DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 13/04/2022

Paróquias retomam teatro da Paixão

Em Piraí do Sul, Telêmaco e Ponta Grossa haverá encenação

 
Na Paróquia Santa Rita, mistério do sofrimento abordado à luz da Paixão de Cristo Na Paróquia Santa Rita, mistério do sofrimento abordado à luz da Paixão de Cristo | Crédito: Pascom Paróquia Santa Rita de Cássia

       A Sexta-Feira Santa (15) exige introspecção e oração de todo o cristão. Além do terno momento que deve ser a encenação da Via Sacra por 25 crianças, na Capela São Paulo Apóstolo, no bairro de Olarias, em Ponta Grossa, a partir das 18h30, pela Diocese outros fortes instantes serão vivenciados pelos paroquianos de diversas comunidades que lembrarão o martírio e morte de Jesus em encenações da Via Dolorosa e teatros da Paixão, como os previstos nas paróquias Senhor Menino Deus, em Piraí do Sul, às 19 horas; Nossa Senhora de Fátima, em Telêmaco Borba, às 19h30, e, Santa Rita de Cássia, em Ponta Grossa, a partir das 20 horas.         


     Em Piraí do Sul, a encenação acontecerá ao lado da igreja São José. “Esse ano será ainda mais emocionante que em outros anos, já que voltamos a apresentar o teatro após dois anos sem realizá-lo devido a pandemia. Os atores e equipe estão muito empolgados em poder participar dessa apresentação”, comenta um dos organizadores, Bruno Moreira do Nascimento, citando que, ao todo, 50 pessoas estão envolvidas, entre atores, equipe técnica e equipe de apoio. O público esperado é de 1.500 pessoas, a se basear pelo registrado em anos anteriores. “É uma alegria voltar a viver esse momento na paróquia. Ele é uma tradição. Que todos consigam fazer uma experiência bonita, que não seja simplesmente um teatro, mas uma vivência, uma memória”, sugere Nascimento.


      O teatro retratando a Paixão de Cristo será encenado a partir das 19h30, na Praça da Família, em Telêmaco Borba. O grupo ’Irmão sol, irmã Lua’, da Comunidade São Francisco de Assis, é responsável pelo teatro, promovido desde 2001 na Paróquia Nossa Senhora de Fátima. São 45 pessoas ao todo, divididos entre o elenco, figurinistas, leitores, músicos e técnicos de iluminação. Segundo Dimas Barbosa, o grupo começou em 2000, com a encenação do nascimento de Jesus, na novena de Natal. “Gostamos tanto de apresentar que resolvemos montar a Paixão do Senhor, em 2001, e, desde então, só deixamos de apresentar por dois anos, devido a pandemia. Sempre colocamos um trecho bíblico antes do início (do momento) da prisão de Jesus. O teatro tem textos da Sagrada Escritura casados com comentários sobre a Campanha da Fraternidade para evangelizar ainda mais as pessoas”, conta, garantindo que a expectativa é grande quanto a participação do público, depois de dois anos. 


     A Paróquia Santa Rita de Cássia, de Ponta Grossa, apresenta o teatro da Paixão de Cristo, às 20 horas, na igreja matriz. Trata-se de uma mescla do mistério do sofrimento – à luz da Paixão de Cristo – com cenas da vida cotidiana de hoje, explica um dos integrantes, Leonardo Suarez.  A encenação, de acordo com ele, muda de ano para ano. “Não terá a crucificação este ano. Somente o açoitamento, que será feito de uma maneira um pouco diferente”, detalha. O momento da Paixão em si começa às 15 horas, com a celebração da Cruz, que segue até perto das 17 horas. O teatro inicia às 20 horas. “Será uma bela reflexão, ligando a Paixão de Cristo aos tempos atuais. Gostaria de convidar você e toda a sua família”, enfatiza Suarez. 


