DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 20/12/2021

A Igreja dos gestos de caridade

Outras duas comunidades e o importante agir social

 
Obras de misericórdia espirituais é uma das premissas dos Missionários do Amor Obras de misericórdia espirituais é uma das premissas dos Missionários do Amor | Crédito: Arquivo Comunidade Missionários do Amor

Sobre os exemplos de ‘Obras Religiosas’ na Diocese de Ponta Grossa, tema enaltecido na última coluna neste espaço, detalhamos a misericórdia refletida em outra das ramificações da Comunidade Católica Deus Pai: a Comunidade Mãe do Bom Conselho. A ‘Mãe do Bom Conselho’ funciona há seis anos, em uma chácara no Bairro Contorno, em Ponta Grossa. A área é cedida em comodato pela Caritas Diocesana. O foco é acolher pessoas em situação de rua, mas as portas estão abertas a todos que precisarem, garante o idealizador da Comunidade, Leandro de Paula. “Ela não é uma comunidade terapêutica. É uma casa catequética, de acolhida que tem como objetivo levar eles ao convívio social e familiar através do amor fraterno, baseado no ensinamento de Nosso Senhor Jesus Cristo. Eles são acolhidos de forma voluntária”, acrescenta. Hoje, estão abrigados entre dez e 12 pessoas.


     A comunidade não cobra nenhum tipo de taxa. Ela se mantém pela Providência Divina – ação que passa pelo coração dos irmãos – recursos obtidos com a produção de uma padaria e eventos. A estadia pode chegar a até nove meses. A casa tem suas regras: como uma família, cada um, voluntariamente, ajuda na horta, no cuidado com os animais, na cozinha, na limpeza. Os abrigados levantam às 7 da manhã, rezam o Rosário, tomam café e auxiliam na manutenção do espaço; às 12 horas têm oração, almoço e descanso. Às 15 horas, oração e café: às 19 horas, oração e jantar e descanso. Trabalha-se com a promoção humana, oferecendo condições para que consigam caminhar sozinhos, intermediando a obtenção de documentos, de emprego e moradia, tudo para não deixar que voltem para a rua. “Só o amor vence. Se alguém quiser conhecer ou ajudar mais de perto a comunidade é só entrar em contato conosco e vim fazer uma visita. A obra é da Igreja. Nós estamos colocando a nossa vida em prol do Reino do Nosso Senhor Jesus Cristo e sua mãe, Maria Santíssima, a imaculada Conceição”. 


     Rica em espiritualidade, dons e gestos caritativos, a Diocese conta ainda com a Comunidade Católica Missionários do Amor. Seu carisma nasceu de um chamado que o Senhor fez a Luciano Ribeiro Lemes, de resgatar almas. Pertencente à Renovação Carismática Católica à época, ele confirmou sua vontade ao chamar mais pessoas e iniciar o processo de discernimento baseado em formações próprias sobre as novas comunidades e unidade com a Igreja. Depois de uma conversa com o bispo Dom Sergio Arthur Braschi, intermediada pelo padre Clayton Delinski Ferreira, em 7 de setembro de 2014, a comunidade inaugurou sua sede própria, no Jardim Paraíso, ao lado do Mosteiro Portacelli.  Durante um ano, por ordem de Dom Sergio, os integrantes ficaram longe das missões e serviços externos. Chamados a doar a vida, vivem da Divina Providência, a exemplo das antigas comunidades mendicantes, contando com o auxílio de benfeitores. Depois de 12 meses, houve a entronização de Jesus Sacramentado, e, em 2016, um decreto diocesano oficializou a comunidade. Seus baluartes são Santa Faustina Kowalska, São João Paulo ll, Santa Tereza de Calcutá, Santa Gemma Galgani, São Padre Pio, com devoção a Nossa Senhora das Graças.


     “Levar o amor do Pai, a misericórdia do Filho e a alegria do Espírito Santo”. Esse é o intuito. A ação é baseada no Evangelho de Lucas 15, onde o pastor vai atrás da ovelha que se perdeu. A evangelização tem por premissa às obras de misericórdia espirituais, por meio de visitas missionárias, oração e aconselhamento, adorações, retiros espirituais formativos, inclusive para crianças e jovens, com acampamentos. Aos sábados é rezado as mil Ave Marias e, no último final de semana do mês, acontece um retiro. Com a ajuda de corações generosos, arrecada alimentos, roupas e outros itens para atender famílias carentes. A comunidade é composta por famílias que vivem seu matrimônio dentro do carisma, jovens solteiros em discernimento pelo seu estado de vida e aqueles que são chamados ao celibato. “A comunidade mostra face misericordiosa de Jesus na Igreja e na sociedade, onde o Senhor manifesta sua Divina Providência no resgate das almas”, reforça Luciano Lemes.


