DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 08/02/2022

Escolhida nova diretoria da Caritas

Diácono Gilson Camilo da Silva segue na presidência

 
Diretoria, conselheiros e o padre Joel Nalepa Diretoria, conselheiros e o padre Joel Nalepa | Crédito: Caritas Diocesana

Eleita ontem (8), a nova diretoria que estará à frente da Caritas Diocesana pelos próximos três anos. O diácono Gilson Camilo da Silva foi reconduzido à presidência e terá ao seu lado nesse novo triênio o também diácono Alcedir Monteiro Godoy, como vice-presidente; secretária: Rosângela Rigoni; vice-secretária, Paloma Aparecida Ienk; tesoureiro, diácono Mário César Cequinel, e, como vice-tesoureiro, Oscar Herberto Furstenberger. No Conselho Fiscal, estão Mauricio Kusdra, Osmar Rosa e Adriano Roberto dos Santos e, como suplentes, Rafael Serrato, Altair Justino e Augusto Rotta. A nova diretoria e os conselheiros foram eleitos por aclamação. 


     De acordo com informações da Caritas, a eleição é organizada por uma comissão eleitoral, que monta a chapa - seis integrantes da diretoria, três do Conselho Fiscal e mais três suplentes - conforme as indicações feitas pelas entidades-membro, que são as paróquias e instituições sociais. 22 entidades indicaram representantes. Esses representantes podem votar, serem votados e integrar o Conselho Fiscal. Em caso de consenso, a chapa é eleita por aclamação, como aconteceu este ano. Ontem, 18 entidades associadas à Caritas estavam representadas. O tesoureiro Rafael Serrato fez a prestação de contas, que foi aprovada, e a assistente social, Érica Francine Pilarski Clarindo, apresentou um relatório de atividades, em vídeo, com as ações de 2021. Ao todo, a assembleia contou com integrantes das entidades-membros, da atual diretoria e com três convidados, além do assessor eclesiástico, padre Joel Nalepa.


     Desde 2019, todas as paróquias da Diocese de Ponta Grossa são automaticamente associadas à Caritas. Na diretoria eleita ontem, representam paróquias o vice-presidente, diácono Alcedir Godoy (Nossa Senhora do Monte Claro), Rosângela Rigoni (Imaculada Conceição/Ponta Grossa), Paloma Ienk (Nossa Senhora do Pilar) e diácono Mário Cequinel (São Jorge). Oscar Furstenberger foi indicado pela Associação de Promoção à Menina (Apam). O presidente, diácono Gilson Camilo da Silva, representou a Comissão Diocesana dos Diáconos de Ponta Grossa. 


     “Mesmo com a dificuldade financeira que enfrentamos na pandemia, com o não recebimento do Fundo Diocesano por dois anos e com a queda dos valores obtidos com o Programa Nota Paraná, ainda assim, foi muito bonito o trabalho feito nesses três anos, tudo o que a Caritas conquistou. Agradeço o empenho de todos. Apenas eu continuei da antiga diretoria. Penso em insistir no trabalho de contato com as paróquias para buscar a unidade com as comunidades porque tudo aquilo que a Caritas faz e consegue é em benefício das paróquias. Precisamos dessa unidade. Cada vez mais vamos trabalhar para que cada paróquia tenha um representante na Caritas. Vou continuar batendo nessa tecla”, adiantou o presidente.


      Por outro lado, o diácono se diz preocupado com a manutenção da Caritas. “Se não tiver o Nota Paraná, ficaremos com dificuldades de nos manter. Foi colocado ontem para que as entidades-membro nos ajudem com ideias, sugestões, para obtermos um fundo de manutenção. Temos a venda do sabão feito de óleo de cozinha usado, que, além da questão do meio ambiente, muito prezada e defendida pela Caritas, nos ajuda, mas é pouco. Precisamos de algo mais e precisamos contar com as paróquias”, acrescentou. Segundo Gilson Camilo da Silva, aproximadamente 1.300 litros de óleo deixaram de ser jogados no solo e lençol freático em 2021. “E sabemos que um litro de óleo contamina de cinco a dez mil litros de água. Fizemos esse trabalho e aproveitamos para obter fundos”, comemorou o presidente. 


     A Caritas manteve suas atividades cotidianas, auxiliando decisivamente as famílias em situação de vulnerabilidade social em função da pandemia com ações emergenciais, firmando parcerias para atender centenas de pessoas com cestas básicas e itens de higiene e de limpeza. O atendimento a migrantes prosseguiu de forma online e se intensificou graças a cursos profissionalizantes oferecidos em conjunto com o curso de Administração da Universidade Estadual de Ponta Grossa e a criação da Plataforma Novos Rumos, estratégia desenvolvida para incentivar a colocação de migrantes no mercado de trabalho.


