DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 06/01/2022

‘Crianças cantoras’ saem às ruas

Tradição é mantida no Dia de Reis em Castro

 
As crianças batem nas casas, cantando e recolhendo donativos As crianças batem nas casas, cantando e recolhendo donativos | Crédito: Capela Santa Terezinha

 Na Solenidade da Epifania do Senhor, neste 6 de janeiro, é celebrado o Dia de Reis, a festa dos Reis Magos. Os magos do Oriente, iluminados pela luz divina, que foram adorar o menino recém-nascido em Belém, ao qual ofereceram seus presentes: ouro, incenso e mirra. A folia ou reisada é uma tradição portuguesa de reverenciar o Menino Deus, considerada bem cultural imaterial da Igreja. Na colônia alemã Terra Nova, em Castro, a tradição é mantida com os sternsinger, ou, os cantores da estrela, crianças que ganham às ruas da localidade.


     Organizadas pelas lideranças da Capela Santa Terezinha, as crianças vestidas de Reis Magos se dividem em dois grupos e visitam as residências, das 9 até perto das 14 horas. Batem de casa em casa, arrecadando alimentos e dinheiro. Hoje, foram visitadas 70 casas. Acompanhadas de um adulto, as crianças chegam cantando e, com um giz branco, escrevem na porta da residência: ’20 C+M+B 22’, que significa, em latim, Christus mansionem benedicat (Cristo abençoa esta casa), além de ser a inicial de cada nome dos Reis: Caspar, Melchior e Baltasar.


     As crianças cantam em alemão e em português, já que em muitas famílias se fala o alemão. “Assim se mantém viva a tradição e se ajuda quem precisa. Muita gente vinha de Castro para acompanhar, antes da pandemia “, conta o responsável pelo Ministério de Música e do Coral Infantil da capela, Alexandre Hubert. Segundo ele, ano passado, foram montadas cerca de cinco cestas básicas com os alimentos arrecadados, doados aproximadamente 1.300 reais para o padre Osvaldo Pinheiro levar para a paróquia que administra em Lábrea, no Amazonas, e ainda repassada uma quantia para ajudar na construção da igreja matriz da paróquia.


     Os recursos recolhidos também ajudaram na compra de alguns itens da cesta básica. “Todos os anos, já na novena de Natal, são escolhidas famílias carentes, às vezes até da colônia, para receber os donativos. Conversamos com o padre e, os moradores ou a equipe da Pastoral Social fazem a entrega. O montante de cestas depende muito da quantidade de alimentos arrecadada”, acrescenta Hubert. A capela pertence à Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. O pároco é o padre Cristiano Marcos Rodrigues.


Castro


     Pelo segundo ano consecutivo, a tradição centenária da Caravana dos Reis Magos, anualmente programada para entre os dias 5 e 6 de janeiro, não vai acontecer em Castro, devido a pandemia. A caravana percorre casas, asilo e igrejas, reúne centenas de pessoas, em uma festa iniciada em 1913. A organizadora do evento, Nilceia Maria Zens afirma que o cancelamento se deu para evitar aglomeração de pessoas. \" A maior parte dos coralistas e músicos são idosos. Não podemos expor essa gente”, ressalta.


     De cunho cultural e religioso, a caravana vinha sendo preparada por intermédio de rodízio entre as paróquias. Em 2015, a Paróquia de São Judas Tadeu recebeu pela primeira vez a visita da Caravana dos Reis Magos. No início, a Caravana era formada somente por homens. A partir de 1990, mulheres e jovens passaram a integrar a comitiva.