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Jovem da Diocese de Ponta Grossa vai representar o Paraná em missão nacional   |   hightech   |   tesdtetetetete   |   Tibagi tem relíquias de nova santa católica   |  





Publicado em: 13/04/2022

Paróquias retomam teatro da Paixão

Em Piraí do Sul, Telêmaco e Ponta Grossa haverá encenação

 

       A Sexta-Feira Santa (15) exige introspecção e oração de todo o cristão. Além do terno momento que deve ser a encenação da Via Sacra por 25 crianças, na Capela São Paulo Apóstolo, no bairro de Olarias, em Ponta Grossa, a partir das 18h30, pela Diocese outros fortes instantes serão vivenciados pelos paroquianos de diversas comunidades que lembrarão o martírio e morte de Jesus em encenações da Via Dolorosa e teatros da Paixão, como os previstos nas paróquias Senhor Menino Deus, em Piraí do Sul, às 19 horas; Nossa Senhora de Fátima, em Telêmaco Borba, às 19h30, e, Santa Rita de Cássia, em Ponta Grossa, a partir das 20 horas.         


     Em Piraí do Sul, a encenação acontecerá ao lado da igreja São José. “Esse ano será ainda mais emocionante que em outros anos, já que voltamos a apresentar o teatro após dois anos sem realizá-lo devido a pandemia. Os atores e equipe estão muito empolgados em poder participar dessa apresentação”, comenta um dos organizadores, Bruno Moreira do Nascimento, citando que, ao todo, 50 pessoas estão envolvidas, entre atores, equipe técnica e equipe de apoio. O público esperado é de 1.500 pessoas, a se basear pelo registrado em anos anteriores. “É uma alegria voltar a viver esse momento na paróquia. Ele é uma tradição. Que todos consigam fazer uma experiência bonita, que não seja simplesmente um teatro, mas uma vivência, uma memória”, sugere Nascimento.


      O teatro retratando a Paixão de Cristo será encenado a partir das 19h30, na Praça da Família, em Telêmaco Borba. O grupo ’Irmão sol, irmã Lua’, da Comunidade São Francisco de Assis, é responsável pelo teatro, promovido desde 2001 na Paróquia Nossa Senhora de Fátima. São 45 pessoas ao todo, divididos entre o elenco, figurinistas, leitores, músicos e técnicos de iluminação. Segundo Dimas Barbosa, o grupo começou em 2000, com a encenação do nascimento de Jesus, na novena de Natal. “Gostamos tanto de apresentar que resolvemos montar a Paixão do Senhor, em 2001, e, desde então, só deixamos de apresentar por dois anos, devido a pandemia. Sempre colocamos um trecho bíblico antes do início (do momento) da prisão de Jesus. O teatro tem textos da Sagrada Escritura casados com comentários sobre a Campanha da Fraternidade para evangelizar ainda mais as pessoas”, conta, garantindo que a expectativa é grande quanto a participação do público, depois de dois anos. 


     A Paróquia Santa Rita de Cássia, de Ponta Grossa, apresenta o teatro da Paixão de Cristo, às 20 horas, na igreja matriz. Trata-se de uma mescla do mistério do sofrimento – à luz da Paixão de Cristo – com cenas da vida cotidiana de hoje, explica um dos integrantes, Leonardo Suarez.  A encenação, de acordo com ele, muda de ano para ano. “Não terá a crucificação este ano. Somente o açoitamento, que será feito de uma maneira um pouco diferente”, detalha. O momento da Paixão em si começa às 15 horas, com a celebração da Cruz, que segue até perto das 17 horas. O teatro inicia às 20 horas. “Será uma bela reflexão, ligando a Paixão de Cristo aos tempos atuais. Gostaria de convidar você e toda a sua família”, enfatiza Suarez. 


 


Diocede Ponta Grossa
Na Paróquia Santa Rita, mistério do sofrimento abordado à luz da Paixão de Cristo   |   Pascom Paróquia Santa Rita de Cássia

Diocede Ponta Grossa
Momento de memória do que foi a entrega de Nosso Senhor   |   Pascom Paróquia Santa Rita de Cássia

Diocede Ponta Grossa
A Via Crucis permeia a reflexão do cotidiano, todos os anos   |   Pascom Paróquia Santa Rita de Cássia

Diocede Ponta Grossa
Em Telêmaco, a encenação da Paixão acontece há 21 anos   |   Comunicação Paróquia Nossa Senhora de Fátima/TB


Navegue até a sua Paróquia