Bispo Diocesano Dom Sergio Arthur Braschi agradeceu a todos que colaboraram nestes 30 anos de Construção da Nova Catedral.

 

O Núncio Apostólico Dom Lorenzo Baldisseri manifestou sua gratidão à Dom Sérgio e a todos em nome do Santo Padre Bento XVI.

 

A Catedral Sant`Ana é um ponto de referência da religiosidade e da fé do povo cristão católico e ao mesmo tempo pela sua beleza e expressividade, é uma marca do turismo religioso na região dos Campos Gerais.

 

“A Catedral é a Igreja Mãe, é como Mãe deve ser acolhedora de todos os filhos e filhas de Deus; modelo de ternura e aconchego de todos os que buscam Deus e a intercessão da Senhora Sant`Ana”.

 

 Dia 23 de Julho de 2009 foi o 1º. Dia do Tríduo da Festa da Senhora Sant`Ana – padroeira da Catedral e do Município de Ponta Grossa e do Município de Castro – Paraná. 

 

Pe. Ademir da Guia Santos

Assessor Diocesano das Comunicações 

Diocese de Ponta Grossa.

 

AÇÃO SOCIAL, CULTURAL E RELIGIOSA

 

Panorama geral da real situação dos residentes nos arredores do eixo central da cidade de Ponta Grossa, onde se localiza a Paróquia Sant’Ana, a Igreja Catedral.

 

Entre os moradores verifica-se uma incidência muito maior de mulheres – 60,55%. Um grande número de aposentados, entre 61 e 70 anos – 14,50%; entre 71 e 80 anos – 10,64%. Há também um grande número de estudantes. O grau de escolaridade é também bastante elevado, levando-se em conta o diagnóstico nacional. Possuem o 2º grau completo – 25,14%; superior incompleto – 8,44%; superior completo – 31,38%.

 

Em sua maioria os casais são casados no civil e religioso – 87,60%; somente no civil – 12,40%. Divorciados – 7,34%.

 

Quantidade de pessoas residentes por domicilio – 3 pessoas.

 

 Na questão da religião, os católicos são maioria absoluta – 77,61%. Freqüentam a missa semanalmente – 45,69%. Levando-se em conta a realidade urbana, apenas 32,48% freqüentam a Igreja Catedral.

 

A maioria já recebeu o Batismo – 89,72%. Entre os adultos que professam a fé católica – 84,38% receberam a 1ª Eucaristia e 78,34% receberam a Crisma.


Párocos

1º. Pároco:  Pe. José Pereira da Fonseca - Secular SP  - 1825 até 1837

2º. Pároco:  Pe. Anacleto Dias Batista  - 1838 até 1880

3º. Pároco:  Pe. João Evangelista Braga  - 1881 até 1882

4º. Pároco:  Pe. Donato Rofrano  - 1882 até 1888

5º. Pároco:  Pe. Joaquim Narvásio  - 1888 até 1889

6º. Pároco:  Pe. Matheus Francisco Bonatto  - 1889 até 1891

7º. Pároco:  Pe. Manoel Geraldo de Souza  - 1891 até 1891

8º. Pároco:  Pe. João B. de Oliveira - Secular Curitiba  - 1891 até 1903

9º. Pároco:  Pe. Cyrillo Methodio  - 1903 até 1906

10º. Pároco:  Pe. João Lux - SVD  - 1906 até 1909

11º. Pároco:  Pe. Frederico Hellembrocck - SVD  - 1909 até 1920

12º. Pároco:  Pe. Rodolfo Kugelmeier - SVD  - 1920 até 1923

13º. Pároco:  Pe. Martinho Weber - SVD  - 1923 até 1933

14º. Pároco:  Pe. Theodoro Matessi - SVD  - 1933 até 1935

15º. Pároco:  Pe. Sebastião Carlos - SVD  - 1935 até 1942

16º. Pároco:  Pe. Humberto Frisch - SVD  - 1942 até 1942

17º. Pároco:  Pe. Francisco Salache - Clero Secular  - 1942 até 1945

18º. Pároco:  Pe. Paulo Xavier Machado - Clero Secular  - 1945 até 1959

19º. Pároco:  Pe. Nicolau Nejnek - Clero Secular  - 1959 até 1961

20º. Pároco:  Pe. Paulo Xavier Machado - Clero Secular  - 1961 até 1969

21º. Pároco:  Pe. Francisco Salache - Clero Secular  - 1969 até 1970

22º. Pároco:  Pe. Agostinho A. Rutkoski - Secular  - 1970 até 1972

23º. Pároco:  Pe. Afonso Wosny - Secular  - 1972 até 1975

24º. Pároco:  Pe. Silvio Mocelin - Secular  - 1975 até 1981

25º. Pároco:  Pe. Amadeu Fracaro - Secular  - 1981 até 1983

26º. Pároco:  Pe. Agostinho A. Rutkoski - Secular  - 1983 até 1989

27º. Pároco:  Pe. José Sniegovski - Secular  - 1989 até 1991

28º. Pároco:  Pe. Antonio Ivan de Campos - Secular  - 1991 até 1996

29º. Pároco:  Pe. Estanislau Kapuscinski - Secular  - 1996 até 1999

30º. Pároco:  Pe. Wilson Aurélio Pianaro - Secular  - 1999 até 2000

31º. Pároco:  Pe. Casemiro Oliszeski - Secular  - 2000 até 


Datas Importantes:


26 de Julho festa da Padroeira da Catedral – Senhora Sant’Ana.

15 de Setembro Festa da Mãe da Divina Graça, Padroeira da Diocese de Ponta Grossa  


COMUNIDADES 

Capela São Paulo Apóstolo.


Pastorais e Movimentos

Evangelização Fundamental - Adultos e Jovens. - Semanal

Mães Cristãs - Mensal

Movimento das Zeladoras de Capelinhas - Mensal

Oficinas de Santa Rita de Cássia - Mensal

Pastoral da Criança - Mensal

Pastoral da Dizimo - Mensal

Pastoral da Liturgia e do Canto Pastoral - Mensal

Pastoral de Animação Bíblico-Catequética - Semanal e Mensal

Pastoral do Batismo - Mensal

Pastoral dos Adolescentes - T.L.C. - Mensal

S.M.P. - Santas Missões Populares - Mensal


Oração a Sant’Ana pela santificação das famílias


Senhora Sant’Ana, fostes chamada por Deus a colaborar na salvação do mundo.


Seguindo os caminhos da Providência Divina, recebestes São Joaquim por Esposo.


Deste vosso matrimônio, vivido em santidade, nasceu Maria Santíssima, que seria a mãe de Jesus Cristo.


Formando Vós família tão santa, confiantes nós vos pedimos por esta nossa família.


Alcançai-nos a todos as graças de Deus:


aos PAIS deste lar, que vivam na santidade do matrimônio e formem seus filhos segundo o Evangelho;


aos FILHOS desta casa, que cresçam em sabedoria, graça e santidade e encontrem a vocação a que Deus os chamou.


E a TODOS nós, Pais e filhos, alcançai-nos a alegria de viver fielmente na Igreja de Cristo, guiados sempre pelo Espírito Santo,


para que um dia, após as alegrias e sofrimentos desta vida, mereçamos também nós chegar à casa do Pai,


onde vos possamos encontrar, para juntos sermos eternamente felizes, no Cristo, pelo Espírito Santo.


Amém.



Navegue até a sua Paróquia



Pastorais e Movimentos
Pastorais
Organismos
Movimnetos
Cúria
Cúria
Imprensa
Cliping
Download