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Jovem da Diocese de Ponta Grossa vai representar o Paraná em missão nacional   |   hightech   |   tesdtetetetete   |   Tibagi tem relíquias de nova santa católica   |  





Publicado em: 08/02/2022

Escolhida nova diretoria da Caritas

Diácono Gilson Camilo da Silva segue na presidência

 

Eleita ontem (8), a nova diretoria que estará à frente da Caritas Diocesana pelos próximos três anos. O diácono Gilson Camilo da Silva foi reconduzido à presidência e terá ao seu lado nesse novo triênio o também diácono Alcedir Monteiro Godoy, como vice-presidente; secretária: Rosângela Rigoni; vice-secretária, Paloma Aparecida Ienk; tesoureiro, diácono Mário César Cequinel, e, como vice-tesoureiro, Oscar Herberto Furstenberger. No Conselho Fiscal, estão Mauricio Kusdra, Osmar Rosa e Adriano Roberto dos Santos e, como suplentes, Rafael Serrato, Altair Justino e Augusto Rotta. A nova diretoria e os conselheiros foram eleitos por aclamação. 


     De acordo com informações da Caritas, a eleição é organizada por uma comissão eleitoral, que monta a chapa - seis integrantes da diretoria, três do Conselho Fiscal e mais três suplentes - conforme as indicações feitas pelas entidades-membro, que são as paróquias e instituições sociais. 22 entidades indicaram representantes. Esses representantes podem votar, serem votados e integrar o Conselho Fiscal. Em caso de consenso, a chapa é eleita por aclamação, como aconteceu este ano. Ontem, 18 entidades associadas à Caritas estavam representadas. O tesoureiro Rafael Serrato fez a prestação de contas, que foi aprovada, e a assistente social, Érica Francine Pilarski Clarindo, apresentou um relatório de atividades, em vídeo, com as ações de 2021. Ao todo, a assembleia contou com integrantes das entidades-membros, da atual diretoria e com três convidados, além do assessor eclesiástico, padre Joel Nalepa.


     Desde 2019, todas as paróquias da Diocese de Ponta Grossa são automaticamente associadas à Caritas. Na diretoria eleita ontem, representam paróquias o vice-presidente, diácono Alcedir Godoy (Nossa Senhora do Monte Claro), Rosângela Rigoni (Imaculada Conceição/Ponta Grossa), Paloma Ienk (Nossa Senhora do Pilar) e diácono Mário Cequinel (São Jorge). Oscar Furstenberger foi indicado pela Associação de Promoção à Menina (Apam). O presidente, diácono Gilson Camilo da Silva, representou a Comissão Diocesana dos Diáconos de Ponta Grossa. 


     “Mesmo com a dificuldade financeira que enfrentamos na pandemia, com o não recebimento do Fundo Diocesano por dois anos e com a queda dos valores obtidos com o Programa Nota Paraná, ainda assim, foi muito bonito o trabalho feito nesses três anos, tudo o que a Caritas conquistou. Agradeço o empenho de todos. Apenas eu continuei da antiga diretoria. Penso em insistir no trabalho de contato com as paróquias para buscar a unidade com as comunidades porque tudo aquilo que a Caritas faz e consegue é em benefício das paróquias. Precisamos dessa unidade. Cada vez mais vamos trabalhar para que cada paróquia tenha um representante na Caritas. Vou continuar batendo nessa tecla”, adiantou o presidente.


      Por outro lado, o diácono se diz preocupado com a manutenção da Caritas. “Se não tiver o Nota Paraná, ficaremos com dificuldades de nos manter. Foi colocado ontem para que as entidades-membro nos ajudem com ideias, sugestões, para obtermos um fundo de manutenção. Temos a venda do sabão feito de óleo de cozinha usado, que, além da questão do meio ambiente, muito prezada e defendida pela Caritas, nos ajuda, mas é pouco. Precisamos de algo mais e precisamos contar com as paróquias”, acrescentou. Segundo Gilson Camilo da Silva, aproximadamente 1.300 litros de óleo deixaram de ser jogados no solo e lençol freático em 2021. “E sabemos que um litro de óleo contamina de cinco a dez mil litros de água. Fizemos esse trabalho e aproveitamos para obter fundos”, comemorou o presidente. 


     A Caritas manteve suas atividades cotidianas, auxiliando decisivamente as famílias em situação de vulnerabilidade social em função da pandemia com ações emergenciais, firmando parcerias para atender centenas de pessoas com cestas básicas e itens de higiene e de limpeza. O atendimento a migrantes prosseguiu de forma online e se intensificou graças a cursos profissionalizantes oferecidos em conjunto com o curso de Administração da Universidade Estadual de Ponta Grossa e a criação da Plataforma Novos Rumos, estratégia desenvolvida para incentivar a colocação de migrantes no mercado de trabalho.


 


Diocede Ponta Grossa
Diretoria, conselheiros e o padre Joel Nalepa   |   Caritas Diocesana

Diocede Ponta Grossa
A nova diretoria, sem a segunda secretária, Paloma   |   Caritas Diocesana

Diocede Ponta Grossa
O secretário Altair Justino e o diácono Manoel Carlos integraram a comissão eleitoral   |   Caritas Diocesana

Diocede Ponta Grossa
Das 22 entidades-membros que enviaram representantes, 18 se fizeram presentes   |   Caritas Diocesana


Navegue até a sua Paróquia