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Paróquia da Saúde faz festa e quermesse   |   Encontro partilha experiências de santuários   |   Formação trabalha a Inteligência Espiritual   |   ‘Nossa Senhora dos Remédios’ faz 176 anos   |  





Publicado em: 20/12/2021

A Igreja dos gestos de caridade

Outras duas comunidades e o importante agir social

 

Sobre os exemplos de ‘Obras Religiosas’ na Diocese de Ponta Grossa, tema enaltecido na última coluna neste espaço, detalhamos a misericórdia refletida em outra das ramificações da Comunidade Católica Deus Pai: a Comunidade Mãe do Bom Conselho. A ‘Mãe do Bom Conselho’ funciona há seis anos, em uma chácara no Bairro Contorno, em Ponta Grossa. A área é cedida em comodato pela Caritas Diocesana. O foco é acolher pessoas em situação de rua, mas as portas estão abertas a todos que precisarem, garante o idealizador da Comunidade, Leandro de Paula. “Ela não é uma comunidade terapêutica. É uma casa catequética, de acolhida que tem como objetivo levar eles ao convívio social e familiar através do amor fraterno, baseado no ensinamento de Nosso Senhor Jesus Cristo. Eles são acolhidos de forma voluntária”, acrescenta. Hoje, estão abrigados entre dez e 12 pessoas.


     A comunidade não cobra nenhum tipo de taxa. Ela se mantém pela Providência Divina – ação que passa pelo coração dos irmãos – recursos obtidos com a produção de uma padaria e eventos. A estadia pode chegar a até nove meses. A casa tem suas regras: como uma família, cada um, voluntariamente, ajuda na horta, no cuidado com os animais, na cozinha, na limpeza. Os abrigados levantam às 7 da manhã, rezam o Rosário, tomam café e auxiliam na manutenção do espaço; às 12 horas têm oração, almoço e descanso. Às 15 horas, oração e café: às 19 horas, oração e jantar e descanso. Trabalha-se com a promoção humana, oferecendo condições para que consigam caminhar sozinhos, intermediando a obtenção de documentos, de emprego e moradia, tudo para não deixar que voltem para a rua. “Só o amor vence. Se alguém quiser conhecer ou ajudar mais de perto a comunidade é só entrar em contato conosco e vim fazer uma visita. A obra é da Igreja. Nós estamos colocando a nossa vida em prol do Reino do Nosso Senhor Jesus Cristo e sua mãe, Maria Santíssima, a imaculada Conceição”. 


     Rica em espiritualidade, dons e gestos caritativos, a Diocese conta ainda com a Comunidade Católica Missionários do Amor. Seu carisma nasceu de um chamado que o Senhor fez a Luciano Ribeiro Lemes, de resgatar almas. Pertencente à Renovação Carismática Católica à época, ele confirmou sua vontade ao chamar mais pessoas e iniciar o processo de discernimento baseado em formações próprias sobre as novas comunidades e unidade com a Igreja. Depois de uma conversa com o bispo Dom Sergio Arthur Braschi, intermediada pelo padre Clayton Delinski Ferreira, em 7 de setembro de 2014, a comunidade inaugurou sua sede própria, no Jardim Paraíso, ao lado do Mosteiro Portacelli.  Durante um ano, por ordem de Dom Sergio, os integrantes ficaram longe das missões e serviços externos. Chamados a doar a vida, vivem da Divina Providência, a exemplo das antigas comunidades mendicantes, contando com o auxílio de benfeitores. Depois de 12 meses, houve a entronização de Jesus Sacramentado, e, em 2016, um decreto diocesano oficializou a comunidade. Seus baluartes são Santa Faustina Kowalska, São João Paulo ll, Santa Tereza de Calcutá, Santa Gemma Galgani, São Padre Pio, com devoção a Nossa Senhora das Graças.


     “Levar o amor do Pai, a misericórdia do Filho e a alegria do Espírito Santo”. Esse é o intuito. A ação é baseada no Evangelho de Lucas 15, onde o pastor vai atrás da ovelha que se perdeu. A evangelização tem por premissa às obras de misericórdia espirituais, por meio de visitas missionárias, oração e aconselhamento, adorações, retiros espirituais formativos, inclusive para crianças e jovens, com acampamentos. Aos sábados é rezado as mil Ave Marias e, no último final de semana do mês, acontece um retiro. Com a ajuda de corações generosos, arrecada alimentos, roupas e outros itens para atender famílias carentes. A comunidade é composta por famílias que vivem seu matrimônio dentro do carisma, jovens solteiros em discernimento pelo seu estado de vida e aqueles que são chamados ao celibato. “A comunidade mostra face misericordiosa de Jesus na Igreja e na sociedade, onde o Senhor manifesta sua Divina Providência no resgate das almas”, reforça Luciano Lemes.


 


Diocede Ponta Grossa
Obras de misericórdia espirituais é uma das premissas dos Missionários do Amor   |   Arquivo Comunidade Missionários do Amor

Diocede Ponta Grossa
A aposta é na terapia do trabalho, na Mãe do Bom Conselho   |   Arquivo Comunidade Mãe do Bom Conselho


Navegue até a sua Paróquia