 


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Paróquia da Saúde faz festa e quermesse   |   Encontro partilha experiências de santuários   |   Formação trabalha a Inteligência Espiritual   |   ‘Nossa Senhora dos Remédios’ faz 176 anos   |  





Publicado em: 06/01/2022

‘Crianças cantoras’ saem às ruas

Tradição é mantida no Dia de Reis em Castro

 

 Na Solenidade da Epifania do Senhor, neste 6 de janeiro, é celebrado o Dia de Reis, a festa dos Reis Magos. Os magos do Oriente, iluminados pela luz divina, que foram adorar o menino recém-nascido em Belém, ao qual ofereceram seus presentes: ouro, incenso e mirra. A folia ou reisada é uma tradição portuguesa de reverenciar o Menino Deus, considerada bem cultural imaterial da Igreja. Na colônia alemã Terra Nova, em Castro, a tradição é mantida com os sternsinger, ou, os cantores da estrela, crianças que ganham às ruas da localidade.


     Organizadas pelas lideranças da Capela Santa Terezinha, as crianças vestidas de Reis Magos se dividem em dois grupos e visitam as residências, das 9 até perto das 14 horas. Batem de casa em casa, arrecadando alimentos e dinheiro. Hoje, foram visitadas 70 casas. Acompanhadas de um adulto, as crianças chegam cantando e, com um giz branco, escrevem na porta da residência: ’20 C+M+B 22’, que significa, em latim, Christus mansionem benedicat (Cristo abençoa esta casa), além de ser a inicial de cada nome dos Reis: Caspar, Melchior e Baltasar.


     As crianças cantam em alemão e em português, já que em muitas famílias se fala o alemão. “Assim se mantém viva a tradição e se ajuda quem precisa. Muita gente vinha de Castro para acompanhar, antes da pandemia “, conta o responsável pelo Ministério de Música e do Coral Infantil da capela, Alexandre Hubert. Segundo ele, ano passado, foram montadas cerca de cinco cestas básicas com os alimentos arrecadados, doados aproximadamente 1.300 reais para o padre Osvaldo Pinheiro levar para a paróquia que administra em Lábrea, no Amazonas, e ainda repassada uma quantia para ajudar na construção da igreja matriz da paróquia.


     Os recursos recolhidos também ajudaram na compra de alguns itens da cesta básica. “Todos os anos, já na novena de Natal, são escolhidas famílias carentes, às vezes até da colônia, para receber os donativos. Conversamos com o padre e, os moradores ou a equipe da Pastoral Social fazem a entrega. O montante de cestas depende muito da quantidade de alimentos arrecadada”, acrescenta Hubert. A capela pertence à Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. O pároco é o padre Cristiano Marcos Rodrigues.


Castro


     Pelo segundo ano consecutivo, a tradição centenária da Caravana dos Reis Magos, anualmente programada para entre os dias 5 e 6 de janeiro, não vai acontecer em Castro, devido a pandemia. A caravana percorre casas, asilo e igrejas, reúne centenas de pessoas, em uma festa iniciada em 1913. A organizadora do evento, Nilceia Maria Zens afirma que o cancelamento se deu para evitar aglomeração de pessoas. \" A maior parte dos coralistas e músicos são idosos. Não podemos expor essa gente”, ressalta.


     De cunho cultural e religioso, a caravana vinha sendo preparada por intermédio de rodízio entre as paróquias. Em 2015, a Paróquia de São Judas Tadeu recebeu pela primeira vez a visita da Caravana dos Reis Magos. No início, a Caravana era formada somente por homens. A partir de 1990, mulheres e jovens passaram a integrar a comitiva.


 


 


Diocede Ponta Grossa
As crianças batem nas casas, cantando e recolhendo donativos   |   Capela Santa Terezinha

Diocede Ponta Grossa
Os grupos se dividem em dois para percorrer a colônia   |   Capela Santa Terezinha

Diocede Ponta Grossa
‘Cristo abençoa esta casa’ é inscrito nas portas   |   Capela Santa Terezinha

Diocede Ponta Grossa
Crianças cantam em alemão também   |   Capela Santa Terezinha

Diocede Ponta Grossa
Crianças vão até aos moradores, de casa em casa   |   Capela Santa Terezinha

Diocede Ponta Grossa
Em um papel, são anotados o que cada morador deseja e pode doar   |   Capela Santa Terezinha

Diocede Ponta Grossa
Um adulto acompanha as crianças, de carro   |   Capela Santa Terezinha


Navegue até a sua Paróquia