DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 07/04/2022

Posse dá à paróquia timbre missionário

Perpétuo Socorro recebe dois padres que já serviram na Amazônia

 
No presbitério, dom Sergio e os padres Nilson, José Lauro e Abrão Becher, que está morando em Irati No presbitério, dom Sergio e os padres Nilson, José Lauro e Abrão Becher, que está morando em Irati | Crédito: Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro/Irati

     O fato de os dois padres nomeados para administrar a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro já terem passado por Irati e, especialmente, terem experiência missionária foi destacado pelo bispo Dom Sergio Arthur Braschi, nesta quarta-feira (6), durante a missa de acolhida dos padres José Nilson Santos, como administrador paroquial, e José Lauro Gonçalves Gomes, como vigário. “Essa experiência pode trazer muita luz, muito dinamismo para a caminhada da paróquia, que ganha um timbre missionário, uma vez que os missionários que estão aqui vêm também para acender, revitalizar a evangelização porque a Igreja existe para evangelizar”, enfatizou Dom Sergio.


     Fazendo questão de destacar que o mais importante da Igreja é a evangelização, o bispo afirmou que a evangelização tem que ser marcada pela comunhão, participação e pelo dinamismo missionário. Bispo referencial para as Missões no Paraná, Dom Sergio enalteceu a caminhada dos dois sacerdotes no Projeto Igrejas-Irmãs, que a Diocese de Ponta Grossa mantém com a Prelazia de Lábrea, no Amazonas. José Lauro foi o primeiro padre enviado em missão para a Amazônia pelo projeto. Ficou lá de janeiro de 2013 a outubro de 2016. Padre José Nilson o substituiu, chegando em 2016 e regressando este ano. Foi coordenador de diversas pastorais na sede da prelazia, Lábrea, e vigário da Paróquia São João Batista, em Canutama.  


     Enquanto padre José Lauro completa em outubro 39 anos de sacerdócio, tendo exercido a missão de pároco 11 vezes, padre José Nilson terá sua primeira experiência como administrador paroquial, em 16 anos de ministério. Dom Sergio lembrou que os dois sacerdotes já passaram por Irati. Padre José Lauro, inclusive como pároco da Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, de dezembro de 2003 a fevereiro de 2005. José Nilson foi reitor do Seminário Menor Mãe de Deus entre 2010 e 2011. “É muito querido na cidade Tem caminhada grande, bonita na Diocese; já foi vigário em várias paróquias, foi também formador, passando pelos três seminários, foi da Pastoral Vocacional, serviu na Amazônia. Então, está em condições de assumir agora esse trabalho. Junto ao padre José Lauro, que tem vasta experiência, que poderá ser um grande colaborador, e também ser um suporte para ele nessa nova missão”, argumentou.


     Padre José Nilson contou que, além de ter estado à frente do Seminário Menor, ajudava, celebrando em algumas paróquias de Irati e era mais ligado à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. “Quero poder fazer um bom trabalho, dar continuidade ao que foi feito por tantos padres, caminhar com o povo, à luz do Sínodo, que pede uma Igreja que não esqueça das dimensões da missão, da evangelização e da participação. Que a presença do padre José Lauro, a experiência de muitos anos, possam me ajudar por ser a primeira vez que estarei à frente de uma paróquia. A expectativa é quanto a essa colaboração, paciência e, sobretudo, de poder usufruir da experiência do José Lauro no pastoreio de uma paróquia. Claro que o Espirito Santo vai iluminando, a chamada ‘graça de estado’, a condição a qual o bispo me coloca, com certeza, Deus também vai confirmar graças especiais para poder eu guiar, acompanhar o povo de Deus”, comentou.


      Segundo padre Nilson, a experiência da Amazônia, os seis anos, o tempo vivido lá, trará luz para poder viver a mesma missão. “Lá, estava a serviço da missão de Jesus, e agora, estarei a serviço da mesma missão, porém em outro ambiente, outra cultura e realidade, mas não deixa de trazer luz. A experiência será de alegria de poder servir o Cristo. Sei que aqui o povo é fervoroso, de tradição religiosa, de participação de comunidade. Acredito encontrar uma paróquia com bastante vida eclesial e um povo de história. Sobretudo desejo fazer com que a evangelização aconteça porque, cada dia, é preciso avançar sempre mais”, frisou o novo administrador paroquial.


     Padre José Lauro Gonçalves Gomes estava como pároco na Paróquia Nossa Senhora Medianeira, em Ponta Grossa, desde fevereiro de 2021. Em sua despedida da comunidade, no último domingo (3), agradeceu a acolhida, ressaltando a felicidade em sua mudança. “Muitos planos e metas tinha planejado, porém, o propósito de Deus foi outro. Feliz estou por estar onde Deus me chama”, comentou, sendo aplaudido em pé.


