DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 06/03/2022

Padre Wagner toma posse em ‘quase paróquia’

Celebração aconteceu na Capela São João Paulo II

 
O vigário geral deu posse a padre Wagner na sexta-feira O vigário geral deu posse a padre Wagner na sexta-feira | Crédito: Luiz Miguel Andrade e Sandrinney Marques Brida

     Um momento muito especial e histórico está sendo vivenciado pela Diocese de Ponta Grossa com a instituição da ‘Quase Paróquia de São João Paulo II’, no Jardim Itapoa, no Bairro Contorno, em Ponta Grossa. Desmembrada da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, a quase paróquia tem como administrador o padre Wagner Oliveira da Silva, nomeado pelo bispo Dom Sergio Arthur Braschi e empossado em uma celebração realizada na noite de ontem (4). A missa de posse foi celebrada pelo vigário geral da Diocese, padre Jaime Rossa, e concelebrada pelo pároco da Nossa Senhora de Guadalupe, padre Wellington Marcondes; padre Athanagildo Vaz Neto, vigário paroquial, e diáconos. 


     Como administrador paroquial padre Wagner ficará à frente de todo o processo de desmembramento das comunidades onde existem as capelas Nossa Senhora das Dores, no Núcleo Santa Terezinha; Mãe da Igreja, na Vila Ricci; Mãe da Divina Providência, no Gralha Azul e Capela Nossa Senhora do Rosário, na Colônia Guaraúna, e que hoje pertencem à Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe. Na região, vivem aproximadamente 60 mil pessoas. “Estamos vivendo um momento especial na Comunidade São João Paulo II. Somos convidados a nos alegrar por esse acontecimento tão importante. Hoje vai ser instalada aqui a ‘quase paróquia’. Na prática, vai funcionar como uma paróquia, com os cuidados de alguém que vai estar responsável pela condução dos destinos dessa comunidade e das comunidades que vão fazer parte dessa ‘quase paróquia”, comentou padre Jaime em sua saudação.


     “Queremos em primeiro lugar louvar a Deus pelo que tem feito, pelo tem realizado. Hoje, se inaugura uma nova página no livro da história da Diocese de Ponta Grossa. Estamos participando de um momento histórico para essa comunidade e para a paróquia. Entre as responsabilidades do instituído como administrador paroquial em primeiro lugar está a instrução, a Catequese, o ensino e o aprofundamento da fé, que possibilite viver de acordo com a fé recebida dos apóstolos. Responsabilidade do administrador é também de santificar, através dos sacramentos, para que o povo possa ter acesso às coisas de Deus. Precisamos desses auxílios. E Deus se serve de instrumentos concretos para agir. O bom pastor deve conduzir, estar à frente, indicando o caminho; ao lado, sendo companheiro, e, atrás para não deixar ninguém longe dos demais”, enumerou padre Jaime. 


     Após a saudação inicial, padre Wellington leu a história da paróquia, citando os detalhes da origem da matriz e das demais comunidades que integram a paróquia. “Nenhuma comunidade cristã nasce por geração espontânea ou fruto do acaso ou ainda por desejo nosso. São Tiago em sua epístola diz que todo o dom precioso procede do Pai, que gera e faz crescer. Nascida do coração de Cristo, a Igreja é aquela comunidade desejada pelo Pai que através do tempo e da história estende seus ramos até os confins do mundo. Estamos unidos em ação de graças para que nessa Eucaristia do Senhor vejamos essa comunidade de fé seja desmembrada da comunidade paroquial Nossa Senhora de Guadalupe. Matriz paroquial que foi desejada por Deus e criada como instituição canônica em 1979 pelo então bispo diocesano, Dom Geraldo Pellanda”, lembrou o pároco, citando, uma a uma, a história das demais comunidades. “Hoje a misericórdia decidiu dar novo rumo ao anúncio do Evangelho, elevando à categoria de ‘quase paróquia’ esta comunidade, a mais recente das comunidades, que terá como pastor próprio o padre Wagner de Oliveira, que, com alegria e acompanhado de nossa oração, hoje acolhemos”, acrescentou.


     Em seguida foi lido o decreto 165, de criação da Quase Paróquia, e o decreto de nomeação do administrador paroquial. A leitura foi feita por padre Athanagildo, chanceler do bispado. Na celebração, padre Wagner fez a renovação das promessas sacerdotais e recebeu as chaves da Igreja, do Sacrário, Batistério e a estola do Sacramento da Penitência. Recebeu também imagens dos padroeiros das capelas que compõem a ‘quase paróquia’ (matriz São João Paulo II, Mãe da Divina Providência, Nossa Senhora das Dores, Mãe da Igreja e Nossa Senhora do Rosário).


