DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA

       
SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros

Paróquia
Paróquia Nossa Senhora do Rosário

Dados Gerais
Fundação: 31/01/1942
Pároco:    Pe. Edivino Sicuro
Vigário:    Pe. Bruno Rippel

Contato
Secretária:INFORMAR
Telefone: (42)3224-2562
e-mail:     paroquia.rosario@uol.com.br
Site:         INFORMAR
Facebook: INFORMAR

Missas
Segunda:    ---------
Terça:         12h | 17h30
Quarta:       12h | 17h
Quinta:       12h | 17h30
Sexta:         12h | 17h30
Sábado:      17h
Domingo:    8h | 10h | 18h30

Confissões
Segunda:   ---------
Terça:       ---------
Quarta:     9h30 às 11h30 | 14h às 16h
Quinta:     ---------
Sexta:       ---------
Sábado:    9h30 às 11h30
Domingo:  ---------


Popularmente chamada de "Igreja do Rosário".


Em 1898, Ponta Grossa, contava com uma população aproximadamente de 5.000 (cinco mil) habitantes, e, entre as cinco capelas que a Paróquia de Sant`Ana possuía, uma denominava-se Nossa Senhora do Rosário. A primitiva capela, ampliada e reformada, serviu de Matriz da terceira paróquia criada na cidade de Ponta Grossa, desmembrada das Paróquias de Sant`Ana e de São José. Em 1942, começou a campanha para a construção da Nova Matriz de Nossa Senhora do Rosário. Em outubro de 1944, houve a festa da Padroeira com o lançamento da pedra fundamental. Em 1951 foi celebrada a primeira Missa na nova e atual matriz


1º. Pároco: Pe. Antônio Klein , SVD (1942-1944).


É de ressaltar que em 1905 chegaram os Missionários do Verbo Divino e são eles que vão se encarregar da Paróquia Sant`Ana e de todas as Capelas existentes no Município. Assim sendo, as santas missas também na pequena igreja de Nossa Senhora do Rosário e todo o atendimento pastoral e espiritual. Um dos primeiros foi o Padre João Lux, um dos fundadores do Colégio São Luis. Com a criação da Paróquia de Nossa Senhora do Rosário em 31 de Janeiro de 1942, o Padre Antonio Klein, tornou-se o primeiro vigário da nova Paróquia.


A Igreja Matriz foi construída em estilo românico, de alvenaria, com duas imponentes torres fronteiras, interior sóbrio, lembrando muito as igrejas de Roma, na época da expansão do Cristianismo. Alguns anos depois (1961), foram feitas as pinturas murais na Capela do altar mor, pelos pintores Américo e Eva Makle. Na parede atrás do Altar Mor estão representados os três mistérios do Rosário. Em todas as cenas, Nossa Senhora ocupa um lugar preponderante. Ao centro Cristo pregado na Cruz, a Consagração; a vinda do Espírito Santo, a União com Cristo. Nas laterais da Igreja, vemos quadros em mosaico bizantinos e as estações da Via Sacra são também feitas em mosaicos bizantinos, obras de arte.


Párocos e Vigários

1º. Pe. Antônio J. Klein SVD            (4/02/1942 a 02/1944)

2º. Pe. Jorge Braun SVD                  (8/9/44)

3º. Pe. Nicolau Simon SVD               (de 11/0844 a 02/46)

4º. Pe. Francisco Biermann SVD      (02/1946 a 11/03/51)

5º. Pe. Antonio Darius SVD              (10/03/51 a 1/02/57)

6º. Pe. Francisco Biermann SVD      (17/02/57 a 10/03/60)

7º. Pe. Francisco Volkers SVD         como Vigário Interino,

8º. Pe. Francisco Reichert SVD         (17/0360 a  03/03/63)

9º. Pe. Ricardo Haas SVD                 (03/03/63 a 10/11/66)

10º. Pe. Antônio Koreman SVD        (10/11/66 a 31/04/67)

11º Pe. João Mors SVD                       (1967)

12º. Pe. Atílio Zamin SVD                 ( 31/01/67 a 11/73)

13º. Pe. José Bestwina SVD               (25/11/73 a 08/76)

14º. Pe. Henrique Daniels SVD         (1977)

15º. Pe. Boleslau Cisz SVD                (10/05/77 a 05/02/78)

