DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA


SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 15/09/2021

Paróquia celebra centenário da Legião de Maria

Em Reserva, associação completa 20 anos em 2022

 
Padre Wagner, assessor da Legião em Reserva, celebrou a missa especial Padre Wagner, assessor da Legião em Reserva, celebrou a missa especial | Crédito: PMJ

     A Associação Apostólica de Leigos Legião de Maria completou 100 anos de fundação mundial no último dia 7. Em Reserva, a Legião de Maria vai celebrar 20 anos em 2022. A associação foi iniciada por Sueli Justino, com o apoio do pároco da época, padre Ademir da Guia. Para comemorar a data centenária, uma missa especial foi celebrada pelo vigário padre Wagner Oliveira da Silva, no sábado passado (11). Os legionários que estavam presentes receberam uma bênção. 


     Na homilia, o sacerdote ressaltou um pouco a história e o papel do grupo, originário da Irlanda e que teve no Rio de Janeiro a primeira experiência brasileira de evangelização, em 1950. “A Legião de Maria vive a fé em Jesus e sua missão de maneira concreta no trabalho, nas visitas e nas próprias atividades daqueles que testemunham a fé mariana. Há 100 anos, desde quando começou em Dublin, nós temos a caminhada da Legião, levando às pessoas ao verdadeiro testemunho do caminho ao céu”, destacou padre Wagner, que é o assessor da Legião de Maria na paróquia e diretor espiritual diocesano da Secretaria da Juventude Legionária, ligada ao Senatus Assumpta de Ponta Grossa. O Senatus reúne legionárias de diversos presidia do Paraná e Santa Catarina.


     O papel da Legião de Maria é levar uma palavra de entusiasmo para os doentes, idosos e marginalizados, pedindo a intercessão de Nossa Senhora.  Há membros ativos, que realizam as visitas, e auxiliares, que, por diversas situações, e de modo não menos importante, vivenciam a espiritualidade legionária através das orações da Tessera e recitação diária da Catena. 


Estrutura 


     A estrutura da Legião de Maria empresta muito das divisões do Império Romano. Começa pelo praesidium, que, literalmente, significa ‘proteções’, mas, na nomenclatura legionária, são os pequenos grupos. Há cinco em Reserva, com de quatro até sete fiéis em cada um. Levam um título de Nossa Senhora: Imaculado Coração de Maria, Nossa Senhora das Vitórias, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Nossa Senhora da Misericórdia e Nossa Senhora Aparecida.


     A paróquia ainda abriga uma Cúria, fundada em 2015, que supervisiona os grupos. Ela é composta pelos presidentes de grupo e mais quatro escolhidos da Cúria, chamados de ‘oficiais’. Há reuniões semanais. Para participar do ‘Exército de Maria’ precisa ser recrutado – convidado- Muitos desses convites são feitos nas missas, visitas ou outras ocasiões.   


     “Ser legionário é tornar Maria conhecida e amada no mundo inteiro, caminho seguro é servir a Deus. Sou toda ó minha Rainha e minha Mãe, e tudo que tenho a vós pertença”, comenta Irene Lopata, coordenadora da Legião de Maria em Reserva. Além do Brasil, a associação de leigos tem grande presença na Coreia do Sul, Filipinas, Argentina e na República do Congo. Nos Campos Gerais, a Legião de Maria nasceu em 1954.


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Doações a seminários já são entregues   |   Bispo celebra os 60 anos do Marista   |   A padroeira que caminha com a Diocese   |   Paróquia celebra centenário da Legião de Maria   |  





Publicado em: 15/09/2021

Paróquia celebra centenário da Legião de Maria

Em Reserva, associação completa 20 anos em 2022

 

     A Associação Apostólica de Leigos Legião de Maria completou 100 anos de fundação mundial no último dia 7. Em Reserva, a Legião de Maria vai celebrar 20 anos em 2022. A associação foi iniciada por Sueli Justino, com o apoio do pároco da época, padre Ademir da Guia. Para comemorar a data centenária, uma missa especial foi celebrada pelo vigário padre Wagner Oliveira da Silva, no sábado passado (11). Os legionários que estavam presentes receberam uma bênção. 

     Na homilia, o sacerdote ressaltou um pouco a história e o papel do grupo, originário da Irlanda e que teve no Rio de Janeiro a primeira experiência brasileira de evangelização, em 1950. “A Legião de Maria vive a fé em Jesus e sua missão de maneira concreta no trabalho, nas visitas e nas próprias atividades daqueles que testemunham a fé mariana. Há 100 anos, desde quando começou em Dublin, nós temos a caminhada da Legião, levando às pessoas ao verdadeiro testemunho do caminho ao céu”, destacou padre Wagner, que é o assessor da Legião de Maria na paróquia e diretor espiritual diocesano da Secretaria da Juventude Legionária, ligada ao Senatus Assumpta de Ponta Grossa. O Senatus reúne legionárias de diversos presidia do Paraná e Santa Catarina.

     O papel da Legião de Maria é levar uma palavra de entusiasmo para os doentes, idosos e marginalizados, pedindo a intercessão de Nossa Senhora.  Há membros ativos, que realizam as visitas, e auxiliares, que, por diversas situações, e de modo não menos importante, vivenciam a espiritualidade legionária através das orações da Tessera e recitação diária da Catena. 

Estrutura 

     A estrutura da Legião de Maria empresta muito das divisões do Império Romano. Começa pelo praesidium, que, literalmente, significa ‘proteções’, mas, na nomenclatura legionária, são os pequenos grupos. Há cinco em Reserva, com de quatro até sete fiéis em cada um. Levam um título de Nossa Senhora: Imaculado Coração de Maria, Nossa Senhora das Vitórias, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Nossa Senhora da Misericórdia e Nossa Senhora Aparecida.

     A paróquia ainda abriga uma Cúria, fundada em 2015, que supervisiona os grupos. Ela é composta pelos presidentes de grupo e mais quatro escolhidos da Cúria, chamados de ‘oficiais’. Há reuniões semanais. Para participar do ‘Exército de Maria’ precisa ser recrutado – convidado- Muitos desses convites são feitos nas missas, visitas ou outras ocasiões.   

     “Ser legionário é tornar Maria conhecida e amada no mundo inteiro, caminho seguro é servir a Deus. Sou toda ó minha Rainha e minha Mãe, e tudo que tenho a vós pertença”, comenta Irene Lopata, coordenadora da Legião de Maria em Reserva. Além do Brasil, a associação de leigos tem grande presença na Coreia do Sul, Filipinas, Argentina e na República do Congo. Nos Campos Gerais, a Legião de Maria nasceu em 1954.

 


Diocede Ponta Grossa
Padre Wagner, assessor da Legião em Reserva, celebrou a missa especial   |   PMJ

Diocede Ponta Grossa
A Legião de Maria existe há 19 anos no município   |   PMJ


Navegue até a sua Paróquia