Surpresa de Deus


     Em sua fala, padre Wagner comentou que Deus em muitos momentos surpreende. “Todo esse momento que estamos vivendo é uma surpresa de Deus. Ele foi preparando tudo e, agora, sua obra começa a se realizar. Desde que soube da minha nomeação eu questionava: Senhor, qual a razão desse momento, dessa missão? Eu que estava na Paróquia Menino Jesus, na cidade de Reserva, de 64 comunidades...Em muitos momentos enfrentando as estradas de chão, nas comunidades distantes, de um povo ardoroso e cheio de fé. Aí, me lembrava de uma frase de São João Paulo II: ‘o amor me explicou tudo’. E ali comecei a entender. O amor é Cristo. É o próprio Deus presente no meio de nós; é ele quem nos explicou e explicará tudo”, confidenciou o sacerdote.


     “Não se trata de divisão. A Igreja se amplia para chegar mais perto do povo, dos filhos a ela confiados. Desmembramento é uma graça que Deus nos concede para que as ovelhas tenham um pastor um pouco mais perto para que possa lhes acompanhar e assim continuarmos a nossa caminhada de fé. Uma quase paróquia que já começou lá no coração do nosso bispo, que tem um carinho muito grande por São João Paulo II, pois foi quem o nomeou como bispo e, portanto, faz parte da história de Dom Sergio. Quero lembrar com muito carinho do nosso bispo e agradecê-lo. Agradecer a Deus por sua vida, por se permitir ouvir a voz do Senhor e, agora nos dar essa ‘quase paróquia’, e também pela confiança que deposita em nós para esse tempo, esse caminho”, ressaltou padre Wagner, agradecendo também aos padres Jaime, Wellington, Athanagildo, Alvaro Nortok, diáconos Josoel da Cruz Borges e Vanderlei Aparecido da Silva, de sua comunidade de origem, a Nossa Senhora Aparecida, em Telêmaco Borba. Agradeceu também à família e aos amigos, em especial, às pessoas que vieram de Reserva.


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Jovem da Diocese de Ponta Grossa vai representar o Paraná em missão nacional   |   hightech   |   tesdtetetetete   |   Tibagi tem relíquias de nova santa católica   |  





Publicado em: 06/03/2022

Padre Wagner toma posse em ‘quase paróquia’

Celebração aconteceu na Capela São João Paulo II

 

     Um momento muito especial e histórico está sendo vivenciado pela Diocese de Ponta Grossa com a instituição da ‘Quase Paróquia de São João Paulo II’, no Jardim Itapoa, no Bairro Contorno, em Ponta Grossa. Desmembrada da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, a quase paróquia tem como administrador o padre Wagner Oliveira da Silva, nomeado pelo bispo Dom Sergio Arthur Braschi e empossado em uma celebração realizada na noite de ontem (4). A missa de posse foi celebrada pelo vigário geral da Diocese, padre Jaime Rossa, e concelebrada pelo pároco da Nossa Senhora de Guadalupe, padre Wellington Marcondes; padre Athanagildo Vaz Neto, vigário paroquial, e diáconos. 


     Como administrador paroquial padre Wagner ficará à frente de todo o processo de desmembramento das comunidades onde existem as capelas Nossa Senhora das Dores, no Núcleo Santa Terezinha; Mãe da Igreja, na Vila Ricci; Mãe da Divina Providência, no Gralha Azul e Capela Nossa Senhora do Rosário, na Colônia Guaraúna, e que hoje pertencem à Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe. Na região, vivem aproximadamente 60 mil pessoas. “Estamos vivendo um momento especial na Comunidade São João Paulo II. Somos convidados a nos alegrar por esse acontecimento tão importante. Hoje vai ser instalada aqui a ‘quase paróquia’. Na prática, vai funcionar como uma paróquia, com os cuidados de alguém que vai estar responsável pela condução dos destinos dessa comunidade e das comunidades que vão fazer parte dessa ‘quase paróquia”, comentou padre Jaime em sua saudação.


     “Queremos em primeiro lugar louvar a Deus pelo que tem feito, pelo tem realizado. Hoje, se inaugura uma nova página no livro da história da Diocese de Ponta Grossa. Estamos participando de um momento histórico para essa comunidade e para a paróquia. Entre as responsabilidades do instituído como administrador paroquial em primeiro lugar está a instrução, a Catequese, o ensino e o aprofundamento da fé, que possibilite viver de acordo com a fé recebida dos apóstolos. Responsabilidade do administrador é também de santificar, através dos sacramentos, para que o povo possa ter acesso às coisas de Deus. Precisamos desses auxílios. E Deus se serve de instrumentos concretos para agir. O bom pastor deve conduzir, estar à frente, indicando o caminho; ao lado, sendo companheiro, e, atrás para não deixar ninguém longe dos demais”, enumerou padre Jaime. 