16º. Pe. André Bernhardt SVD         (05/02/78 a 26/02/91)

17º. Pe. Karol Podbiol                        (05/03/88 a 01/01/92)

18º. Pe. João Oscar T. Martins         (04/01/92 a 01/01/95)

19º. Pe. Aroldo Mendes dos Santos  (28/01/96 a 10/01/96)

20º. Pe. Ryszard Szydlowski              (28/01/96 a 31/01/99)

21º. Pe. Edvino Sicuro                        (01/02/99 a 28/12/2006)

21º Pe. Joarez Duarte de Oliveira      (13/01/2007 a 01/08/2008)

22º Pe. Silvéster Anãs                         (08/2008 a 04/02/2009)

23º Pe. Nivaldo da Silva                      (24/02/2009 a 

 

Vigários Coadjuntores da Paróquia N. SRA. do Rosário

Pe. Pedro Fuss                        

Pe. Francisco Vedder            

Pe. Paulo Tomala

Pe. Germano Holscher           

Pe. Otto Schaefer                   

Pe. Miguel Soaki,

Pe. Geraldo Sigaud                

Pe. Gregório Zewitzki            

Pe. Bruno Welter                

Pe. Nicolau Jez                       

Pe. Domingos Sary                 

Pe. Teodoro Matessi

Pe. Teodoro Harbecke          

Pe. Otto Schaefer                   

Pe. Francisco Volkers         

Pe. Walter Bonten                  

Pe. João Palkó                        

Pe. Paulo Cwik

Pe. Miguel Soaki                     

Pe. Marjan Pawlowski           

Pe. João Oscar T. Martins     

Pe. Rodrigo de La Rosa         

Pe. Leopoldo Jarek

Pe. Bernardo Espinardi         

Pe. Antônio Patuí                  

Pe. Boleslau Blij

Pe. Francisco Proft               

Pe. Luis Paganini                  

Pe. Laurindo Szeuzuk

Pe. Jair Pereira                       

Pe. Pedro Halama                  

Pe. Witoldo Dzimitrowicz       

Pe. Bruno Ruppel

Pe. Silvéster Anãs                   

Pe. João Mellato Filho

 

Pastorais e Movimentos

Conselhos de Pastoral - C.P.P. / C.P.C.

Movimento das Zeladoras de Capelinhas

Movimento Sociedade de São Vicente de Paulo - SSVP

P.A.E. - Pastoral dos Assuntos Econômicos

Pastoral da Acolhida e Visitação 

Pastoral da Dizimo

Pastoral da Liturgia e do Canto Pastoral

Pastoral de Animação Bíblico-Catequética

Pastoral do Batismo

Pastoral dos Coroinhas

S.M.P. - Santas Missões Populares


O Santo Rosário


A palavra Rosário significa "Coroa de Rosas". Nossa Senhora revelou a muitos que todas as vezes que se diz uma Ave Maria é como se se desse à Ela uma linda rosa e que com cada Rosário completo se Lhe dá uma coroa de rosas. A rosa é a rainha das flores e, assim, o Rosário é a rainha de todas as devoções e é , por isso, a mais importante. O Santo Rosário é considerado uma oração completa, porque traz em síntese toda a história da nossa salvação. De fato, com o Rosário , meditamos os "mistérios" da alegria, da dor e da glória de Jesus e Maria. É uma oração simples, humilde como Maria. É uma oração que fazemos juntos com Ela, a Mãe de Deus. Quando com a Ave-Maria A convidamos a orar por nós, Nossa Senhora atende sempre o nosso pedido e une a sua oração à nossa. Assim, nossa oração se torna sempre mais eficaz, porque, quando Maria pede, sempre consegue, porque Jesus nunca pode dizer não a quanto lhe pede Sua Mãe. Em todas as aparições a Mãe Celeste nos convidou a recitar o Rosário como arma potente contra o mal, para nos levar à verdadeira paz. "A coroa do Rosário è como uma grinalda de rosas perfumadas e de muitas cores aos pés de Maria".


