DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 12/04/2021

Uma igreja de adoração perpétua

Reitoria do Sagrado Coração, em Ponta Grossa

 
| Crédito: Divulgação

      A Eucaristia é, entre os dons de Jesus Cristo, o que o sol é entre os astros e no meio de toda a natureza. Por ela, Jesus sobrevive, se perpetua para ser um sol de amor entre os homens. (São Pedro Julião Eymard). O Santuário Eucarístico Sagrado Coração de Jesus, a conhecida ‘Igreja dos Polacos’ (FOTO), é um templo de adoração perpétua da Eucaristia. Dos santuários abertos ao público é o mais conhecido e frequentado. Em Ponta Grossa, ainda há o Convento Nossa Senhora do Cenáculo, na Colônia Dona Luíza, e o Mosteiro Portaceli, onde as religiosas se mantem em adoração perpétua e recebem os fiéis para adoração.

      O Santuário Eucarístico Sagrado Coração de Jesus é uma Reitoria. Não institui sacramentos. Segundo o Cânon 556 do Código de Direito Canônico, Reitoria é uma igreja “que não seja paroquial nem capitular, nem anexa a alguma casa de uma comunidade religiosa ou de uma sociedade de vida apostólica, para que nela se celebre os ofícios”. A adoração é chamada ‘perpétua’ porque acontece todos os dias, sem interrupções, desde a abertura da Igreja, às 6h15, até antes da última missa do dia, às 18 horas. De hora em hora, os fiéis se dividem para adorar a Jesus Eucarístico, que fica em exposição.

      Reitoria é um título dado a igrejas destinadas a alguma finalidade. No caso da Sagrado Coração de Jesus, por ser uma igreja destinada à adoração. A igreja ganhou essa característica desde que passou a ser administrada pela Sociedade Servos da Eucaristia, em1978, recebida dos padres da Congregação do Verbo Divino. Reduto espiritual dos imigrantes poloneses, o primeiro templo foi construído entre 1897 e 1898, em terreno doado pela prefeitura, na esquina das ruas Doutor Vicente Machado e Balduíno Taques, na época, Praça São João.

      A igreja foi dedicada ao Sagrado Coração de Jesus, sendo chamada ‘dos poloneses’, imigrantes que se estabeleceram por volta de 1878 inicialmente na Colônia Moema. Com a vinda de mais famílias surgiram colônias em Taquari, Guaraúna, Rio Verde e Itaiacoca. Em 1880, Ludovico Szesz, dono da primeira indústria de madeira serrada ‘tocada a muque’ e da primeira industria de torrefação e moagem de café de Ponta Grossa se mudou para a cidade, instalando-se nos arredores da Praça São João. Em seguida, outros imigrantes também mudaram. A igreja serviu durante muito tempo à comunidade até que, em 1920, a sociedade polonesa colaborou com o padre Roberto Bonk para a construção de uma nova Igreja.


FONTE

- Reitoria Sagrado Coração de Jesus

- Cúria Diocesana de Ponta Grossa


  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Curso de líderes forma primeira turma   |   O amor à Eucaristia expresso pela Diocese   |   Corpus Christi emociona e motiva   |   A fé testemunhada pelas ruas   |  





Publicado em: 12/04/2021

Uma igreja de adoração perpétua

Reitoria do Sagrado Coração, em Ponta Grossa

 

      A Eucaristia é, entre os dons de Jesus Cristo, o que o sol é entre os astros e no meio de toda a natureza. Por ela, Jesus sobrevive, se perpetua para ser um sol de amor entre os homens. (São Pedro Julião Eymard). O Santuário Eucarístico Sagrado Coração de Jesus, a conhecida ‘Igreja dos Polacos’ (FOTO), é um templo de adoração perpétua da Eucaristia. Dos santuários abertos ao público é o mais conhecido e frequentado. Em Ponta Grossa, ainda há o Convento Nossa Senhora do Cenáculo, na Colônia Dona Luíza, e o Mosteiro Portaceli, onde as religiosas se mantem em adoração perpétua e recebem os fiéis para adoração.

      O Santuário Eucarístico Sagrado Coração de Jesus é uma Reitoria. Não institui sacramentos. Segundo o Cânon 556 do Código de Direito Canônico, Reitoria é uma igreja “que não seja paroquial nem capitular, nem anexa a alguma casa de uma comunidade religiosa ou de uma sociedade de vida apostólica, para que nela se celebre os ofícios”. A adoração é chamada ‘perpétua’ porque acontece todos os dias, sem interrupções, desde a abertura da Igreja, às 6h15, até antes da última missa do dia, às 18 horas. De hora em hora, os fiéis se dividem para adorar a Jesus Eucarístico, que fica em exposição.

      Reitoria é um título dado a igrejas destinadas a alguma finalidade. No caso da Sagrado Coração de Jesus, por ser uma igreja destinada à adoração. A igreja ganhou essa característica desde que passou a ser administrada pela Sociedade Servos da Eucaristia, em1978, recebida dos padres da Congregação do Verbo Divino. Reduto espiritual dos imigrantes poloneses, o primeiro templo foi construído entre 1897 e 1898, em terreno doado pela prefeitura, na esquina das ruas Doutor Vicente Machado e Balduíno Taques, na época, Praça São João.

      A igreja foi dedicada ao Sagrado Coração de Jesus, sendo chamada ‘dos poloneses’, imigrantes que se estabeleceram por volta de 1878 inicialmente na Colônia Moema. Com a vinda de mais famílias surgiram colônias em Taquari, Guaraúna, Rio Verde e Itaiacoca. Em 1880, Ludovico Szesz, dono da primeira indústria de madeira serrada ‘tocada a muque’ e da primeira industria de torrefação e moagem de café de Ponta Grossa se mudou para a cidade, instalando-se nos arredores da Praça São João. Em seguida, outros imigrantes também mudaram. A igreja serviu durante muito tempo à comunidade até que, em 1920, a sociedade polonesa colaborou com o padre Roberto Bonk para a construção de uma nova Igreja.


FONTE

- Reitoria Sagrado Coração de Jesus

- Cúria Diocesana de Ponta Grossa


Diocede Ponta Grossa
  |   Divulgação


Navegue até a sua Paróquia