     Após a saudação inicial, padre Wellington leu a história da paróquia, citando os detalhes da origem da matriz e das demais comunidades que integram a paróquia. “Nenhuma comunidade cristã nasce por geração espontânea ou fruto do acaso ou ainda por desejo nosso. São Tiago em sua epístola diz que todo o dom precioso procede do Pai, que gera e faz crescer. Nascida do coração de Cristo, a Igreja é aquela comunidade desejada pelo Pai que através do tempo e da história estende seus ramos até os confins do mundo. Estamos unidos em ação de graças para que nessa Eucaristia do Senhor vejamos essa comunidade de fé seja desmembrada da comunidade paroquial Nossa Senhora de Guadalupe. Matriz paroquial que foi desejada por Deus e criada como instituição canônica em 1979 pelo então bispo diocesano, Dom Geraldo Pellanda”, lembrou o pároco, citando, uma a uma, a história das demais comunidades. “Hoje a misericórdia decidiu dar novo rumo ao anúncio do Evangelho, elevando à categoria de ‘quase paróquia’ esta comunidade, a mais recente das comunidades, que terá como pastor próprio o padre Wagner de Oliveira, que, com alegria e acompanhado de nossa oração, hoje acolhemos”, acrescentou.


     Em seguida foi lido o decreto 165, de criação da Quase Paróquia, e o decreto de nomeação do administrador paroquial. A leitura foi feita por padre Athanagildo, chanceler do bispado. Na celebração, padre Wagner fez a renovação das promessas sacerdotais e recebeu as chaves da Igreja, do Sacrário, Batistério e a estola do Sacramento da Penitência. Recebeu também imagens dos padroeiros das capelas que compõem a ‘quase paróquia’ (matriz São João Paulo II, Mãe da Divina Providência, Nossa Senhora das Dores, Mãe da Igreja e Nossa Senhora do Rosário).


Surpresa de Deus


     Em sua fala, padre Wagner comentou que Deus em muitos momentos surpreende. “Todo esse momento que estamos vivendo é uma surpresa de Deus. Ele foi preparando tudo e, agora, sua obra começa a se realizar. Desde que soube da minha nomeação eu questionava: Senhor, qual a razão desse momento, dessa missão? Eu que estava na Paróquia Menino Jesus, na cidade de Reserva, de 64 comunidades...Em muitos momentos enfrentando as estradas de chão, nas comunidades distantes, de um povo ardoroso e cheio de fé. Aí, me lembrava de uma frase de São João Paulo II: ‘o amor me explicou tudo’. E ali comecei a entender. O amor é Cristo. É o próprio Deus presente no meio de nós; é ele quem nos explicou e explicará tudo”, confidenciou o sacerdote.


     “Não se trata de divisão. A Igreja se amplia para chegar mais perto do povo, dos filhos a ela confiados. Desmembramento é uma graça que Deus nos concede para que as ovelhas tenham um pastor um pouco mais perto para que possa lhes acompanhar e assim continuarmos a nossa caminhada de fé. Uma quase paróquia que já começou lá no coração do nosso bispo, que tem um carinho muito grande por São João Paulo II, pois foi quem o nomeou como bispo e, portanto, faz parte da história de Dom Sergio. Quero lembrar com muito carinho do nosso bispo e agradecê-lo. Agradecer a Deus por sua vida, por se permitir ouvir a voz do Senhor e, agora nos dar essa ‘quase paróquia’, e também pela confiança que deposita em nós para esse tempo, esse caminho”, ressaltou padre Wagner, agradecendo também aos padres Jaime, Wellington, Athanagildo, Alvaro Nortok, diáconos Josoel da Cruz Borges e Vanderlei Aparecido da Silva, de sua comunidade de origem, a Nossa Senhora Aparecida, em Telêmaco Borba. Agradeceu também à família e aos amigos, em especial, às pessoas que vieram de Reserva.


 


Diocede Ponta Grossa
O vigário geral deu posse a padre Wagner na sexta-feira   |   Luiz Miguel Andrade e Sandrinney Marques Brida

Diocede Ponta Grossa
Padre Jaime falou das responsabilidades do administrador paroquial   |   Luiz Miguel Andrade e Sandrinney Marques Brida

Diocede Ponta Grossa
A família acompanhou a celebração e participou do coquetel. Aqui, sua mãe:Devanir   |   Luiz Miguel Andrade e Sandrinney Marques Brida

Diocede Ponta Grossa
“Hoje é um caminho que se inicia e todos nós fazemos parte dessa história” disse padre Wagner aos fiéis   |   Luiz Miguel Andrade e Sandrinney Marques Brida


Navegue até a sua Paróquia