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Jovem da Diocese de Ponta Grossa vai representar o Paraná em missão nacional   |   hightech   |   tesdtetetetete   |   Tibagi tem relíquias de nova santa católica   |  





Publicado em: 07/04/2022

Posse dá à paróquia timbre missionário

Perpétuo Socorro recebe dois padres que já serviram na Amazônia

 

     O fato de os dois padres nomeados para administrar a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro já terem passado por Irati e, especialmente, terem experiência missionária foi destacado pelo bispo Dom Sergio Arthur Braschi, nesta quarta-feira (6), durante a missa de acolhida dos padres José Nilson Santos, como administrador paroquial, e José Lauro Gonçalves Gomes, como vigário. “Essa experiência pode trazer muita luz, muito dinamismo para a caminhada da paróquia, que ganha um timbre missionário, uma vez que os missionários que estão aqui vêm também para acender, revitalizar a evangelização porque a Igreja existe para evangelizar”, enfatizou Dom Sergio.


     Fazendo questão de destacar que o mais importante da Igreja é a evangelização, o bispo afirmou que a evangelização tem que ser marcada pela comunhão, participação e pelo dinamismo missionário. Bispo referencial para as Missões no Paraná, Dom Sergio enalteceu a caminhada dos dois sacerdotes no Projeto Igrejas-Irmãs, que a Diocese de Ponta Grossa mantém com a Prelazia de Lábrea, no Amazonas. José Lauro foi o primeiro padre enviado em missão para a Amazônia pelo projeto. Ficou lá de janeiro de 2013 a outubro de 2016. Padre José Nilson o substituiu, chegando em 2016 e regressando este ano. Foi coordenador de diversas pastorais na sede da prelazia, Lábrea, e vigário da Paróquia São João Batista, em Canutama.  


     Enquanto padre José Lauro completa em outubro 39 anos de sacerdócio, tendo exercido a missão de pároco 11 vezes, padre José Nilson terá sua primeira experiência como administrador paroquial, em 16 anos de ministério. Dom Sergio lembrou que os dois sacerdotes já passaram por Irati. Padre José Lauro, inclusive como pároco da Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, de dezembro de 2003 a fevereiro de 2005. José Nilson foi reitor do Seminário Menor Mãe de Deus entre 2010 e 2011. “É muito querido na cidade Tem caminhada grande, bonita na Diocese; já foi vigário em várias paróquias, foi também formador, passando pelos três seminários, foi da Pastoral Vocacional, serviu na Amazônia. Então, está em condições de assumir agora esse trabalho. Junto ao padre José Lauro, que tem vasta experiência, que poderá ser um grande colaborador, e também ser um suporte para ele nessa nova missão”, argumentou.


     Padre José Nilson contou que, além de ter estado à frente do Seminário Menor, ajudava, celebrando em algumas paróquias de Irati e era mais ligado à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. “Quero poder fazer um bom trabalho, dar continuidade ao que foi feito por tantos padres, caminhar com o povo, à luz do Sínodo, que pede uma Igreja que não esqueça das dimensões da missão, da evangelização e da participação. Que a presença do padre José Lauro, a experiência de muitos anos, possam me ajudar por ser a primeira vez que estarei à frente de uma paróquia. A expectativa é quanto a essa colaboração, paciência e, sobretudo, de poder usufruir da experiência do José Lauro no pastoreio de uma paróquia. Claro que o Espirito Santo vai iluminando, a chamada ‘graça de estado’, a condição a qual o bispo me coloca, com certeza, Deus também vai confirmar graças especiais para poder eu guiar, acompanhar o povo de Deus”, comentou.


      Segundo padre Nilson, a experiência da Amazônia, os seis anos, o tempo vivido lá, trará luz para poder viver a mesma missão. “Lá, estava a serviço da missão de Jesus, e agora, estarei a serviço da mesma missão, porém em outro ambiente, outra cultura e realidade, mas não deixa de trazer luz. A experiência será de alegria de poder servir o Cristo. Sei que aqui o povo é fervoroso, de tradição religiosa, de participação de comunidade. Acredito encontrar uma paróquia com bastante vida eclesial e um povo de história. Sobretudo desejo fazer com que a evangelização aconteça porque, cada dia, é preciso avançar sempre mais”, frisou o novo administrador paroquial.


     Padre José Lauro Gonçalves Gomes estava como pároco na Paróquia Nossa Senhora Medianeira, em Ponta Grossa, desde fevereiro de 2021. Em sua despedida da comunidade, no último domingo (3), agradeceu a acolhida, ressaltando a felicidade em sua mudança. “Muitos planos e metas tinha planejado, porém, o propósito de Deus foi outro. Feliz estou por estar onde Deus me chama”, comentou, sendo aplaudido em pé.


 


Diocede Ponta Grossa
No presbitério, dom Sergio e os padres Nilson, José Lauro e Abrão Becher, que está morando em Irati   |   Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro/Irati

Diocede Ponta Grossa
Dom Sergio deu posse ao novo administrador paroquial   |   Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro/Irati

Diocede Ponta Grossa
Padre José Nilson foi vigário em Tibagi, Castro e em Reserva   |   Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro/Irati


Navegue até a sua Paróquia