João Paulo II celebrou, no dia 16 de outubro 2002, o seu 24º ano de pontificado introduzindo pela primeira vez depois de nove séculos as mudanças no Rosário, afirmando deve permanecer no Pontificado até o fim. O Pontífice pediu aos católicos que meditem sobre os cinco novos mistérios do Rosário, profundamente ligados à vida pública de Jesus. Os mistérios da luz se referem: 1º Batismo do Senhor no Jordão 2º Bodas de Caná 3º A proclamação do Reino 4º A Transfiguração 5º Instituição da Eucaristia. O Papa decretou que o período entre outubro de 2002 e outubro de 2003 será o ano do Rosário. Da Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae.


O Rosário é subdividido em três partes; em cada parte se medita cinco mistérios.

Cada dezena pode ser meditada "conta por conta", para cada Ave-Maria.

Quando não se diz o Rosário inteiro se pode recitar só uma coroa com um grupo de mistérios - um Terço. Também, as dezenas podem ser separadas, desde que a coroa seja completada no mesmo dia.

 


Os Mistérios do Rosário


GOZOSOS às segundas e aos sábados.

DOLOROSOS às terças e sextas-feiras.

LUMINOSOS às quintas-feiras.

GLORIOSOS às quartas-feiras, e aos domingos.


Como Recitar o Rosário


1 - O Sinal da Cruz e Credo Apostólico

2 - O Pai nosso sobre as contas grandes.

3 - 3 Ave Maria sobre as contas pequenas

4 - O Glória ao Pai sobre as contas grandes

5 -  A oração de Fátima "Ó Meu Jesus" sobre as contas grandes.

6 - Enunciação do Mistério sobre as contas grandes e o Pai nosso sobre as contas grandes.

7 - A Ave Maria sobre as contas pequenas (10 contas).

8 - Depois de cada dezena da Ave Maria, se recita o Glória ao Pai e a oração de Fátima "Ó Meu Jesus". Depois, se prossegue como no número 6.

9 - A Salve Rainha no final do Terço, e o Sinal da Cruz. 


Nossa Senhora do Rosário


Tudo o que no Pai Nosso pedimos, é muito reto, muito bem ordenado e conforme a fé, esperança e caridade cristã, e já por isto tem o especial agrado da SS. Virgem. Além disto, ouvindo-nos rezar, Ela reconhece em nossa voz  o timbre da voz de seu Filho, que nos deu e ensinou à viva voz esta oração e nô-la impôs dizendo: Assim deveis rezar.  Maria, vendo-nos assim com o Rosário, cumprindo fielmente a ordem recebida, com tanto mais amor e solicitude nos atenderá.


“As místicas coroas que lhe oferecemos, são-lhe sumamente agradáveis e penhores de graça para nós” (Leão XIII). A própria Rainha do Céu fez-se quase fiadora da  eficácia desta excelente oração. 


A origem da devoção à Nossa Senhora do Rosário é muito antiga, mas sua propagação tomou impulso com São Domingos de Gusmão. Foi  por sua inspiração que São Domingos fez do Rosário  sua poderosa arma para combater a heresia dos albingenses, isto no início do século XIII, onde a tal heresia crescia vertiginosamente na França.  Fundou a ordem dominicana e por sua intensa propagação e devoção, a Igreja lhe conferiu o título de "Apóstolo do Santo Rosário".Existem, inclusive, certas versões históricas que afirmam ter Nossa Senhora aparecido a São Domingos segurando o Menino Jesus no colo e oferecendo-lhe o santo Rosário, e cuja propagação e divulgação teria tomado impulso por pedido pessoal de Maria Santíssima.


À recitação do  Rosário é que a igreja atribui os seus maiores triunfos, e grata atesta, pela boca dos Sumos Pontífices que:


“pelo Rosário todos os dias desce uma chuva de bênçãos sobre o povo cristão”(Urbano IV);  “que é a oração oportuna para honrar a Deus e a Virgem, como afastar bem longe os iminentes perigos do mundo” (Sixto IV);  “propagando-se esta devoção, os cristãos  entregues à meditação dos mistérios inflamados por esta oração, começarão a  transformar-se em outros homens, as trevas das heresias dissipar-se-ão e  difundir-se-á a luz da fé católica” (São Pio V);  "desejamos ver sempre mais largamente propagada esta piedosa prática e tornar-se devoção verdadeiramente popular de todos os  lugares, de todos os  dias" (Leão XIII).




Navegue até a sua Paróquia



Cúria
Cúria
Imprensa
Clipping
Download