DIOCESE  DE  PONTA  GROSSA



SOBRE
   História
   Fundação
   Bula Pontifícia


ESTRUTURA
   Colégio Consultores
   Conselho Presbiteral
   Seminários Diocesanos
   Casas para Encontros


Publicado em: 21/06/2022

Diocesana representa o Regional em assembleia do laicato

Silvana Spsila acompanhou encontro nacional em São Luís

 
A Assembleia Geral reuniu leigos e leigas de todo o Brasil A Assembleia Geral reuniu leigos e leigas de todo o Brasil | Crédito: CNBL

A 40ª Assembleia Geral Ordinária do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), a primeira edição presencial pós-pandemia, aconteceu dos dias 16 a 19 deste mês, em São Luís, no Maranhã, e contou com seis participantes do Paraná. Silvana Machado Spsila, tesoureira do Conselho Nacional do Laicato do Brasil/Regional Sul 2, representou a Província Eclesiástica de Curitiba. Delegados e delegadas vieram de todas as regiões do Brasil para refletir sobre ‘Sinodalidade e missão: cristãos leigos e leigas em saída para as periferias’.


     Para Silvana Spsila, a assembleia foi marcada por um forte apelo: de que está nas mãos dos leigos a missão de fazer uma Igreja em Saída, “mas sabendo para onde quer ir: para as periferias existenciais e geográficas. Para mim ficou como grande compromisso, enquanto representante da Província, que temos que desencadear o processo; que a proposta do Papa Francisco, de uma Igreja Sinodal é, na verdade, uma exigência desde o Concílio Vaticano II Este tema e lema foi o que norteou toda a assembleia”, comentou, citando os testemunhos de sofrimento e luta do povo nordestino, ouvidos em diferentes momentos do evento.


     “O legado que a assembleia deixa é justamente o que propôs o lema. Mostrou o caminho e nos comprometeu a seguir por ele. A assembleia foi uma oportunidade de conhecer as diferentes realidades do Brasil, pois lá estavam leigos de todos os cantos do País. Percebi que o Nordeste e Norte têm lutas e sofrimento muito grandes, mas também um envolvimento de leigos nas causas, muito maior do que as nossas do Sul. Mesmo nossa realidade não sendo do mesmo sofrimento temos também muitas urgências, nas quais precisamos atuar organizadamente, como Igreja”, avaliou Silvana.


     Os leigos e leigas da Igreja, sem seus grupos de discussão, produziram uma moção de apoio Brasil à causa dos povos originários e da floresta, onde manifestaram seu sentimento de pesar pelos brutais assassinatos do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo, e solidariedade com as lutas de resistência dos povos e comunidades da Amazônia. Também uma moção de apoio à manutenção da Lei de Cotas, instituída em 2012, e outra moção de apoio à causa da beatificação de padre Josimo Moraes Tavares. A carta com as posições definidas na assembleia geral ainda será divulgada. 


 


  • Diocede Ponta Grossa
  • Diocede Ponta Grossa


Você pode se interessar também:
| Jovem da Diocese de Ponta Grossa vai representar o Paraná em missão nacional   |   hightech   |   tesdtetetetete   |   Tibagi tem relíquias de nova santa católica   |  





Publicado em: 21/06/2022

Diocesana representa o Regional em assembleia do laicato

Silvana Spsila acompanhou encontro nacional em São Luís

 

A 40ª Assembleia Geral Ordinária do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), a primeira edição presencial pós-pandemia, aconteceu dos dias 16 a 19 deste mês, em São Luís, no Maranhã, e contou com seis participantes do Paraná. Silvana Machado Spsila, tesoureira do Conselho Nacional do Laicato do Brasil/Regional Sul 2, representou a Província Eclesiástica de Curitiba. Delegados e delegadas vieram de todas as regiões do Brasil para refletir sobre ‘Sinodalidade e missão: cristãos leigos e leigas em saída para as periferias’.


     Para Silvana Spsila, a assembleia foi marcada por um forte apelo: de que está nas mãos dos leigos a missão de fazer uma Igreja em Saída, “mas sabendo para onde quer ir: para as periferias existenciais e geográficas. Para mim ficou como grande compromisso, enquanto representante da Província, que temos que desencadear o processo; que a proposta do Papa Francisco, de uma Igreja Sinodal é, na verdade, uma exigência desde o Concílio Vaticano II Este tema e lema foi o que norteou toda a assembleia”, comentou, citando os testemunhos de sofrimento e luta do povo nordestino, ouvidos em diferentes momentos do evento.


     “O legado que a assembleia deixa é justamente o que propôs o lema. Mostrou o caminho e nos comprometeu a seguir por ele. A assembleia foi uma oportunidade de conhecer as diferentes realidades do Brasil, pois lá estavam leigos de todos os cantos do País. Percebi que o Nordeste e Norte têm lutas e sofrimento muito grandes, mas também um envolvimento de leigos nas causas, muito maior do que as nossas do Sul. Mesmo nossa realidade não sendo do mesmo sofrimento temos também muitas urgências, nas quais precisamos atuar organizadamente, como Igreja”, avaliou Silvana.


     Os leigos e leigas da Igreja, sem seus grupos de discussão, produziram uma moção de apoio Brasil à causa dos povos originários e da floresta, onde manifestaram seu sentimento de pesar pelos brutais assassinatos do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo, e solidariedade com as lutas de resistência dos povos e comunidades da Amazônia. Também uma moção de apoio à manutenção da Lei de Cotas, instituída em 2012, e outra moção de apoio à causa da beatificação de padre Josimo Moraes Tavares. A carta com as posições definidas na assembleia geral ainda será divulgada. 


 


Diocede Ponta Grossa
A Assembleia Geral reuniu leigos e leigas de todo o Brasil   |   CNBL

Diocede Ponta Grossa
A abertura da Assembleia, no dia 16, em São Luís   |   CNLB


Navegue até a sua Paróquia